domingo, 20 de maio de 2018

Campos Belos: Agua do rio Mosquito é mais uma doce ilusão




Por Jefferson Victor, 

Há quase duas décadas o até então governador Marcone Perillo vem anunciando a tão sonhada água do rio Mosquito, mas até o presente momento nenhuma certeza se tem da conclusão desta obra de grande importância à população local.

Como disse um graduado funcionário da Saneago, a água do Mosquito é necessária nem só pelo sabor, mas sobretudo em relação ao volume, pois a cidade está desenvolvendo a passos largos, e o Montes Claros tem demonstrado ano a ano que não possui capacidade de acompanhar o desenvolvimento urbano.

Em consequência deste fato, políticos de todos os níveis passaram a explorar o tema como uma vertente importante para angariar votos.

Ao menos três mandatos de candidatos eleitos foram munidos de promessas de realização da obra, e como ela não sai do papel, novamente se pede crédito para o próximo mandato onde a obra supostamente poderá ser inaugurada.

A nível de governo estadual, Marcone Perillo se elegeu por três vezes e foi campeão de votos, tudo isso em função da promessa que concluiria os trabalhos dessa transposição.

Em seu último discurso como governador em solo campo-belense ano passado, ele fez um discurso nada animador, disse que a empresa contratada não honrou o compromisso, e com isso seria necessária uma nova licitação, e que já havia recomendado ao presidente da Saneago a urgência no caso, para que pudesse ser inaugurada ainda durante sua gestão.

O público presente em sua maioria entendeu o recado, a água deixou de ser prioridade, mas anunciou na ocasião que a ligação do asfalto Divinópolis Monte Alegre já contava com dinheiro depositado para conclusão da obra, a qual pediu aos executores urgência na execução dos trabalhos, e até o presente momento nem uma coisa nem outra, ficou na promessa.

Enganação pura, segundo comentários na cidade, o atual prefeito teria anunciado em uma programa de rádio, que ele estava desanimado, e que não via nenhuma possibilidade de continuidade das obras paralisadas nesse atual governo, e teria sido bastante enfático em suas afirmações, parece que ele tinha razão, a negativa se confirmou, não há nenhuma previsão de continuação.

Como certo se tem que alguns quilômetros de canos foram enterrados, porém as adutoras que formam a parte mais complexa ainda não foram iniciadas, e os tubos que estão depositados no pátio do Cras, talvez nem sirvam mais , pois estão expostos ao sol e podem estar fragilizados.

Todos os candidatos que estão saindo de suas tocas em busca de votos para as eleições desse ano, abordam o tema água do Mosquito, são promessas infundadas e enganadoras, aprenderam a brincar com os sentimentos do povo desta cidade, é como se achassem que aqui só mora bobo e são facilmente enganados por mais quatro anos.

Precisamos sim de água, mas esses candidatos que chegam com essa estratégia logo de cara não merecem crédito, se quisessem já teriam resolvido esse problema de quase vinte anos, chega de enganação.

Por esses e outros fatores podemos afirmar que a tão esperada água não entrou pelo cano, e sim a população, a qual votou e acreditou que teria água doce e de qualidade conforme anunciado, mas pelo que se viu até agora, é que o sonho tornou-se mais uma doce ilusão.