sexta-feira, 28 de setembro de 2018

O que fazer em Cavalcante (GO), na Chapada dos Veadeiros






Cavalcante abriga 70% da área do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e ainda assim é um destino pouco explorada pelos viajantes, que desconhecem o seu potencial turístico. 

Existem mais de 100 cachoeiras catalogadas nos arredores da cidade, embelezadas por cânions, grutas, mirantes, piscinas naturais, serras e vales. Para os mais corajosos que curtem esportes de aventura, este é o lugar certo.

Além de toda a beleza natural, Cavalcante torna-se ainda mais importante por ser morada do povoado Kalunga, a maior comunidade quilombola do Brasil, que viveu mais de duzentos anos isolada e só foi encontrada na década de 1980 por um grupo de estudiosos que tentavam viabilizar a construção de uma usina hidrelétrica no Rio Paranã.

Quer saber o que fazer em Cavalcante e quantos dias do roteiro dedicar a essa cidade? Confira as nossas dicas!

Como chegar a Cavalcante

Avião

O Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitschek é o mais próximo de Cavalcante e da Chapada dos Veadeiros. Os 323 km que separam os dois lugares precisam ser percorridos por via terrestre e você pode escolher entre duas opções.
Ônibus

A Empresa Santo Antônio faz o trajeto entre Brasília e Cavalcante. Já a Real Expresso parte de Brasília em direção a Teresina de Goiás, que fica a 22 km de Cavalcante. Você pode pegar outra condução para completar o percurso ou pedir carona, o que é muito comum na região.
Carro

Alugar um carro em Brasília e seguir para a Chapada dos Veadeiros é a opção mais prática, por isso optamos por ela. 

As cachoeiras e demais atrações ficam distantes das cidades e não há transporte urbano que leve até esses lugares, portanto, ter um carro à disposição ajuda consideravelmente na logística dos passeios.

O que fazer em Cavalcante

Cavalcante ainda é uma cidade pouco explorada pelos visitantes, que geralmente a utilizam apenas como base para visitar a deslumbrante Cachoeira Santa Bárbara, deixando de lado tantos outros lugares magníficos. 

A cada ano que passa novas áreas são abertas ao público, em vista disso, vale a pena ir ao Centro de Atendimento ao Turista (C.A.T) e se inteirar sobre as novidades.

A Cachoeira Santa Bárbara é o cartão postal da Chapada dos Veadeiros, liderando o ranking de pontos turísticos mais visitados na região. A beleza de suas águas cristalinas e do poço azul intenso atrai turistas do mundo inteiro, não é à toa que ela está entre as cachoeiras mais bonitas do Brasil


Devido ao grande fluxo de pessoas, só é permitido permanecer nessa cachoeira durante o tempo máximo de 60 minutos.

A cachoeira está localizada no Engenho II, onde vive a comunidade quilombola Kalunga. São 27 km em estrada de chão a partir de Cavalcante e mais 1,8 km de caminhada tranquila.

Preço: R$20
Trilha: 1,8km
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Sim, é obrigatório e você pode contratar um profissional da comunidade Kalunga na entrada da cachoeira.


A Cachoeira da Capivara também pertence ao povoado Kalunga e a visita pode ser feita com o mesmo guia que leva à Cachoeira Santa Bárbara. Sua beleza está em sua singularidade. 

Ao longo do caminho de 800 metros encontramos diversas piscinas naturais, mas a surpresa está no final da trilha, quando chegamos ao poço maior e notamos que ele é formado por duas cachoeiras. 

A maior é a da Capivara e a menor, que fica à esquerda, é formada pelo Rio Tiririca.

Sentado nas pedras ou nadando nas águas geladas é possível admirar um belíssimo mirante com vista para o Vão das Almas. Aqui não há tempo máximo de permanência. Fique à vontade!

Preço: R$ 10
Trilha: 800 metros
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Sim, o guia que leva à Santa Bárbara pode acompanhá-lo sem cobrar nada a mais por isso.

Cachoeira Candaru

É a terceira cachoeira dentro do quilombo Kalunga no Engenho II, mas pouco frequentada pelos turistas dado o seu grau intermediário de dificuldade. A trilha tem 2,5 km e exige bom condicionamento físico, no entanto, cada passo é recompensado quando se está diante da queda de 70 metros.

Vá sem pressa e aprecie a beleza do caminho, cercado de plantas nativas, flores exóticas e paredões de pedras.

Preço: R$10
Trilha: 2,5 km
Nível de dificuldade: Moderado
Sim, e pagando a ele uma taxa extra o passeio pode ser combinado com as duas cachoeiras anteriores.

Cachoeira Boa Brisa

A Cachoeira Boa Brisa é dividida em duas quedas deslumbrantes com cerca de 15 metros de altura e poços apropriados para banho. Está localizada no povoado São Domingos, a 65km de Cavalcante, seguindo a mesma estrada que leva à Cachoeira Santa Bárbara.

A trilha é longa, tem 6km, mas não requer muito preparo físico. A recompensa pelo esforço virá com um revigorante banho em meio à natureza intocada com cânions e veredas de buritis, longe de qualquer tumulto.

Preço: R$20
Trilha: 6km
Nível de dificuldade: Moderado
Necessidade de guia: Sim
Cachoeira São Félix

No cerrado não tem mar, mas tem praia. A Cachoeira de São Félix é conhecida pelas areias brancas e águas cristalinas, indicada para famílias que viajam com crianças ou pessoas que preferem não se aventurar em poços fundos. A queda tem 15 metros de altura e forma um cenário cinematográfico. Vá e veja com seus próprios olhos.

Preço: R$20
Trilha: 500 metros
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Não

A 63 km de estrada de chão a partir de Cavalcante, quase na fronteira com o estado do Tocantins, encontra-se o tesouro mais preservado da Chapada dos Veadeiros. 

Sete cachoeiras compõem o Complexo do Prata e para chegar até elas é necessário caminhar nas trilhas que cortam enormes paredões de quartzo. O tamanho do trajeto pode assustar, porém tudo fica mais tranquilo com as incontáveis piscinas naturais de águas cristalinas que aparecem ao longo da jornada.

O percurso até as primeiras cachoeiras é bastante simples, entretanto, para chegar ao Rei do Prata, a última e mais bonita de todas as cachoeiras do complexo, é necessário encarar uma trilha de 6 km. É essa dificuldade que mantém o lugar totalmente intocado, sem grandes aglomerações. Aproveite!

Preço: R$20
Trilha: 6km
Nível de dificuldade: Moderado
Necessidade de guia: Sim
Vale de Marte

O Vale da Lua, que fica no distrito de São Jorge, é o segundo ponto turístico mais visitado da Chapada dos Veadeiros. Agora, o que poucos sabem é que existe também um Vale de Marte, lugar tranquilo e místico localizado na Fazenda Ouro Fino, no Complexo da Prata.

O lugar ganhou esse nome por causa de suas formações rochosas, esculpidas ao longo de milhões de anos pela água, o vento, o calor, entre outros fatores naturais.

Preço: Grátis (mesmo ingresso do Complexo do Prata, não é necessário pagar taxa adicional)
Trilha: 500 metros
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Sim, o mesmo que o acompanhará pelas cachoeiras do complexo.

Parque Municipal do Lavapés

Bem perto do centro de Cavalcante encontra-se a cachoeira mais subestimada da Chapada dos Veadeiros. Ela é pequena e possui dois poços de águas limpas para banho, mas não tem a mesma beleza de tirar o fôlego que outras quedas da região, por isso não é muito frequentada nem mesmo pelos próprios moradores locais.

É uma boa opção para quem procura passeios gratuitos e também para aqueles dias em que o corpo pede descanso, já que a trilha é fácil, curta e bem sinalizada. Além disso, o lugar conserva ruínas de lavras de ouro e de um muro construído por escravos.

Preço: Gratuito
Trilha: 700 metros
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Não

O Vale das Araras é uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) onde funciona uma pousada que prioriza a sustentabilidade. Pagando uma única taxa de R$15 é possível fazer quatro rotas diferentes: a trilha do ouro (onde há resquícios de um canal construído pelos bandeirasntes), trilha do recanto das pedras, trilha das araras (que leva à Cachoeira São Bartolomeu) e a trilha do Poço do Buriti.

O ideal é chegar cedo para aproveitar tudo que o espaço tem a oferecer. Você passará por paisagens típicas do cerrado, atravessará trilhas suspensas, mergulhará em águas límpidas e ainda poderá ir ao mirante para avistar animais silvestres. É um lugar que definitivamente não pode ficar de fora da lista de quem procura o que fazer em Cavalcante.

Preço: R$15 à vista ou R$18 no cartão
Trilha: Trilha das araras (1,7km); trilha do buriti (300m); trilha do ouro (1,8km) e trilha recanto das pedras (800m).
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Não

A Fazenda Veredas também funciona como pousada e possui 7 maravilhosas cachoeiras em seu terreno. É impossível conhecer todas em apenas um dia, porém seria um desperdício não conhecer nenhuma.

A mais procurada entre locais e turistas é a Cachoeira Veredas, cuja queda d’água chega a 90 metros de altura e ainda conta com um mirante com uma vista magnífica. A trilha que dá acesso ao local tem apenas 800 metros, mas exige preparo físico por atravessar cânions, pedras e rios.

A Cachoeira Veredinhas, por sua vez, tem acesso mais fácil e também proporciona uma lindas vistas para os paredões de pedra, mas nem se compara ao esplendor da primeira.

A Cachoeira Toca da Onça também é bastante procurada, já que suas quedas funcionam como deliciosas hidromassagens naturais. Não podemos nos esquecer do Poço Encantado, Véu da Noiva, Cachoeira Cobiçada e Canyon, cada uma com suas particularidades.

Preço: R$20
Necessidade de guia: Não é obrigatório, mas é recomendável.
Cachoeiras Santana e Cozido

Também pouco conhecida pelos turistas, a Cachoeira Santana está a 15km do centro de Cavalcante, em um lugar onde um dia existiu uma usina hidrelétrica. A queda principal tem 70 metros de altura e ao longo do percurso é possível encontrar diversas piscinas naturais, incluindo uma de borda infinita.

O acesso é feito através de uma pequena trilha de 500 metros. Esse caminho passa pela Estrada Cavaleira, construída pelos bandeirantes para escoar o ouro extraído daquela região. Uma outra trilha de 1km leva à Cachoeira do Cozido, que fica na mesma fazenda.

O Poço Encantado está localizado na Fazenda Rio de Pedra, em Teresina de Goiás, a 22km de Cavalcante. Cuidado para não confundi-lo este com o Poço Encantado que fica na Fazenda Veredas!

O lugar recebeu esse nome por causa de histórias contadas pelos antigos moradores da fazenda, que diziam haver um diamante no fundo do poço. De qualquer forma, ele faz jus ao nome que tem, pois é um lugar mágico, com belíssimas cachoeiras de águas cristalinas e uma pequena praia de água doce cercada por vegetação típica do cerrado. 

As meninas do Marola com Carambola estiveram lá e contam detalhes sobre o passeio no Poço Encantado.

Preço: R$20
Trilha: 300 metros
Nível de dificuldade: Fácil
Necessidade de guia: Não


Para chegar até a Cachoeira Barroco são 11 km de asfalto e mais 8 km de terra a partir de Cavalcante. Apesar de o nome estar no singular, o terreno possui quatro quedas formadas pelo Rio Almas, com seus diferentes níveis de dificuldade e beleza.

O acesso até a primeira cachoeira é simples, porém as demais exigem condicionamento físico, pois será necessário subir escadas estreitas, descer trilhas íngremes de pedra, se deslocar por caminhos rochosos e atravessar rios com correnteza, por isso a companhia de um guia credenciado é indispensável. Se quiser incrementar ainda mais o passeio, é possível praticar caiaque ou boia cross, basta agendar com alguma agência local.

Preço: R$20
Trilha: 3km
Nível de dificuldade: Difícil
Necessidade de guia: Sim, é obrigatório.

Para chegar até a Cachoeira Canjica (também conhecida como Salto do Canjica) é necessário percorrer 75km em estrada de terra e prosseguir a pé por uma trilha de 2km que perpassa o Rio Lage, com diversas quedas e poços para banho, sendo que a maior delas chega a 60 metros de altura e é agraciada com um mirante natural.

O Mirante Nova Aurora fica na estrada que leva ao povoado Kalunga do Engenho II. É fácil encontrá-lo, pois há sinalização e um pequeno estacionamento. De lá é possível ver Cavalcante, as serras, depressões, paredões rochosos, veredas de buritis e algumas fazendas. Vale a pena conhecer na volta do passeio. O pôr do sol visto do mirante é um espetáculo!

Preço: Gratuito
Trilha: Não há
Nível: Fácil
Necessidade de guia: Não
Mirante da Ave Maria

O mirante está localizado na Serra da Santana, logo após o Mirante Nova Aurora. De lá é possível ver a cachoeira da Ave Maria, que tem 120 metros de altura e não está aberta para visitação ou banho.

A caminhada até o mirante é de 300 metros, não exige esforço físico e pode proporcionar lindas fotos, dependendo do volume de água. Há pouca sinalização direcionando para o local, mas se você estiver atento, verá do lado direito da pista uma placa marrom indicando a entrada. 

Não é um lugar recomendado para crianças, tendo em vista que a estrutura fica em cima de um despenhadeiro e não oferece segurança.

Preço: Gratuito
Trilha: 300 metros
Nível: Fácil
Necessidade de guia: Não


Conhecer a imponente Ponte de Pedra é só para os fortes. Para chegar até lá é necessário percorrer 10km de estrada de chão até a Fazenda Renascer e assim partir para a trilha de 6km, que não é moleza. Há trechos íngremes que exigem habilidade, além de um guia muito bem preparado, mas a recompensa chega junto com a vista do arco de 30 metros que passa por cima do Rio São Domingos.

A Ponte de Pedra é um divisor natural do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, já que está situado na borda norte da reserva. Em frente ao arco, o Rio São Domingos despenca em uma cachoeira de 100 metros de altura, que pode ser vista nos mirantes.

Preço: R$15
Trilha: 6 km de trilha na vertical
Nível de dificuldade: Difícil
Necessidade de guia: Sim, é obrigatório e pode ser contratado no C.A.T de Cavalcante.

Agora que você já sabe o que fazer em Cavalcante, é hora de saber onde passar a noite.

Além da Pousada Vale das Araras e da Fazenda Veredas que já foram mencionadas, nós recomendamos também a Pousada Toca da Raposa e a Pousada Manacá.

Nós nos hospedamos na Chácara Canto da Mata, que fica em uma área isolada, longe do centro de Cavalcante, mas isso não será um problema para quem estiver de carro.








Fonte: Viajei Bonito

Chapada: Bruna Griphao mostra tanquinho trincado em passeio na cachoeira

Viagem e foto boa tem mais que relembrar! Bruna Griphao usou seu instagram na última quinta-feira (13) para fazer um #tbt de viag...