sábado, 30 de junho de 2018

Timaço: Brasil, campeão da Copa de 1958



Há exatos 60 anos (29/6/1958), esse timaço encantou o mundo e conquistou, na Suécia, a primeira Copa para o Brasil. 

Na foto, Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Orlando e Gilmar. Garrincha, Didi, Pelé, Vavá, Zagallo e o massagista Mário Américo.

Transmissão ao vivo: UPA de Campos Belos é inaugurada







Comunidade de Campos Belos faz abaixo-assinado para implantação do curso de Enfermagem na UEG



O diretor do Campus da Universidade Estadual de Goiás em Campos Belos (GO), Adelino Machado, está correndo um abaixo-assinado, a fim de conseguir apoio e legitimidade para a implantação do curso de Enfermagem em Campos Belos.

Nesta sexta-feira (29), ele conseguiu um importante apoio do Diretor do IF Goiano em Campos Belos,  Fabiano Arantes.

E você, já deu seu apoio?

Este Blog, ciente da importância da implantação do curso na cidade e do quanto a comunidade será muitíssimo beneficiada, apoia integralmente a iniciativa e vai fazer gestões políticas em Brasília, junto a deputados e senadores goianos, para ajudar na viabilização da implantação.  

Sefaz publica edital para auditor fiscal com salário de R$ 20.940 em Goiás


Secretaria da Fazenda do Estado de Goiás (Sefaz-GO) publicou, na quinta-feira (28), edital de concurso auditor fiscal no estado com salário de R$ 20.940,62. 

São 27 vagas para ampla concorrência e uma para pessoas com deficiência.

Conforme o documento, as inscrições custam R$ 200. 

As oportunidades são para candidatos com ensino superior completo.

As inscrições devem ser feitas pelo site da Fundação Carlos Chagas entre os dias 26 de julho e 24 de agosto deste ano.

Os candidatos precisam emitir ainda a comprovação do cadastro e pagamento da inscrição, também disponível no site da instituição.

A seleção ocorre por meio de prova objetiva e análise de títulos. 

A previsão do edital é que o resultado seja publicado no site da fundação até o dia 31 de janeiro de 2019.

Fonte: G1

Doze cidades do Nordeste Goiano estão entre as 50 menos desenvolvidas de Goiás. Monte Alegre (GO) ocupa a última posição





Um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), divulgado na última quinta-feira (28/6), avaliou o Índice de Desenvolvimento Municipal das cidades brasileiras. 

Em Goiás, a primeira da lista é Chapadão do Céu, que ocupa o 72º lugar no ranking nacional.

Na outra ponta da lista está o município de Monte Alegre de Goiás: o mais mal avaliado do estado. 

Na 241ª posição, Monte Alegre teve índice de 0,5383. Logo em seguida está o município de Montividiu do Norte com índice de 0,5504.

Na 239ª colocação está a cidade de Mambaí, com índice de 0,5678, precedida por Teresina de Goiás, em 238º lugar, e a cidade de Baliza, na 237ª colocação.

Com índice de 0,5724, a cidade de Padre Bernardo está no 236º lugar precedido de São Domingos na 235ª colocação, de Cavalcante na 234ª, Divinópolis de Goiás na 233ª, Goianápolis na 232ª, Aragoiânia na 231ª, Mutunópolis na 230ª e Santa Cruz de Goiás no 229º lugar.

Campos Belos está  numa situação "melhorzinha" e ocupa a posição 169 no estado, com índice de 0,6697.

Ainda integram a lista das 50 cidades menos desenvolvidas do estado, os municípios de: 

Nova Crixás, Santo Antônio do Descoberto, Niquelândia, Bom Jardim de Goiás, Campinorte, Jesúpolis, Petrolina de Goiás, Novo Gama, Moiporá, Cezarina, Simolândia, Bonfinópolis, Águas Lindas de Goiás, Nova Roma, Guarinos, Posse, Cidade Ocidental, Araguapaz, Mimoso de Goiás, Colinas do Sul, Damianópolis, Uirapuru, Trombas, 

São Miguel do Passa Quatro, Santa Isabel, Faina, Americano do Brasil, Água Fria de Goiás, Cachoeira de Goiás, Britânia, São João da Paraúna, Cocalzinho de Goiás, Alvorada do Norte, Novo Planalto, Serranópolis, Leopoldo de Bulhões, Aragarças e Cabeceiras.

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) 2018 adota uma escala que vai de 0 a 1 e divide as cidades em quatro categorias: 

baixo desenvolvimento (de 0 a 0,4), desenvolvimento regular (0,4 a 0,5), desenvolvimento moderado (de 0,6 a 0,8) e alto desenvolvimento (0,8 a 1). O índice da capital Goiânia foi de 0,817. A análise é feita com base em três indicadores: Emprego e Renda; Educação e Saúde.




Nordeste Goiano discute responsabilidade ambiental




Os representantes de 26 municípios da Região do Nordeste Goiano, que integram a Biosfera do Cerrado, se reuniram ontem (29), no município de São João D'Aliança.

Eles discutiram as responsabilidades cabíveis a cada um nas ações que integram o Programa de Desenvolvimento Sustentável da Biosfera do Cerrado, da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O encontro, realizado na Câmara Municipal da cidade, foi promovido pela Prefeitura de São João D´Aliança com o apoio do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento (SED) e da Unesco.

Na programação, destacou-se a palestra do secretário Nacional de Articulação Social da Presidência da República e secretário executivo da Comissão Nacional da Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Henrique Villa da Costa Ferreira. 

Ele falou sobre os 17 objetivos para o desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 publicada pela Unesco e também dos programas de desenvolvimento sustentável propostos para a região do Nordeste Goiano.

Segundo a superintendente de Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Tecnologia da Informação da SED, Jacqueline Vieira, esse encontro tem por meta a mobilização do território para o tema da sustentabilidade ambiental e econômica e suas potencialidades nas práticas de desenvolvimento sustentável com ações concretas de geração de emprego e renda a partir da abordagem da Unesco.

A SED trabalha no mapeamento dos programas e ações desenvolvidos no território da Reserva da Biosfera do Cerrado a partir do município de Alto Paraíso de Goiás. 

A cidade foi escolhida como piloto para a implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) em território goiano.

Fonte: Governo de Goiás

Bombeiros realizam palestra instrutiva para os servidores do Vapt Vupt de Posse (GO)


A Companhia Independente Bombeiro Militar de Posse, no nordeste goiano, realizou, na última quinta-feira (28), palestra instrutiva sobre primeiros socorros e combate a princípios de incêndios para servidores do Vapt Vupt/Posse.

A palestra, ministrada pelo Soldado Genilton, apresentou os principais conteúdos em matéria de primeiros socorros, utilização/manuseio de extintores e evacuação em caso de incêndio. 

Foi trabalhado em seguida a prática dos procedimentos adequados em cada ocorrência.

Homem é preso por tráfico de drogas e falsidade ideológica em ônibus que seguia de Barreiras/BA para Divinópolis de Goiás


Durante abordagens a veículos nas proximidades da rodoviária de Barreiras (BA) foi abordado um ônibus da empresa Real Maia que saía com destino a Divinópolis de Goiás, na tarde da última quinta-feira (28).

Ao verificar a bagagem dos passageiros, foi três 
tabletes de maconha , que foram encontrado em uma mochila e um saco pequeno com uma quantidade de substância aparentando ser cocaína além de pertences pessoais e documentos pertencentes a um homem.

O rapaz identificado como dono do material confessou que aquele documento era de outra pessoa e estava sendo utilizado para não ser reconhecido pelas forças policiais, pois já tinha diversas passagens pela delegacia de Barreiras por tráfico, roubo e associação ao tráfico.

Após o flagrante, ele foi conduzido para a Delegacia de Barreiras, onde foi feito o lavramento do auto de flagrante delito pelos crimes de tráfico de drogas e falsidade ideológica.

Fonte: Polícia Militar de Barreiras/RONDESP

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Virada do Cerrado: Planaltina recebe blitz educativa de prevenção dos incêndios florestais nesta sexta



Nesta sexta-feira (29) a Secretaria de Meio Ambiente do Distrito Federal (SEMA-DF), em parceria com os órgãos que fazem parte do Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PPCIF), e a Secretaria de Saúde do DF, realiza a quarta Blitz Educativa de 2018. 


A Blitz faz parte das atividades da Virada do Cerrado, em Planaltina.

A mobilização acontecerá das 08h às 12h na BR 020, KM 21- Planaltina, Sentido Formosa (Ao lado do Posto Itiquira), região próxima a Estação Ecológica Águas Emendadas. 

O objetivo é alertar os moradores sobre os perigos da queima de lixo e resto de poda, principais causas de incêndios na região.

A Secretaria de Saúde participará desta atividade distribuindo material educativo sobre medidas de prevenção da dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti.

“Temos que cuidar da manutenção e proteção dos recursos hídricos e da biodiversidade do Cerrado que existem na estação. 

Infelizmente ela é um dos lugares mais suscetíveis a incêndios devido ao fogo descontrolado ateado em entulhos, por isso foi escolhida como ponto de Blitz”, explicou Carolina Shubart, assessora técnica da SEMA-DF.

Quase 100 pessoas entre servidores da Secretaria de Meio Ambiente, Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), Jardim Botânico de Brasília (JBB), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Marinha do Brasil, Força Aérea Brasileira, Corpo de Bombeiros Militar do DF, além de alunos de escolas públicas do DF participam da ação dando informações e orientações com distribuição de folder’s, cartilhas e almanaques.

De acordo com o PPCIF, todos esses órgãos compõe o grupo executivo coordenado pela SEMA-DF.

Qualquer cidadão que vir um início de queimada ou incêndio pode ligar e chamar socorro pelos telefones:

162 – Ibram

193 – Bombeiros

190 – Polícia Militar

39101965 – Batalhão da Polícia Militar Ambiental

32074856 – Delegacia do Meio Ambiente

quinta-feira, 28 de junho de 2018

Julio da Retífica destina R$ 70 mil para campos Belos, em equipamentos hospitalares



O deputado estadual Julio da Retífica (PTB/GO), primeiro-secretário da Assembleia Estadual de Goiás, destinou mais de R$ 70 mil reais para o município de Campos Belos, em equipamentos hospitalares.


Com a verba do orçamento estadual, o parlamentar comprou e mandou para o hospital público do município dois desfibriladores cardioversor, um monitor paciente, quatro monitores doppler, um concentrador de oxigênio e três aspiradores. 

Segundo a assessoria do deputado, todos os esquipamentos foram entregues e já estão em funcionamento.

Condomínios podem proibir moradores de decorar prédios com enfeites da seleção brasileira



Em clima de Copa do Mundo, os brasileiros querem torcer junto com a seleção pelo título do Hexacampeonato. 

As ruas enfeitadas, carros, casas e apartamentos decorados estão por todos os lados das cidades. 

Contudo, quem mora em prédio precisa se lembrar que existe um regulamento interno e que ele, geralmente, não permite alterar a fachada do edifício, usar cornetas e soltar foguetes. Alguns condomínios no Distrito Federal, inclusive, já proibiram o uso de itens de torcida.

Todos sabem que os barulhos excessivos em dia de jogo podem causar discórdia entre os vizinhos. 

Mas segundo o diretor-geral da JR Office, o consultor condominial Dr. Condomínio Aldo Junior, as normas existem e devem ser cumpridas. No entanto, tudo pode ser resolvido, muitas vezes, com uma boa conversa. 

“É uma questão de bom senso. Estamos em uma época festiva, que as pessoas querem comemorar, torcer, um período passageiro, que vai passar”, argumenta o consultor. “Em muitas situações, um bom diálogo do síndico com os moradores pode evitar desconfortos e atritos desnecessários”, completa.

Uma boa solução pode ser uma reunião entre o síndico e os moradores para decidirem como o prédio deverá se comportar durante os jogos da Seleção Brasileira.

Apesar de ser um período passageiro, o Dr. Condomínio lembra que o respeito deve vir sempre em primeiro lugar. “Mesmo que exista tolerância em relação aos enfeites que alteram a fachada de um edifício, por exemplo, os moradores precisam procurar não exagerar com os barulhos de cornetas, apitos e outros objetos barulhentos. 

A comemoração é válida, mas sempre se lembrando que existe outra família morando na porta ao lado”, alerta o consultor.

Sobre dr. Condomínio 

O dr. Condomínio, Aldo Junior, é diretor-geral da JR Office Assessoria Condominial e se tornou conhecido pela vasta experiência em gestão condominial, palestrante renomado sobre temas condominiais em todo o País. 

Ele estudou Direito, é contabilista, consultor condominial há 30 anos, coordenador-geral e promotor de grandes eventos nacionais como a Unasíndico e o ciclo de palestras condominiais. 

Ele também é colunista da Franquia Nacional do Jornal do Síndico em 23 estados, dos portais Síndiconet e Universo Condomínio. Em Brasília, Aldo é editor-geral da Folha do Síndico DF.


Sobre a JR Office: a JR Office Assessoria Condominial com sua inteligência em serviços condominiais foi fundada em 1988, em Brasília, e tem 29 anos de experiência exclusivamente na área condominial. 

O grupo, que tem sede no SIA Trecho 4 e filial em Águas Claras, atende tanto condomínios residenciais, comerciais e abrange dois pilares de sustentação da administração condominial: transparência na prestação de contas e eficiência na cobrança.

Google Earth ganha ferramenta para medir distâncias, áreas e perímetros




O Google Earth foi atualizado e ganhou uma ferramenta bem interessante para medir distâncias, áreas e perímetros. 

Agora, é possível usar o serviço da Google para descobrir quantos quilômetros separam dois pontos em todo o globo ou então as dimensões de prédios e praças visualizados na tela.

Chamada de Medir Distância, ela trabalha de maneira simples e basta selecioná-la na aba lateral do Earth e, depois, clicar sobre dois pontos. 

Feito isso, um quadro no canto superior direito da tela aparece indicando a distância.

Se continuar clicando e selecionar uma área fechada, ele mostra a área e o perímetro da seleção. 

Fazendo isso em torno de praças e prédios, ou mesmo de bairros ou cidades inteiras, é possível descobrir mais informações sobre os seus lugares de interesse ou mesmo a respeito da região onde você mora.


A novidade está disponível a partir de hoje para quem acessar o Google Earth no Chrome e chega ainda nesta semana para o Android. 

Usuários do iOS terão que esperar mais um pouco: a Google confirmou a chegada do recurso na plataforma da Apple, mas sem informar um data específica (“chega em breve”, afirma a companhia).

Fonte: TecMundo

Combate às drogas: Proerd forma 200 alunos em Campos Belos (GO)




No último dia 26, ocorreu a formatura do Programa Educacional de Resistência as Drogas (Proerd) em Campos Belos.

O programa é uma parceria entre Polícia Militar, família e as escolas


Na cidade, cerca de 200 alunos, de várias escolas públicas, se formaram.

O curso teve a duração de quase três meses e foi ministrado pelo instrutor Soldado J.Santos, com apoio da Prefeitura Municipal e a Secretária de Educação.

O Proerd consiste num esforço cooperativo estabelecido entre a Polícia Militar, a Escola e a Família, tendo objetivo ensinar aos estudantes boas estratégias de tomada de decisão para ajudá-los a desenvolver habilidades que os permitam conduzir suas vidas de maneira segura e saudável.

E construir um mundo no qual os jovens de todos os lugares estejam capacitados para respeitar os outros e para escolherem conduzir suas vidas livre do abuso de drogas, da violência e de outros comportamentos perigosos.


Os objetivos específicos do programa incluem: 


Desenvolver nos jovens estudantes habilidades que lhes permitam evitar influências negativas em questões afetas às drogas e violência, promovendo os fatores de proteção.

Estabelecer relações positivas entre alunos e policiais militares, professores, pais, responsáveis legais e outros líderes da comunidade escolar.


Permitir aos estudantes enxergarem os policiais militares como servidores, transcendendo a atividade de policiamento tradicional e estabelecendo um relacionamento fundamentado na confiança e humanização.


Estabelecer uma linha de comunicação entre a Polícia Militar e os jovens estudantes.


Abrir um diálogo permanente entre a "Escola, a Polícia Militar e a Família", para discutir questões correlatas à formação cidadã de crianças e adolescentes.




quarta-feira, 27 de junho de 2018

Aurora do Tocantins, mais um paraíso escondido no Brasil







Por Luisa Galiza,

A cidade Aurora do Tocantins, município situado na região sudeste do Tocantins, está a 486 km de Brasília e a 530 km de Palmas.


Para quem sai de Brasília, é só seguir sentido Chapada dos Veadeiros e para quem sai de Palmas, é descendo o estado pela BR 010. 

Recebeu o nome de Aurora por conta da Serra Geral que a circunda, fazendo com que o sol dê suas caras mais tarde ao mesmo tempo em que amanhece com uma luz única. 

O município é pequeno, está a uma altitude de 468 metros e a população estimada é de 3.550 habitantes.

Acredito que a maioria nunca ouviu falar a respeito! Pois bem, então veja o que Aurora do Tocantins tem para te oferecer!Lá está o Rio Azuis, o menor rio do país, segundo o Guinness Book, com extensão de 147 metros.

De uma beleza indescritível, tem água totalmente cristalina, características de muitos locais incríveis no Tocantins. 

Lá estão também mais de 200 cavernas catalogadas, além de cachoeiras, corredeiras e dunas. Da região emergem fósseis da fauna grandiosa da Idade do Gelo.

Ursos e tatus gigantes, onças maiores do que as atuais, parentes de lhamas e camelos, parecendo personagens de desenhos animados. 

Animais desaparecidos há milênios, cujo estudo promete iluminar cenários do futuro dos ecossistemas brasileiros, em tempo de mudança climática.

Junto aos fósseis de animais, cientistas descobriram vestígios humanos, como dentes e pinturas rupestres.

Ainda à espera do resultado da datação, esses dentes podem ser alguns dos mais antigos registros humanos do país, testemunhos de capítulos desconhecidos do povoamento das terras que hoje formam o Brasil.

Sem falar no clima da cidade do rincão do Brasil, calma, pessoas nas portas vendo a vida passar, galinha caipira no almoço, cachaça curtida, carne fresca e brisa no rosto.

Dá para perceber o quão incrível é essa região e o quanto temos para explorar por lá. Quem tem me acompanhado no Instagram, tem visto o quanto amo conhecer novos lugares por esse Brasil.

Aurora do Tocantins foi um desses que eu nem tinha ouvido falar, nem sabia da existência. Até que o pessoal dos Calangos do Planalto, grupo de turismo de aventura de Brasília, resolveu divulgar a expedição no carnaval. Era o momento certo, para o lugar certo e com o grupo certo!

Os Calangos do Planalto já exploram o ecoturismo do DF, entorno e regiões adjacentes, há 20 anos. 

A ideia do grupo surgiu em prol da qualidade de vida, contato com a natureza e experiências ao ar livre em lugares paradisíacos e alternativos.

Nesses anos, o grupo tem focado no lazer, esporte e aventura junto à natureza, com uma equipe de profissionais especializados e experientes na área.


As viagens e imersões incluem todo o planejamento e roteiro, com equipamentos, material de segurança e informações a respeito de cada lugar explorado. 

Oferecem atividades para os amantes da adrenalina e também para os inexperientes que tem interesse em superar limites e melhorar o condicionamento.

Já conheço o grupo há uns bons anos e já fiz diversas atividades com eles. 


Os Calangos já me apresentaram tantos paraísos escondidos, que sou muito grata às experiências que já me proporcionaram. Sem falar na dose de humor e simpatia da equipe que cativa qualquer um que goste de natureza e boas companhias.

Para você que é de Brasília ou pretende visitar a região, fique de olho na agenda deles, pois todo mês tem atividades por aqui!









Leia a matéria na íntegra em "Leve na Viagem"

Fonte e texto: Leve na viagem 

terça-feira, 26 de junho de 2018

Luziânia (GO) está entre as cidades mais violentas do Brasil


Luziânia está entre as 20 cidades brasileiras com mais homicídios no Brasil. Segundo o último Atlas da Violência, divulgado este mês, a cidade do Entorno do Distrito Federal (DF) teve uma taxa de 84,8 assassinatos a cada 100 mil habitantes, ficando na 14ª posição do ranking nacional. 

Os dados são de 2016, os mais recentes do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), fonte considerada mais confiável por especialistas. Outras duas cidades goianas que apareceram nesse mesmo ranking foram Senador Canedo na 37ª posição e Formosa na 45ª. 

Estatísticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO) mostram queda no número de homicídios depois de 2016.

Luziânia é a quinta cidade mais populosa de Goiás, com cerca de 119 mil habitantes, e teve um crescimento urbano desordenado desde a criação de Brasília, tendo sido desmembrada em novos municípios no final do século passado, como Novo Gama e Valparaíso. 

“É uma cidade espalhada”, descreve o promotor Ricardo Rangel, da promotoria de homicídios de Luziânia. 

Ele cita como exemplo a região do Jardim do Ingá, periferia da cidade que chega a fazer divisa com outros municípios, de tão longe que é da região central. “A maioria dos homicídios acontecem naquela região”, aponta o promotor, destacando que a área tem maior carência.

Titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) em Luziânia, o delegado Maurício Passerini diz que a maior parte dos homicídios da cidade são motivados por desavenças entre grupos criminosos que acabam gerando novas mortes em situações de vingança. 

“São grupos pequenos, não necessariamente ligados ao tráfico, mas a roubos e assaltos a ônibus também”, conta.

O delegado cita como exemplos casos de dívida de drogas, traições internas dentro desses grupos e até desentendimento na divisão de produtos roubados entre os criminosos. Ele também define Luziânia como uma “cidade espalhada”. “Parece que cada bairro é uma cidadezinha dentro da cidade.”

Problema social

O Atlas da Violência revela que ao mesmo tempo que Luziânia se destaca no índice criminal, ela também se sai mal em índices sociais. 

A cidade tem o 19º pior atendimento educacional para crianças de até três anos de idade e é a 29ª com maior porcentagem de adolescentes que engravidaram (veja quadro). 

“A desigualdade social é um fator muito relevante”, diz a socióloga Nájla Franco Frattari, que é pesquisadora do Núcleo de Estudos Sobre Criminalidade e Violência da Universidade Federal de Goiás (Necrivi).

Frattari defende que o aumento de homicídios pode ser explicado por vários fatores e não apenas pelo tráfico de drogas, que seria uma explicação simplista dada frequentemente.

“O tráfico se insere em territórios vulneráveis. Sem oportunidade, jovens são cooptados pela criminalidade. São territórios onde a própria Secretaria de Segurança Pública se faz pouco presente, a não ser com ações pontuais de repressão”, diz.

No início do ano passado, o então governador Marconi Perillo (PSDB) chegou a pedir para o Ministério da Justiça apoio da Força Nacional em Luziânia, mas mudou de ideia poucos dias depois e decidiu enviar força especiais do Estado para a cidade. 

Uma unidade das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) foi instalada no município.

A ação coincide com o aumento de mortes por intervenção policial, que passaram de uma em 2016, para sete em 2017, segundo dados da SSP-GO.

Fonte: O Popular

Funerária é condenada por usar táxi para transportar caixão


Uma funerária de Araguaína, na região norte do Tocantins, foi condenada a pagar R$ 4 mil em indenização por falhas na prestação do serviço de organização de um velório em outubro do ano passado.

A decisão é do juiz Rubem Ribeiro de Carvalho, do Juizado Especial Cível de Palmas.

De acordo com o processo, o autor da ação contratou a empresa para fazer o traslado do corpo do pai até Palmas e prestar toda a assistência na realização do velório.

A família, porém, for surpreendida pela chegada do corpo em um táxi, sem a presença de um responsável pela funerária e a devida estrutura para a realização do velório, como suporte para o caixão e demais itens para organização do ambiente.

Diante da situação, os parentes do falecido tiveram que contratar serviços extras, no local, para viabilizar uma despedida digna ao membro da família.

No entendimento do juiz Ruberm Ribeiro, apesar da afronta aos direitos de personalidade não ter se dado em decorrência da forma em que o corpo foi transportado, tendo em vista que não há comprovação de violação ou deterioração no caixão, ficou comprovado que houve falha da empresa quanto à informação acerca do serviço prestado e quanto às providências mínimas para que o velório ocorresse com a dignidade que o momento exige.

"Por mais que a requerida sustente que o autor detinha conhecimento dos limites da contratação, tendo em vista que a sede da funerária está situada em outra cidade, não há nos autos provas de que a requerida cumpriu seu dever de informação junto ao consumidor a esse respeito, mesmo porque diante do relevante valor da contratação é inesperado que o serviço funerário seja prestado sem o atendimento mínimo das necessidades exigida pela situação enfrentada, especificamente o suporte para apoio do caixão", explicou o magistrado.

Na decisão, o juiz condenou a funerária a pagar R$ 4 mil a título de compensação por dano moral e R$ 350,00 em ressarcimento aos gastos extras que o autor da ação arcou para realizar o velório do pai.


Fonte: TJTO

Radiografia da suplementar por região mostra força do interior profundo do Tocantins


Por Cleber Toledo,
O fenômeno que mais marcou o segundo turno da eleição suplementar do Tocantins foi a revoada de líderes assim que o primeiro turno se fechou mostrando uma frente de mais de 46 mil votos para o governador eleito Mauro Carlesse (PHS). 
Com o volume de campanha que imprimiu, com enormes carreatas e grandes comícios, o senador Vicentinho Alves (PR) chegou a anunciar o apoio de 95 dos 139 prefeitos tocantinenses (68,3% do total), centenas de vereadores e muitos líderes importantes.
Assim que terminou o primeiro turno, fortalecido com o resultado, Carlesse começou a receber a grande maioria esses líderes em sua campanha. 
O episódio mais folclórico dessa migração foi o sincericídio do prefeito de Darcinópolis, Jackson Soares (PTB), um dos que trocaram Vicentinho pelo agora governador eleito. 
Num vídeo gravado por ele mesmo, Soares disparou: “Prefeito não pode ir para o lugar que perde”.
O petebista é um exemplo da força do líder na decisão do voto no interior profundo do Tocantins. 
Cidade do Bico do Papagaio, com 3.861 votos, Darcinópolis, sob a liderança de seu prefeito, deu vitória a Vicentinho no primeiro turno, com 39,19% dos votos válidos contra 20,13% para Carlesse, que ficou atrás de Carlos Amastha (PSB), com 23,21%.
Com a decisão de Jackson Soares de mudar de lado e apoiar Carlessse, o eleitorado o acompanhou e o governador eleito ficou com 88,9% dos votos válidos, restando a Vicentinho, o ex-aliado do prefeito, apenas 11,06%. 
A votação do republicano caiu de 915 para 227 (-75,2%) e a do governador saltou de 470 para 1.825 (+288,3%).
Um levantamento da coluna sobre os votos por microrregião deixa claro como o eleitorado acompanhou a decisão da liderança de trocar de candidato. 
Isso fica ainda mais evidente nas três regiões em que Vicentinho venceu todos os demais candidatos no primeiro turno. O republicano liderou no dia 3 de junho nas microrregiões do Jalapão, Miracema e sudeste.
No Jalapão, Vicentinho terminou o primeiro turno com 25,4% dos votos totais da região contra 15,9% para Carlesse. 
Neste segundo turno, o republicano viu sua votação cair de 32,4% — de 13.019 para 8,8 mil, enquanto a do governador eleito cresceu 150,7% — de 8.166 para 20.469.
Na microrregião de Miracema, Vicentinho encolheu 28,4% — de 16.681 votos no primeiro turno para 11.946 no segundo. Já Carlesse avançou 148,3% — de 14.833 para 36.837votos.
No sudeste, o recuo foi menor, de 19,3% — de 15.420 para 12.439 votos. No entanto, a região em que Carlesse mais cresceu, 164,3%, de 10.568 para 27.903 votos.
Além dessas três, Vicentinho ainda viu seus votos minguarem na microrregião do Rio Formoso, que compreende o colégio de Paraíso. Lá a redução foi de 9,1%, de 11.451 para 10.408 votos. 
Carlesse cresceu 96% nessa região, de 13.658 para 26.770.
Vicentinho cresceu na microrregião dos dois maiores colégios eleitorais do Tocantins, Palmas e Araguaína, ainda que tenha perdido. 
Na Capital, o republicano avançou 20,03%, de 20.338 para 24.411 votos. Carlesse, porém, foi bem mais adiante, com alta de 124,8%, de 40.077 para 90.094 votos.
Na microrregião de Araguaína, o republicano aumentou sua votação em 29,9%, de 18.503 para 24.033. Já Carlesse, conquistou 60,3% a mais de votos do que no primeiro turno, de 37.838 para 60.654.
É claro que outros fatores pesam na decisão do voto, sobretudo tudo nas cidades maiores, como a posição de Vicentinho em relação ao governo Temer e temas polêmicos votados pelo Congresso, como a reforma trabalhista. 
No entanto, quanto mais se adentra o interior, mais fica claro a força dos líderes na decisão do voto.
Em Dois Irmãos, com o apoio do prefeito Wanilson Valadares (PV), Vicentinho ficou em segundo lugar no primeiro turno, mas muito próximo da senadora Kátia Abreu (PDT). 
Foram 820 votos para o republicano (34,21% dos votos válidos) contra 885 para a pedetista (36,92%). Carlesse fez apenas 231 votos (9,64%).
Porém, o prefeito Wanilson mudou de lado e apoiou o governador no segundo turno. 
Com isso, Carlesse saltou para 1.820 votos (82,88% dos votos válidos) e Vicentinho recuou para 376 (17,12%).
A prefeita Isabela Simas (MDB), de Araguacema, também apoiou Vicentinho no primeiro turno e garantiu vitória ao republicano, que teve 1.109 votos (42,18%) contra 914 para Carlesse (34,77%). 
Com o desembarque de Isabela, a votação de Vicentinho caiu 83,9%, a apenas 179 (7,33% dos válidos), ante um crescimento de 147,7% de Carlesse, que foi a 2.264 .
Ronaldo Parente (PSDB) é outro que estava com Vicentinho, mas trocou de apoio no segundo turno. No dia 3 de junho ele deu 1.407 votos ao republicano (49,26% dos válidos) e Carlesse tinha conseguido só 213 votos (7,46%). 
No segundo turno, porém, com o prefeito Ronaldo, o governador deu um salto de 825,4% e chegou a 1.971 votos (80,61%). O republicano despencou 66,3%, com 474 votos (19,39%).
São dezenas de exemplos como esses que só confirmam a tese que a coluna defendido há quase dois anos: 
sem a força dos líderes do interior profundo do Tocantins não se ganha eleição de governador. Os caciques locais têm a capacidade de carregar os votos para onde quer que vão.
Os casos em que os caciques permaneceram com Vicentinho confirmam essa tese. 
Em Sítio Novo, no Bico, o ex-prefeito Jair Farias (PR) é um dos líderes mais expressivos de toda a região e se manteve fiel ao republicano, que no primeiro turno tinha conquistado 2.380 votos na cidade (53,33% dos válidos) contra 171 para Carlesse (3,42%). 
No segundo turno, o governador cresceu significativamente e foi a 2.205 votos (46,67%), atraindo muitos líderes para a campanha dele. Contudo, com a força de Jair Farias, Vicentinho até ampliou um pouco a votação para 2.520 (53,33%) e venceu.
Outro exemplo do poder dos líderes que não mudaram de lado é Brasilândia, onde o principal cacique é o ex-prefeito João Emídio (MDB). No primeiro turno, ele deu vitória folgada a Vicentinho com 554 votos (58,01% dos válidos) contra 161 para Carlesse (16,86%). 
No segundo turno, o governador cresceu também com a força da oposição na cidade e foi a 403 votos (41,38%), mas ainda assim perdeu para Vicentinho, que ampliou para 571 votos (58,62%).
Nos grandes centros há um voto mais independente, mas bastante fragmentado. São fundamentais, mas votos os decisivos vêm dos pequenos colégios eleitorais.
Assim, quem quiser disputar as eleições de outubro de forma competitiva não terá outro caminho que não seja tentar ganhar musculatura com o apoio da liderança das cidades menores.
Isso não é bom para a necessidade de renovação política do Tocantins, mas ainda é uma realidade irrefutável.
Confira a seguir as tabelas da distribuição de votos e abstenções por microrregião:

Fonte: CT

Maioria dos casais não dá acesso a detalhes financeiros um do outro, revela estudo


Por Lívia Pulchério, 


Nada demonstra melhor a frase “o que é meu é seu” em um casamento do que abrir uma conta conjunta no banco, especialmente se um dos cônjuges recebe muito mais do que o outro. 

No entanto, de acordo com pesquisa realizada na Inglaterra com mil pessoas comissionadas pela empresa Prudential, grande parte dos casais atualmente guardam segredos um do outro quando o assunto é finanças.

Segundo o estudo, mais de 50% dos entrevistados disse não saber o salário do cônjuge e um número similar afirma esconder a existência de cartões de créditos e empréstimos pessoais. O estudo revela uma mudança no comportamento entre casais.

Nos anos 1970 e 1980, contas conjuntas passaram a ser cada vez mais comuns com a entrada das mulheres no mercado de trabalho. Agora, é possível que os casais, apesar de dividirem vários aspectos de suas vidas, prefiram manter certa independência quando o assunto é dinheiro.

“As mulheres do século XX conquistaram suas autonomias, investiram em suas formações acadêmicas e, assim, alcançaram sua independência. Elas exercem profissões que eram de exclusividade dos homens, como nas áreas da Informática e das Engenharias. 

Para muitas delas a própria maternidade foi protelada para após as realizações profissionais”, explica o psicólogo do Centro Universitário Internacional Uninter, Ivo Carraro.

O estudo mostra que os homens que revelaram esconder dinheiro tinham mais propensão de fazê-lo para realizar gastos pessoais com entretenimento e saídas sem a parceira, enquanto mulheres alegaram que faziam reservas, em sua maioria, para casos de haver um rompimento no relacionamento, como um fundo de reserva.

Outra explicação do especialista é que o conceito de amor também mudou. “No século XXI, as pessoas pensam que já são completas por si sós. 

As disfunções conjugais ocorrem com mais frequência, daí a individualidade financeira apontada nos estudos dos casais”.

Uma nova pesquisa realizada pela empresa britânica de seguros de vida, Direct Line Life Insurance, mostra que um a cada cinco britânicos, tem um parceiro que não sabe detalhes financeiros sobre valores de pensão relacionados à aposentadoria. 

Ainda, quase uma pessoa casada em cada cinco nega ao parceiro acesso a poupanças, aumentando para 28% quando considerado pessoas em uniões estáveis como um todo. 

O estudo mostra que 16% das pessoas casadas não dão acesso a detalhes de cartão de crédito os seus companheiros, número que sobe a 27% quando considerado casais em uniões estáveis.

Conselho Tutelar de 26 municípios do Tocantins, entre eles Arraias, Paranã e Peixe, ganham carro zero quilômetro


Gestores de 26 municípios do Tocantins vão receber, nessa terça-feira, 26, kits para conselhos tutelares. 

O evento ocorrerá às 14h no estacionamento do Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, em Palmas/TO. 

O senador Ataídes Oliveira (PSDB/TO), que garantiu recursos e intermediou a aquisição dos kits junto ao governo federal, fará a entrega dos equipamentos. 

Ataídes já conseguiu 52 kits de conselhos tutelares do Tocantins, em 2015, foram adquiridos outros 26.

Programa da Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Ministério de Direitos Humanos, o Kit inclui um carro zero quilômetro (Citroën Aicross 2018), cinco computadores, um refrigerador, um bebedouro e uma impressora multifuncional.

Os equipamentos serão de grande importância para os conselhos tutelares do Tocantins, que atuam com crianças e adolescentes que tiveram direitos violados ou estão em situação de vulnerabilidade. 

Muitos dos 122 conselhos existentes no Estado trabalham sob condições precárias, sem estrutura e equipamentos adequados para dar atenção aos menores, principalmente nos pequenos municípios.

Os municípios contemplados são: Aliança do Tocantins; Alvorada; Araguaçu; Arraias; Babaçulândia; Brejinho de Nazaré; Cachoeirinha; Caseara; Centenário; Cristalândia; Colinas do Tocantins; Darcinópolis; Formoso do Araguaia; Gurupi; Ipueiras; Lagoa da Confusão; 

Natividade; Nova Rosalândia; Palmeiras do Tocantins; Paranã; Peixe; Pindorama; Pium; São Bento do Tocantins; Sucupira e Talismã.

Está chegando: Expoagro de Campos Belos começa dia 11, com Mano Walter e Naiara Azevedo



Treze anos: 13ª Cavalgada da Canabrava (TO) ocorre no dia 7 de julho


Superior Tribunal Militar implanta processo judicial eletrônico em todas as unidades da Justiça Militar


O Superior Tribunal Militar (STM) concluiu na terça-feira (26) o calendário de implantação do processo judicial eletrônico (e-Proc/JMU) em todas as Auditorias da Justiça Militar da União do Brasil, após sete meses de trabalho intensivo.

A cerimônia que marcou o sucesso do projeto ocorreu na abertura da sessão de julgamento de terça-feira e foi transmitida por videoconferência para as demais auditorias. 


Na ocasião, o sistema foi definitivamente implantado na última unidade da primeira instância, a Auditoria de Santa Maria (RS).

Ao abrir a sessão solene, o presidente do STM, José Coêlho Ferreira, afirmou que a conclusão do projeto representa a concretização de mais uma meta expressa em seu discurso de posse, em março de 2017. 

“Vivenciamos um momento histórico na Justiça Militar da União, do qual o e-Proc/JMU é um ícone significativo das mudanças de paradigmas por que passamos. Uma vitória conquistada por todos nós!”

O presidente do STM falou de seu orgulho pelo empenho de todos os servidores, juízes e ministros na conclusão de um verdadeiro desafio: pôr em prática um projeto inovador, com um cronograma rígido e em um curto espaço de tempo.

“O e-Proc está trazendo grandes benefícios à Justiça Militar em termos de maior celeridade e transparência na tramitação e julgamento de processos, bem como já tem demonstrado haver maior produtividade, com melhor rendimento na execução das atividades judicantes”, declarou o ministro José Coêlho. 

“Implica em mudanças para melhor na forma de trabalhar, que é muito mais eficiente e racional, para magistrados, servidores e demais operadores do Direito que atuem na Justiça Militar da União.”

Ao final de sua fala, o presidente do STM refletiu sobre o que chamou das lições aprendidas no decorrer do processo. Em primeiro lugar, a importância de sonhar e agir para “tornar nossos sonhos possíveis”; 

segundo, o trabalho em equipe e a união de todos em torno de um objetivo comum foi fundamental para o êxito do trabalho; e, por último, lembrar que a JMU dispõe de profissionais com grande capacidade técnica e comprometidos com a instituição.

O discurso ressaltou ainda o ganho ambiental, como os benefícios ao ecossistema, à sustentabilidade socioambiental e a racionalização de recursos. Agradeceu também a todos os “parceiros nesta vitória”: 

o TRF-4, de Porto Alegre, que cedeu o sistema sem custos; além do apoio do Tribunal de Justiça de Tocantins, Procuradoria-Geral da Justiça Militar e Defensoria Pública da União.

No Plenário, o ministro José Barroso Filho considerou o novo sistema um “avanço extraordinário”. 

Ele afirmou que o trabalho foi uma oportunidade para a JMU se redescobrir como justiça e instituição, e reconheceu o legado deixado pelo ministro Coêlho em sua gestão à frente da Presidência.

 Segundo o magistrado, que compõe o Plenário como juiz de carreira da JMU, o presidente agiu com determinação e “encantou” a todos com a ideia.

Fonte: Assessoria/STM

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Ex-prefeito de Ipameri terá de indenizar enfermeiro demitido por não apoiar candidata do mesmo partido


O ex-prefeito do município de Ipameri, Wilson Geraldo Sugai, foi condenado a pagar R$ 15 mil ao enfermeiro Cássio Cleiton Vasconcelos, a título de indenização por danos morais, em virtude dele ter sido demitido de suas atividades laborais por não apoiar a candidata do partido do então prefeito nas eleições de 2012. 

A decisão, unânime, é da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), tendo como relator o desembargador Francisco Vildon J. Valente.

Consta dos autos que Cássio Cleiton Vasconcelos foi contratado pela prefeitura de Ipameri para exercer, até a data de 31 de dezembro de 2012, a função de enfermeiro, com plantões no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). 

Porém, recebia sua remuneração como técnico de enfermagem, cumulando cargo no Posto de Saúde Valentino Roque. 

Entretanto, em agosto de 2012, foi demitido de suas atividades, por não ter apoiado a candidata do partido do então prefeito Wilson Geraldo Sugai. 

A demissão lhe causou inúmeros prejuízos e dificuldades, razão pela qual ajuizou ação, requerendo ser indenizado pelos danos morais sofridos.

Em primeiro grau, o juízo da comarca de Ipameri condenou o réu a indenizar os danos morais sofridos pelo autor. 

Inconformado, o ex-prefeito interpôs recurso de apelação, arguindo, preliminarmente, a sua ilegitimidade para figurar no polo passivo da demanda, sob o fundamento de que o ato administrativo realizado por agente público, no exercício de sua função, é considerado ato praticado pela Administração Pública. 

Acrescentou que não ocorreu a demissão/rescisão contratual em virtude da falta da assinatura do apelado no distrato, inexistindo, portanto, ato danoso a ser ressarcido. Ao final, requereu o conhecimento e provimento do apelo, para reformar a sentença, julgando improcedente o pedido exordial.Decisão

Ao analisar os autos, o desembargador (foto à direita) argumentou que o ex-prefeito de Ipameri, Wilson Geraldo Sugai, responde diretamente pelos danos causados aos funcionários, uma vez que exerce funções administrativas como contratação e demissão de funcionários, sendo tais atos de sua responsabilidade pessoal. 

Ressaltou que, quanto ao dever de indenizar, o apelante apresentou provas da alegação de que sua demissão foi arbitrária, baseada no fato de não apoiar a candidata do partido do então prefeito da cidade, conforme constou nos trechos dos depoimentos das testemunhas, ouvidas em juízo, pelo sistema audiovisual.

Para o magistrado, a conduta a ensejar a responsabilidade civil discutida nos autos se resume à verificação da culpa do réu, por supostos danos morais sofridos pelo autor Cássio Cleiton Vasconcelos, como, por exemplo, a negativação de seu nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), ao ficar sem dinheiro devido a demissão por não apoiar a candidata do partido do então prefeito. 

“Verifico a implementação do nexo causal entre o dano sofrido pelo autor e o ato ilícito praticado pelo réu, conforme os depoimentos das testemunhas, segundo as quais o autor teria passado por dificuldades financeiras após ser demitido, arbitrariamente, pela Prefeitura”, explicou Vildon.

Ainda, segundo o desembargador, o apelante faz jus a indenização, uma vez que os documentos inseridos nos autos demonstram o pedido de refinanciamento das mensalidades de sua faculdade e a negativação do nome do apelado, imediatamente, após o mês de sua demissão, além de toda a angústia experimentada por ele, em virtude de ter sido deliberadamente desligado de seu serviço, simplesmente por não apoiar a candidata do partido do então prefeito. Veja decisão