MP deflagra Operação Esculápio e apreende medicamentos vencidos em hospital de Monte Alegre de Goiás



O Ministério Público de Goiás deflagrou, na última sexta-feira (26/10) a Operação Esculápio, na mitologia grega e romana, é o deus da medicina e da cura. 


Com o apoio da equipe da Promotoria de Justiça de Campos Belos e das Polícias Civil e Militar, os promotores de Justiça Bernardo Monteiro Frayha e Douglas Chegury cumpriram mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira (29/10), apreendendo vários medicamentos vencidos no Hospital Municipal de Monte Alegre de Goiás e na Secretaria de Saúde, além de documentos e computadores pertencentes aos órgãos.

Segundo esclarecem os promotores, o Conselho Municipal de Saúde de Monte Alegre de Goiás apresentou denúncia ao MP apontando irregularidades na unidade de saúde, entre elas a existência de medicamentos vencidos, inadequações na Secretaria Municipal e irregularidades relativas à morte de um médico ocorrida no hospital.

A operação também constatou o despejo irregular de lixo hospitalar, que era descartado sem qualquer observância das normas sanitárias. 

Com a informação, a equipe chefiada pelos promotores de Justiça foi até o “lixão” da cidade, onde encontrou todo tipo de lixo, inclusive hospitalar (principalmente medicamentos, sondas e equipo de soro), sem qualquer advertência ou obstáculo ao acesso.

Apurou-se ainda que os medicamentos e materiais utilizados pela área da saúde do município de Monte Alegre de Goiás são descartados em uma vala e, posteriormente, queimados. 

Além disso, a Operação Esculápio também constatou diversas irregularidades na gestão da saúde do Município, como, por exemplo, ausência de farmacêutico municipal e ausência de medicamentos no hospital, assim como outras inconsistências, que ainda estão sendo investigadas pelo promotor de Justiça Bernardo Monteiro Frayha, titular da Promotoria de Campos Belos.

Os promotores esclareceram também que alguns servidores foram notificados e encaminhados para serem ouvidos no mesmo dia na sede da Promotoria, visando instruir o procedimento instaurado. 

O material apreendido será encaminhado para o Centro de Inteligência do Ministério Público para análise e relatórios.

Fonte: MPGO