Banner 1

Banner 1

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Chico Teixeira lança o CD Raízes Sertanejas ao Vivo




Raízes do campo, do sertão, da fazenda, da fruta colhida da árvore, do cheiro de bolo de fubá assado no forno à lenha enquanto se ouve causos, do café passado na hora e tomado sem pressa, talvez sejam estas as melhores formas de se definir o recém lançado álbum pela Kuarup Discos: Raízes Sertanejas Ao Vivo.

O disco de 10 faixas é o 4º. álbum da carreira do cantor, compositor e violonista Chico Teixeira e o lançamento vem após bem sucedida turnê de shows que circulou por todo o estado de São Paulo. 


O registro ao vivo no Auditório Ibirapuera foi feito pela equipe da TV Cultura, sob a direção de Mauricio Valim, a mixagem e a masterização ficaram por conta de Alberto Vaz, já a edição foi de Eduardo Xocante, diretor artístico da Rede Globo, em parceria com Ian Segantini. “Deixamos o áudio o mais orgânico possível, fazendo jus à ideia do projeto”, explica Chico Teixeira.

As canções que integram o álbum pertencem ao imaginário popular, que conta com as participações especiais de alguns dos maiores músicos de raiz deste pais, entre eles Sérgio Reis na canção Boiadeiro Errante, do pai Renato Teixeira em Aprendendo a Viver, além disso algumas pérolas como Merceditas(Ramon Sixto), Ventania (Geraldo Vandré e Hilton Acioli), Eu Apenas Queria que Você Soubesse (Gonzaguinha) e Laranja Madura (Ataupho Alves) estão presentes, bem como músicas autorais como Chama da Floresta.

“O repertório traz um resgate de composições que influenciaram minha infância e carreira”, diz Chico Teixeira. 

“É uma viagem pelo universo da música do interior, que é muito rica, vista por um cara que também cresceu no mato e vivenciou muita coisa de perto; que conviveu com nomes como Pena Branca, Xavantinho e Dominguinhos, entre outras pessoas que representam a música brasileira de forma intensa. 

E o Sérgio Reis e o meu pai (Renato Teixeira) são referências nessa história toda. Tenho uma admiração infinda pelos artistas que eles são”, finaliza.

Faixa a Faixa

1 – Cuitelinho (Antonio Xando - Paulo Vanzolini)

2 – Jardim da Fantasia (Paulinho Pedra Azul) – Entre Mar y Cordillera (Carlos Ocampo)

3 – Ares do Saber (Chico Teixeira – Paulinho Pedra Azul)

4 – Chama da Floresta (Chico Teixeira)

5 – Aprendendo a Viver (Renato Teixeira) – Participação especial:Renato Teixeira

6 – Ventania (Geraldo Vandre – Hilton Acioli)

7 – Mercedita (Ramon Sixto)

8 – Boiadeiro Errante (Teddy Vieira) – Participação especial: Sergio Reis

9 – Laranja Madura (Ataupho Alves)

10 – Eu Apenas Queria que Você Soubesse (Gonzaguinha)


Mais Sobre Chico Teixeira

Representante da sétima geração de músicos da família Teixeira, Chico Teixeira nasceu em 22 de janeiro de 1980 e começou a carreira em 2002 com o lançamento do álbum homônimo, gravado apenas com voz e violão. 

Em 2011, lançou seu segundo trabalho, Mais que o Viajante, que contou com participações de Gabriel Sater e Dominguinhos. Em 2017 foi a vez de Saturno, terceiro disco de sua carreira, com músicas em parceria com nomes como Roberta Campos e João Carreiro. 

Quando descobriu o violão, aos 7 anos, nem imaginava um dia tocar ao lado de grandes nomes da música brasileira. Foram 15 anos na banda de seu pai Renato Teixeira e outros tantos ao lado de Pena Branca (Pena Branca e Xavantinho), Almir Sater e Sérgio Reis. 

Sua primeira participação musical registrada em CD foi em 1996, no álbum Aguaraterra(Xangai e Renato Teixeira). 

Em 1998 recebeu convite de Dércio Marques para cantar Irmãos da Lua no álbum Cantigas de Abraçar, e assim segue. Tributo a Elpídio dos Santos (2009); Trilha do personagem Eleutério (Novela Paraíso, Rede Globo - 2009); Um Barzinho e um Violão Sertanejo (2012); DVD e CD Amizade Sincera I e II (Sérgio Reis e Renato Teixeira - 2010 e 2014) e Manifesto Poesia (Nô Stopa - 2015) são exemplos. 

Uma de suas participações mais emblemáticas foi ao lado do cantor, compositor e amigo Zé Geraldo no DVD Cidadão 30 e Poucos Anos, em 2010, com a música Galho Seco. 

Em 2012 foi indicado como melhor cantor regional com o álbum Mais que o Viajante, na 23ª edição do Prêmio da Música Brasileira. 

Durante dois anos - 2016 e 2017 - foi diretor musical do projeto Raízes Sertanejas - Chico Teixeira convida Sérgio Reis e subiu ao palco ao lado de Sérgio, convidando um artista especial em cada cidade por onde o espetáculo passava: Landau, Tuia, Adriana Farias Violeira, Nô Stopa, Marco Bavini, Gabriel Sater e Irene Atienza. 

O show foi gravado em CD/DVD no Auditório Ibirapuera e o lançamento em CD pela Kuarup. A captação foi realizada pela TV Cultura, com apoio do Auditório Ibirapuera e Gabisom, e virou especial de virada de ano da emissora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário