quarta-feira, 23 de maio de 2018

Paralisação atinge cidades do interior. Em Alto Paraíso, filas enormes se formaram no único posto de combustível da cidade




Pelo 3º dia seguido, nesta quarta-feira (23), caminhoneiros continuam protestando em rodovias federais e estaduais, além de vias importantes em 23 estados do país mais o Distrito Federal. 

Alguns atos ocorrem diante de refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque. Falta combustível em vários postos em cidades do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Tocantins e Distrito Federal.

Os caminhoneiros protestam contra a disparada do preço do diesel que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho.

Em Alto Paraíso de Goiás, na Chapada dos Veadeiros, um dos pontos turísticos mais visitados do País, no único posto de combustível da cidade moradores e turistas já enfrentam enormes filas.

Segundo dados do portal G1, os principais reflexos dessa paralisação são:

– Transporte escolar de algumas cidades do Mato Grosso foi suspenso;

– Abastecimento de itens hortifrutigranjeiros do Ceasa está comprometido no Ceará e em Sergipe; no Rio, já houve alta dos preços de gêneros alimentícios; no Pará, supermercados começam a ficar desabastecidos.

– Produção da fábrica da Volkswagen Taubaté foi interrompida por falta de peças; o protesto também afeta outras montadoras como a Chevrolet, Ford e Fiat.– Rede de supermercado de Juiz de Fora (MG) colocou cartazes em várias lojas avisando sobre a possibilidade de falta de alguns produtos;

– Linhas de ônibus que atendem as cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá e Itaquaquecetuba, em São Paulo, estão atrasando cerca de 40 minutos;

– Os Correios suspenderam temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Em comunicado, a estatal informou ainda que a paralisação também tem gerado “forte impacto” e atrasos nas operações da empresa em todo o país.

Com portal G1 e Jornal o Vetor

Nenhum comentário:

Postar um comentário