Banner 1

Banner 1

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Surgem mais detalhes do sequestro do gerente do Banco do Brasil e da família dele, em Campos Belos (GO)




A Polícia Militar de Goiás continua a perseguir, nesta sexta-feira (8), o grupo assaltantes responsáveis por sequestrar a família do gerente de uma agência bancária para tentar roubar o estabelecimento em Campos Belos, no nordeste goiano. 


Ontem, dois morreram em confronto e cerca de seis deles fugiram cerrado à dentro.  

Até a noite desta sexta-feira, não havia informação de prisões ou confrontos.

Segundo o major Leandro Carvalho, comandante da PM da cidade, na manhã desta sexta-feira (8), um chacareiro informou ter visto alguns homens caminhando pelo pasto da propriedade dele que fica cerca de 15 quilômetros de Monte Alegre de Goiás. 


Com a informação, policiais civis e militares realizaram uma força-tarefa na região para capturar os suspeitos.

O major informou ainda que os dois criminosos mortos, identificados como Gilnei de Souza Santos e Fernando Carvalho Santana, estavam presos em Teixeira Freitas, na Bahia, e recentemente teriam recebido alvará de soltura.

As primeiras informações apuradas são que a quadrilha teria chegado à cidade na quarta-feira e fizeram o gerente e a família dele reféns. 

Eles que foram liberados apenas na manhã de ontem em uma rodovia estadual do Tocantins, no sentido Campos Belos - Arraias. A polícia disse que os moradores da cidade estão aterrorizados.

Mais detalhes do drama do sequestro

Enquanto a polícia persegue os bandidos, surgem mais detalhes do sequestro da família e do gerente do Banco do Brasil.

Em publicação na sua primeira página, o G1 de Goiás informou que o gerente e a família tinham sido levados para um cativeiro.

No entanto, segundo a Polícia Civil, os sequestradores tomaram conhecimento do confronto com os comparsas próximo a Campos Belos e mudaram os planos.

Um deles levou a mulher e a filha do gerente para Arraias, no sudeste do Tocantins. Já o outro voltou com o refém (gerente) para Campos Belos.



"Ele mandou o gerente tomar banho e trabalhar, abrir o cofre central e pegar valores. 

Nós recebemos a informação e entramos em contato com a Polícia Civil de Campos Belos. 

Eles foram até o banco, encontraram o gerente, foi feito procedimento de segurança, travamos o cofre ", relatou o delegado Samuel Pereira Moura, titular do Grupo Antirroubo a Banco.

Ao ser informado que a Polícia Civil tinha ido ao banco, o sequestrador fugiu de Campos Belos. O outro homem que mantinha a mulher e filha do gerente reféns as libertou e também fugiu. Elas não sofreram ferimentos.

Ainda segundo a publicação, o delegado continua com a investigação do caso e tenta identificar os dois sequestradores, como de fato identificou, como divulgado agora à tarde. 

"O crime que está sendo investigado é o delito de extorsão mediante sequestro, na medida que sequestraram a mulher e a filha do gerente como forma de constranger e obrigá-lo a abrir o cofre da agência central e passar os valores. Mas a ação não foi efetiva", afirma Moura.

As buscas aos bandidos devem prosseguir noite à dentro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário