Banner 1

Banner 1

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Portal Orla Notícias, de Palmas, faz reportagem sobre os impactos ambientais provocados ao Rio Bezerra




O Portal Orla Notícias, de Palmas (TO), publicou, nesta segunda-feira (4), uma extensa reportagem sobre os impactos ambientais provocados ao Rio Bezerras, no sudeste do Tocantins e nordeste de Goiás, principalmente após a chegada da mineradora Itafós na Região. 

O site ouviu pessoas envolvidas na defesa do rio, especialistass na área, falou da tensão e dos prejuízos da comunidade quilombola Lagoa da Pedra (Arraias), que fica a 15 km da barragem de rejeitos, e dos desafios para se salvar o rio.

Uma audiência pública do Ministério Público Federal para discutir o assunto está prevista para ocorrer no próximo dia 19 de junho. 

Leia a íntegra da reportagem 


2 comentários:

  1. E pior vai ficar ... anota aí
    Soda e sulfato nessa água aí é mato xofé

    ResponderExcluir
  2. Só queria entender que inteligência usaram pra se construí uma barragem de rejeito no leito do rio.?? O problema vai ser o mesmo quando começar o período de chuva novamente, ou pior! São danos irreversível, eu posso falar até porque nasci e me criei aqui!É triste você ver um rio que era tão limpo hoje feder carniça.Ano passado secaram o Rio na seca agente ficou por más de mês sem ÁGUA na Fazenda,com muito trabalho agente correndo atrás eles soltaram a ÁGUA. Agora já tem (2MÊS) sem Água por causa da contaminação do derrame de rejeito no Rio sem tratamento! Já os procuramos várias vezes vieram ver a situação incontestável e sem nem uma condição do uso da água disseram que iriam solucionar o problema, o más rápido possível e até hoje nada. Até o motor a diesel que temos permanente no Rio agente tirou porque não tem a mínima condição de usar uma água dessa nem se quer pra lavar roupa. Obs. Não podemos esquecer que barragem de rejeito tem um tempo pra ser usada e depois descartada e vai ficar aí sem nem um tratamento. Como eu disse no começo a BARRAGEM foi feita no leito do Rio BEZERRA. Que não tão longe assim desagua no Rio PARANÁ.

    ResponderExcluir