Banner 1

Banner 1

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Magia negra: Líder religioso é suspeito de matar quatro 'desafetos' e sepultar corpos em Iguatu, no Ceará





Uma história macabra, que terminou em morte, está sendo investigada pela Polícia Civil na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do estado (a 414Km de Fortaleza). 


Tudo começou quando a família de um jovem procurou as autoridades policiais no último fim de semana para registrar seu misterioso e inexplicável desaparecimento. 

O resultado da investigação foi a descoberta de que o jovem foi assassinado num ritual satânico. Seu corpo já foi encontrado e os suspeitos presos.

Segundo a Polícia, Jheyenderson de Oliveira Xavier, 24 anos, conhecido como “Jhey”, estudante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), em Iguatu, foi assassinado durante um ritual de magia negra e seu corpo “desapareceu”. 

Nesta quarta-feira (23), policiais da Delegacia Regional de Iguatu, tendo à frente o delegado Jerfisson Pereira, prenderem um umbandista e seu comparsa. Os dois teriam sido os responsáveis pelo assassinato do jovem. O corpo do rapaz foi localizado.

De acordo com o delegado, a vítima desapareceu misteriosamente na última sexta-feira (18) e, na segunda-feira (21), os familiares chegaram a revelar o fato publicamente e pedir ajuda através do quadro de “pessoas desaparecidas” em um telejornal da TV Verdes Mares. 

Colegas de “Jhey” disseram que ela havia faltado a aula na sexta-feira (18).

“Nós encontramos o pai de santo, que deu um depoimento extremamente mentiroso. Ele caiu em muitas contradições. 

Disse que não via o estudante desde novembro do ano passado, mas a gente encontrou algumas imagens de uma câmera de segurança que mostra ele (o rapaz) saindo com o pai de santo, na sexta-feira”, afirma o delegado.

Corpo encontrado

De acordo com a Polícia, o suspeito foi reconhecido nas imagens pelos próprios pais. “Ele (suspeito), “puxa” uma perna (resultado de uma deficiência) e aparece nas imagens usando uma mochila que encontramos em sua casa”, esclarece o delegado. 

No local onde os suspeitos realizam práticas religiosas, um matagal, a Polícia encontrou uma arma de fogo, supostamente a usada para matar o rapaz com um tiro na nuca. Segundo Pereira, “a nova suspeita é de que quatro pessoas participaram do crime”.

O corpo do rapaz foi encontrado enterrado em uma cova rasa exatamente no local onde os suspeitos praticam atos de magia negra. A perícia constatou no corpo da vítima sinais de prováveis torturas praticadas antes da execução sumária.

Os suspeitos presos foram identificados como Gleudson Dantas Barros, 29 anos; e Roberto Alves da Silva, 40. Diligências estão sendo realizadas para prisão de outros envolvidos.

Mais três 

O homem preso apontado como assassino do estudante Jheyderson de Oliveira Chavier, em Iguatu, é suspeito de matar outras três pessoas que ele considerava "desafetos". 

O líder religioso Gleudson Dantas Barros, preso em 18 de maio, assumiu participação nos crimes que vitimaram quatro pessoas, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Jerffison Pereira.

Policiais localizaram nesta terça-feira (28) uma ossada no mesmo sítio onde Jheyderson de Oliveira havia sido encontrado morto, com dois tiros. Os policiais investigam se são restos mortais de um garoto desaparecido em 2017.

A suspeita é de que Gleudson Dantas Barros e Roberto Alves da Silva, que também está preso por suspeita de participação nos crimes, matavam pessoas que de alguma forma "desagradavam" o líder de uma seita religiosa. 

"No caso de Jhey [como era conhecido Jheyderson de Oliveira], ele havia tido uma discussão com o Gleudson, e depois de ir muito de encontro com as ideias de Gleudson, ele teve o prestígio atingido e estava perdendo seguidores", afirmou Pereira.

Um adolescente que também era suspeito de participação nos homicídios foi achado morto nesta terça. Segundo a Polícia Civil, o garoto cometeu suicídio.

Com informações do Blog do Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário