segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Nordeste de Goiás destoa do estado e PT vence na região mais pobre. Bolsonaro vence em Posse (GO) e perde em Campos Belos (GO)



O mapa do nordeste de Goiás, a região mais pobre do estado, está tingido de vermelho, em grande contraste com o restante de Goiás, e elegeu Fernando Haddad (PT).

Quanto mais pobre o município, maior a intensidade do vermelho, como Cavalcante, São Domingos, Monte Alegre, Divinópolis e Flores de Goiás. 


Isso talvez mostra a grande dependência das comunidades dos programas populares como o bolsa família, assim como a baixa escolaridade dos eleitores. 


Em Campos Belos, por exemplo, Haddad alcançou quase 50% dos votos válidos, contra 34% de Jair Bolsonaro. 


Em Cavalcante, cidade mais pobre e com poucas escolas, Haddad foi a 75%, contra 12% do candidato do PSL. 


O mesmo desempenho ocorreu em Monte Alegre, São Domingos, Flores e Divinópolis. 


Já o município de Posse (GO), o mais rico da região e com maiores estabelecimentos de ensino, Bolsonaro venceu o candidato do PT por 42% a 32%. 


Esse comportamento do eleitor, por renda e escolaridade, repetiu o resultado do país. 


Enquanto os estados mais ricos e escolarizados do país, como São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande o Sul, Paraná e Santa Catarina deram uma tsunami de votos ao capitão, o nordeste do país, como o nordeste de Goiás, pobre e sem escolaridade, botou o candidato do PT no segundo turno. 


O que se pode interpretar desses dados?  


Veja os resultados.