segunda-feira, 30 de abril de 2018

Documentos revelam que bispo e padres reconheceram o 'sumiço' de R$ 910 mil do caixa da Diocese de Formosa, diz MP-GO



Documentos obtidos pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) apontam que alguns dos religiosos acusados de desvios de dízimos reconheceram a ausência de R$ 910 mil nos caixas das igrejas. 


O órgão acredita que o padre Waldson José de Melo, de Posse, o monsenhor Epitácio Cardozo Pereira e o bispo Dom José Ronaldo embolsavam os valores declarados como “desaparecidos”.

O G1 tentou contato com as defesas dos religiosos por telefone e mensagem na noite de domingo (29), e na manhã desta segunda-feira (30), e aguarda posicionamento sobre o caso.

Um dos documentos, assinado pelo monsenhor Epitácio Cardozo, aponta o déficit de mais de R$ 72 mil, acumulado em 2016, no caixa da Paróquia Divino Espirito Santo, em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal.

Outro relatório, este assinado pelo padre Waldson e pelo bispo Dom José Ronaldo, aponta a ausência de R$ 274 mil do caixa da Paróquia Sagrada Família em Posse, no nordeste de Goiás. 

O montante deveria ser resultado do acúmulo das arrecadações em 2015.

Segundo o MP-GO, faltaram ainda R$ 207 mil, que também deveriam ser o saldo de 2015, mas da Paróquia do Divino Espirito Santo, em Planaltina de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. 

Por fim, o órgão aponta que “sumiram” outros R$ 357 mil do caixa da Paróquia Santana, em Posse.

“Dois documentos são referentes ao monsenhor, outro ao padre Moacyr, da catedral de Formosa, e outro do padre Wladson, de Posse, com quem foram encontrados R$ 400 mil na conta. 

Foram três desvios de somas bastante vultosas, inclusive com assinatura do bispo, atestando que tem ciência do documento, do desaparecimento do dinheiro”, disse o promotor responsável pela investigação, Douglas Chegury.

Conforme o promotor, os documentos já fazem parte da denúncia aceita pela Justiça, portanto, os citados estão respondendo pelo crime de apropriação indébita.

Operação Caifás

Deflagrada pelo MP-GO, a Operação Caifás apura o desvio de R$ 2 milhões pela Diocese de Formosa. 

No último dia 19 de março, nove pessoas foram presas. Além do dízimo, a apuração apontou que o grupo se apropriava de dinheiro oriundo de doações, arrecadações de festas realizadas por fiéis e taxas de eventos como batismos e casamentos.

As investigações sobre o desvio começaram no ano passado, após denúncias de fiéis. Eles afirmaram que as despesas da casa episcopal subiram de R$ 5 mil para R$ 35 mil desde a chegada do bispo Dom José Ronaldo, em 2015. Na ocasião, o clérigo negou haver irregularidades nas contas da Diocese de Formosa.

Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça foram usadas na apuração. O grupo teria comprado uma fazenda de gado, carros de luxo e uma lotérica com os recursos. A operação culminou com apreensões em Formosa, Posse e Planaltina. Durante as apreensões, foi encontrado dinheiro escondido em fundo falso de armário.

Após menos de um mês detidos em uma ala isolada do recém-inaugurado presídio da Formosa, os presos foram liberados por habeas corpus concedidos pela Justiça. Na saída da cadeia, o bispo Dom José Ronaldo, outros quatro clérigos e dois empresários foram recebidos com festa por parentes e amigos.

Bloqueio de bens

O juiz Fernando Oliveira Samuel, da 2ª Vara Criminal de Formosa, determinou em 27 de março o bloqueio de bens dos seis clérigos, dois empresários e do secretário da Cúria. 

O limite é de até R$ 1 milhão por cada. Também foi autorizada a quebra do sigilo bancário e fiscal dos acusados.

Gestor temporário da Diocese de Formosa nomeado pelo Papa Francisco e arcebispo de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto criticou o bispo preso e disse que recebeu "caixa vazio e com dívida". 

Ele auxiliará nas atividades da paróquia da região até que seja nomeado um novo bispo.

A polícias apura outras acusações que surgiram contra o bispo fora do processo. Entre elas, está o uso de cartões da Igreja para compra de bebidas alcoólicas. De acordo com boletim de ocorrência, houve gasto de R$ 4 mil indevidamente.


Além disso, fiéis afirmam que Dom José Ronaldo aumentou em até 400% taxas de casamento quando assumiu a administração, em 2014. 

As mesmas informações chegaram ao MP-GO) por meio do depoimento de um dos padres que denunciou o esquema, mas, segundo o promotor, ainda não compõem uma apuração específica.

Fonte: G1

domingo, 29 de abril de 2018

Palocci foi o quindim do mercado


Antonio Palocci chegou ao Ministério da Fazenda em 2003 antecedido por denúncias de malfeitorias praticadas quando era prefeito de Ribeirão Preto, mas foi protegido pela simpatia do andar de cima, sobretudo da banca. 

Uma das maracutaias envolvia uma licitação de R$ 1,2 milhão para a compra de cestas básicas, grosseiramente manipulada para favorecer empresas amigas.

Como ministro da Fazenda de Lula e chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, Palocci tornou-se o comissário do andar de cima. 

A aliança de empreiteiros, empresários e papeleiros com Lula, Dilma e José Dirceu era essencialmente oportunista. 

Com Palocci havia mais que isso. O ex-ministro enriqueceu ao passar pelo governo.

Quando o juiz Sergio Moro bloqueou suas contas pessoais e empresariais, tinha R$ 30,8 milhões. 

Vivia num apartamento cinematográfico comprado por R$ 6,6 milhões. 

Uma parte contabilizada dessa receita veio de contratos de consultoria com grandes empresas.

A colaboração do ex-ministro poderá resultar na exibição de novas conexões da máquina de roubalheiras. 

Hoje, empreiteiros e fornecedores larápios tornaram-se arroz de festa. 

Palocci operava no lado oculto da Lua e pode mostrar como as propinas disfarçavam-se de caixa dois ou fingem ser contratos de consultoria. 

Um exemplo pitoresco dessas ligações perigosas circulou há poucos meses.

Palocci teria contado que, em 2002, antes do início do romance do PT com a banca, armou a transferência de US$ 1 milhão do ditador líbio Muammar Gaddafi para a campanha de Lula. 

Tomara que o comissário tenha mostrado à Polícia Federal a trilha bancária dessa transação.

Texto de Elio Gaspari, da Folha

Valorização e reconhecimento: professora Andréa e o exército silencioso da inovação




Por Cléssio Bastos,
Toda escola pública abriga ótimas iniciativas, essa foi a premissa que me guiou desde as primeiras experiências conhecendo escolas dentro e fora do país. 
Na verdade, várias escolas públicas abrigam muita inovação e profissionais buscando trabalhar fora da caixa alcançando bons e ótimos resultados com esse caminho. 
A grande questão é que nem sempre a própria escola e seus profissionais se dão conta do caráter inovador do que realizam.
Com exceção da Riverside School, na Índia, visitei apenas escolas públicas “tradicionais” e em todas elas a premissa se confirmou. 
Apesar dos pesares, as escolas públicas abrigam ótimas iniciativas, individuais ou coletivas. Mais uma vez pude conferir isso de perto em uma visita despretensiosa à Escola Municipal Professora Niedja de Souza Machado em Campos Belos, interior de Goiás. 
Já havia ouvido muitos elogios sobre essa escola, seus resultados são conhecidos na cidade, talvez pelo fato de sua projeção no IDEB para 2021 ser 6,1 mas já em 2015 ela ter alcançado um 6,9. 

Eu não acredito que tenhamos que colocar nosso trabalho em função do IDEB, tenho ressalvas a essas avaliações, porém estamos diante de um dado que merece ser analisado.
Tudo começou quando fui a uma apresentação sobre o Dia Nacional do Livro Infantil na escola onde meu sobrinho estuda. Gostei da apresentação, da forma como tudo foi conduzido e do envolvimento dos alunos. 
Também me chamou a atenção a estrutura da escola, muito limpa, bem decorada, espaços amplos e bem conservados. Ao final resolvi visitar a sala em que o Thiago estuda e confesso que me surpreendi ainda mais com o espaço e a dinâmica que a professora estabeleceu ali dentro. 
O ambiente climatizado, as paredes branquinhas, os móveis de ótima qualidade e uma série de outros aspectos estruturais davam indício de uma escola que, aparentemente, recebia um tratamento especial, mas a série de recursos visuais pelas paredes e principalmente a disposição dos móveis me deram indício de que tinha algo para além de uma estrutura diferenciada, meu faro apontava para uma professora que inovava e, de fato, ao puxar assunto foi isso que constatei.
Andréa Soraia Ferreira, professora do 1º Ano, Pedagoga e Psicopedagoga, 22 anos alfabetizando. 
Fiz algumas perguntas e ela prontamente tomou as rédeas da situação e foi me apresentar seu local de trabalho. 
Nas paredes havia livros – no plural mesmo, produzidos por seus pupilos e alguns dos cartazes que enfeitavam a sala meio que conversavam com os alunos e interagiam com eles, eram mais que enfeites ou lembretes, tinham uma função de condução pelos processos e para os alunos funcionavam como jogos.
No entanto, o ponto que mais me chamou a atenção foi a disposição das cadeiras, quando vejo uma sala fora do padrão de filas já soa pra mim o alarme “tem professor inquieto aqui”, e a professora Andreia sabia direitinho o que ela queria com as carteiras organizadas daquele jeito – dê uma conferida na galeria de fotos.
Além da disposição que pude ver nos minutos que passei ali, ela ainda explicou outras organizações que usa de acordo com o que pretende, ou seja, ela desenvolveu um repertório de possibilidades e tem fluência nos usos, não é só desfazer as filas, há uma busca consciente por resultados.
Cruzei o planeta e fui até a Índia para aprender sobre inovação e em uma breve volta à cidade do interior onde nasci e me criei tive uma aula de inovação igualmente reveladora, qual a lição disso? 
Temos profissionais e espaços com um potencial de inovação que desconhecemos, ou não reconhecemos. 
A sala de aula da professora Andreia Soraia me pareceu tão pulsante e relevante para seus alunos quanto as salas de aula da Riverside e é incrível constatar isso em cada escola que eu tenho o prazer de conhecer. 
Eu só entrei em uma das salas de aula da Escola Municipal Professora Niedja, certamente me admiraria também com o trabalho de outros membros da equipe, certamente em outras escolas da cidade descobriria tantos outros professores inovando em suas práticas e oferecendo uma experiência escolar mais relevante para seus alunos, mesmo em instiuições onde o IDEB não consegue fazer uma leitura eficiente de outros resultados.
Aos moradores da pequena Campos Belos, cidade na região da famosa e deslumbrante Chapada dos Veadeiros, corram e descubram seus professores inovadores que estão, talvez não necessariamente saindo da caixa, mas dando às suas caixas as formas mais variadas e oferecendo uma educação que certamente irá impactar positivamente a vida dos seus filhos.

O texto é de autoria do pesquisador Cléssio Bastos, nas fotos abaixo




Incoerência no MDB goiano: Daniel Vilela e Maguito divergem sobre possível chapa com Zé Eliton



O ex-governador Maguito Vilela (MDB) admitiu nesta sexta-feira (27/4), durante entrevista à rádio Sagres 730, que seu partido considera possível uma aliança entre o deputado federal emedebista Daniel Vilela e o governador José Eliton na disputa pelo Governo de Goiás.

Pai de Daniel, Maguito defendeu que as duas legendas intensifiquem as conversações acerca da composição, o que afetaria diretamente as articulações do senador Ronaldo Caiado, pré-candidato do DEM ao Palácio das Esmeraldas, de unir democratas e emedebistas.


Apesar das declarações do pai, Daniel foi mais duro e disse que seu projeto não inclui o  PSDB. 

Só esqueceram de combinar com os eleitores. Quem disse que a sociedade goiana ainda deseja a velha política, os caciques e seus herdeiros?

Assista a vídeo

Preso em Arraias (TO): Acusados de matar “Jorge da Comida Caseira” são condenados a mais de 16 anos prisão


"Jorge da Comida Caseira", a vítima morta pelos primos

Por 
Delmanira Brito,


Pai e filho foram condenados pelo Tribunal do Júri da Comarca de Nossa Senhora das Dores (SE). 

A sociedade dorense clamava por justiça pelo assassinato do comerciante "Jorge da Comida Caseira", morto há dois anos.
A barbárie contra a vida de um pai de família chocou a população dorense no dia 12 de janeiro de 2016.

O comerciante Jorge Sousa foi cruelmente agredido a golpes de facão e faca, deferidos por dois primos dele, de forma traiçoeira, covarde e sem dar a chance de defesa, já que a vítima estava de costas e não apresentava nenhum perigo para seus dois agressores. 

“O motivo do desentendimento entre os primos foi tão banal, que não justificaria tamanha crueldade, o que deixou a comunidade dorense perplexa.

Os criminosos fugiram sem deixar pistas, mas foram capturados meses depois: “Genilson Santos, 56 anos, e Adriano Souza Santos, 26 anos”, cujas prisões ocorreram, respectivamente, nas cidades de Arraias/TO e Buritirama/BA.

As investigações, conduzidas pelo delegado Fábio Santana, apontaram a localização do pai e filho que eram primos da vítima. “Nilsinho, como é conhecido Genilson, foi preso no município de Arraias, localizado no estado de Tocantins. 

Já o filho Adriano, foi preso na cidade de Buritirama, no interior da Bahia. A informação das prisões foi noticiada através da SSP/SE para toda a imprensa sergipana.

Através dos meios de comunicação, a sociedade dorense tomou conhecimento das prisões de “Nilsinho e Adriano”, ambos custodiados no Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), onde estavam à disposição do Juízo da Comarca de Nossa Senhora das Dores. 

Desde aquela época, a sociedade dorense vinha esperando pelo julgamento dos acusados. 

Confira o link da matéria

Os julgamentos ocorreram nos dias 24 e 25 deste mês de abril, quando o Tribunal do Júri da Comarca de Nossa Senhora das Dores se reuniu para o julgamento.

No dia 24 de abril, o juiz Henrique Gaspar Mello de Mendonça iniciou a sessão com as oitivas das testemunhas de acusação, arroladas pelo Ministério Público, e, não tendo os denunciados, testemunhas a serem ouvidas, passou-se à fase dos interrogatórios dos dois acusados (pai e filho).

Os trabalhos foram reiniciados no dia 25 de abril, tendo o Ministério Público -representado pela promotora Cláudia Virginia Oliver de Sá  e o Assistente de Acusação  - advogado Wagner José de Andrade Júnior  - defenderam as teses de homicídio qualificado por motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima, bem como por coagir a própria mãe deles para fazer empréstimos consignados em nome de um dos réus. 

Após a reunião dos Jurados, na Sala Secreta de Votação, o magistrado Presidente do Tribunal do Júri leu a sentença para os réus, tendo como resultado a procedência da pretensão penal, sendo o acusado Genilson Souza condenado à pena 19 anos 9 meses e 16 dias de reclusão, em regime fechado, pelo crime de homicídio qualificado, por motivo torpe e impossibilitar a defesa da vítima, tipificados no Código Penal, e também pelo crime previsto no Estatuto do Idoso, devido à coação exercida pelo réu, ao exigir que sua própria genitora contratasse empréstimos consignados.

Por sua vez, o réu Adriano Souza Santos (vulgo “Cego”) foi condenado à pena de 16 anos, 3 meses e um dia, em regime fechado, pelo crime de homicídio qualificado.

"A sociedade dorense e os familiares da vítima, que tanto clamaram por justiça, estão aliviados com a condenação dos réus, uma vez que o velho ditado popular de que o crime não compensa, ficou categoricamente demonstrando, e este fato não caiu na “cifra negra”, assunto estudado na Criminologia Forense, não ficando na impunidade" comentou um os familiares da vítima.

Campos Belos: Barreirão e Pouso Alto não recebem correspondências por mero descaso político



Por Jefferson Victor,

O setor Novo Horizonte, fundado há mais de vinte e cinco anos, ficou por igual período sem receber correspondências, isso, por falta de uma simples cópia do mapa do município. 

O mesmo aconteceu com o Portal da Serra, mais novo, mas que também padecia do mesmo mal.

Bastou a nossa boa vontade que, como cidadãos, resolvemos intermediar essa falta de comunicação entre Correios e Prefeitura, solicitamos o tal mapa e fomos prontamente atendidos, e com isso, resolvemos em vinte dias um problema que se arrastava havia mais de duas décadas.

Tudo começou há cerca de dois anos quando publicamos uma matéria abordando o assunto, e imaginamos que alguém do meio político se interessaria pelo assunto, mas, infelizmente, após tanto tempo nenhuma providência foi tomada visando resolver tal problema.

Esta semana voltamos aos Correios e resolvemos então interceder desta vez em prol do Barreirão e Pouso Alto, para que possam usufruir os mesmos direitos dos demais setores do município.

Segundo a administração dos Correios, para que essas localidades sejam incluídos na rotina de entregas, é necessário apenas uma parceria com a Prefeitura e que essa disponibilize um funcionário que receberá treinamento e atuará em um posto de atendimento denominado AGF.

Imaginamos que o atual prefeito não fará nenhuma objeção, pelo contrário, verá a iniciativa com bons olhos, já que sua função é justamente zelar pelo bem estar da comunidade, e nessas duas localidades ele recebeu uma votação expressiva e certamente fará tal retribuição.

Essa modalidade já existe no Povoado do Prata, no município de Monte Alegre de Goiás, e segundo informações colhidas, os moradores recebem regularmente suas missivas.

Por que fazemos isso? Simples, buscamos conhecer as deficiências comunitárias, e com o conhecimento que temos nessa área, tentamos fazer a nossa parte como cidadãos, não esperamos que tudo aconteça automaticamente, é preciso que alguém exponha os problemas e que tenha também conhecimento necessário para apontar soluções.

Toda comunidade é recheada de problemas, mas não se pode esperar que toda iniciativa venha por parte do estado, é necessário também a iniciativa popular, por isso é importante as associações de bairros, é um instrumento importante e tem dado bons resultados nas localidades que as adotam.

Esperamos que nossa mediação entre Correios e Prefeitura possa em um curto período de tempo levar mais esse benefício a essas comunidades que convivem com tantos problemas e que ao longo dos anos sempre foram decadentes e desassistidas.

Esperamos que após divulgação dessa matéria, haja por parte dessas localidades uma maior cobrança para que haja uma resposta rápida, esse é um direito constitucional do cidadão brasileiro, mas infelizmente os Correios visam somente lucro, se depender deles jamais terão qualquer tipo de iniciativa.

Tribuna de Justiça anuncia inscrições de Processo Seletivo para Estagiários para várias cidades, inclusive Campos Belos, Posse, São Domingos e Cavalcante


O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ - GO) está com inscrições abertas para o Processo Seletivo que visa contratar e formação de cadastro de novos Estagiários de Nível Superior.

Há 732 oportunidades para estudantes dos cursos de Administração (50); Arquitetura e Urbanismo (1); Ciências Contábeis (1); Design Gráfico (1); Direito (616); Enfermagem (1); Engenharia Civil (2); Engenharia Elétrica (2); Gestão de Recursos Humanos (10); Informática (25); Jornalismo (1); Pedagogia (20); Psicologia (5); Publicidade (1); Serviço Social (5) e Telecomunicações (2).

Vale lembrar que os alunos atuarão, entre outras, nas Comarcas de Abadiânia; Águas Lindas; Alexânia; Alto Paraíso de Goiás; Alvorada do Norte; Anápolis; Campos Belos; 
 Cavalcante; Cocalzinho; Corumbá de Goiás; Corumbaíba; Flores de Goiás; Formosa; Formoso; Iaciara; Luziânia;   Niquelândia; Padre Bernardo; Planaltina;  Posse; Quirinópolis; Santa Terezinha de Goiás; Santo Antônio do Descoberto; São Domingos; 

A Bolsa-Auxílio é de R$ 743,92, para jornada 25 horas semanais, além de Auxílio-Transporte de R$ 176,00. Para os candidatos que se enquadram nos requisitos do edital, a carga horária será de 20 horas semanais.

De forma gratuita, os candidatos interessados poderão se inscrever e também realizar as Provas online até o dia 6 de maio de 2018, exclusivamente via internet, por meio do endereço eletrônico www.ciee.org.br.

O estágio terá duração de dois anos consecutivos, sem possibilidade de prorrogação. 

Já este Processo Seletivo será válido por um ano, podendo ainda ser prorrogado, conforme o edital em nosso site.

De Campos Belos (GO): Entre videogame e colo da mãe, Higor Leite passa a limpo carreira e momento no ABC




Para o meia Higor Leite, do ABC, não é novidade dar a volta por cima. E este início de 2018 não tem sido diferente para o goiano, de 24 anos e fala mansa, natural da pequena Campos Belos de Goiás - perto da divisa com o Tocantins. 

O primo do craque Kaká - com quem revela não ter contato - conquistou a confiança do técnico Ranielle e a vaga no time titular por méritos próprios.

Revelado nas categorias de base do Internacional, Higor Leite começou o ano da forma que nenhum jogador de futebol queria: recebeu a notícia de que não seria aproveitado no Fluminense e teria seu contrato rescindido. Sobre a saída, limita-se a dizer que "ainda tenho pendências para resolver por lá". 

Durante o contrato com o Flu, que durou de 2010 a 2017, rodou por Avaí, Criciúma, Goiás e Volta Redonda. Chegou ao ABC às vésperas da estreia no estadual e já são 16 jogos e quatro gols. 

Por ter chegado com a pré-temporada em andamento, demorou a estrear e, quando a oportunidade chegou, entrou e não saiu mais. Com contrato até o fim da Série C, se diz feliz em Natal e que o objetivo é renovar o vínculo.

O meia aproveitou a folga do elenco após o jogo contra a Juazeirense para receber a equipe do GloboEsporte.com e falou sobre o início da carreira, o que viveu no ABC desde sua chegada, a saída conturbada do Fluminense e revela as broncas da mãe, Dona Zilda, que analisa as partidas, faz cobranças e dá dicas - a matriarca está em Natal há quase um mês e "disputa" a atenção do filho com o principal "vício" de Higor: o videogame.

Como se deu sua vinda para o ABC? Como foi sua chegada?

- Através do (Giscard) Salton. Ele foi diretor da base do Internacional e me conhecia de lá. Me perguntou se eu estava afim de ajudar aqui e eu não pensei duas vezes. Já joguei contra e vi que tinha uma torcida apaixonada, o Wallyson que é daqui. 

Conheci um pouco da história através de um amigo que jogou comigo no Fluminense, o Ayrton, que é daqui e me falou muito bem. 

Quando cheguei, senti no clube um dos ambientes mais acolhedores desde o primeiro dia. Temos um ambiente muito bom. 

E essa minha chegada no ABC está sendo muito boa para a minha carreira, é como um recomeço. Coloquei na cabeça que essa seria uma das últimas oportunidades para alavancar a minha carreira e voltar para um time da Série A.


Quem são os jogadores em quem você se espelha? Qual o melhor com que você já jogou?

- Eu jogo hoje com a 8, mas prefiro jogar com a 20. Tenho a inspiração, vi Deco jogando, joguei com ele no Fluminense e tive vontade de jogar com a 20. 

Gosto muito do Kaká, é uma inspiração para mim. Ronaldinho Gaúcho também. Mas, um dos que mais chamou a minha atenção foi o Deco, pela genialidade.

Apesar de jovem, você tem passagens por times de Série A. Acha que essa experiência pode servir para ajudar um elenco recheado de promessas nesse momento?

- Nosso time perdeu um pouco daquele futebol alegre que vinha apresentando no estadual, agora temos que arrumar. 

Vamos retomar o futebol de antes. Com minha experiência de "mais velho", com 24 anos, tento dar conselhos sobre uma movimentação e até na vida mesmo. 

Quando tem alguma coisa que já passei, falo para não fazer e as consequências. Procuro ajudar dessa forma. O torcedor pode confiar que vamos retomar o bom futebol.

Um dos responsáveis por montar essa equipe é Ranielle Ribeiro, que foi efetivado no cargo no fim do ano passado. Como está sendo trabalhar sob o comando dele?

- São poucos treinadores que tive que tem a inteligência dele. Além disso, uma pessoa muito humana, de um caráter ímpar. Sabe acolher o grupo, dar moral para todo mundo. 

Às vezes, você está no banco, mas está feliz porque sabe que o Ranielle dá moral. São poucos assim. Poucos treinadores que caminham junto do elenco, que trabalhar para te erguer. Tem um perfil 'paizão' mesmo, tipo o Abel Braga, que pega e ajuda.

Sua mãe sempre está presente? Como é o acompanhamento dela?

- Eu não fazia nada nas folgas, só comia e jogava videogame. Agora que minhã mãe está aqui, é um apoio que tenho, é minha base. Ela que me auxilia ali por trás, me dá bronca e não é de bagunça. Cheguei do jogo e ela "mas como vocês perderam esse jogo?" (risos). 

Ela entende, tinha escolinha de futebol. Depois me mostrou outro vídeo e me cobrou porque eu não estou chutando no gol: "meu filho, você tem que chutar, você chuta bem". Tem horas também que ela briga porque estou tempo demais jogando videogame.


Fonte: Globoesporte.com

Operação da Polícia Civil prende 36 pessoas em todas as regiões do estado, inclusive Arraias e Dianópolis



Uma operação da Polícia Civil está sendo realizada nesta sexta-feira (27) em todas as regiões do estado. 


Até o momento, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), 36 suspeitos foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporária, preventiva, além de prisões em flagrante. 

Também foram apreendidas 16 armas de fogo, seis veículos e mais de 2,4 kg de drogas.

A operação começou no início desta sexta-feira (27) nas 13 Delegacias Regionais do interior do estado. Ainda segundo a SSP, mais de 350 policiais civis devem continuar nas ruas até este sábado (27).

Ações estão sendo realizadas nas delegacias regionais de Alvorada, Araguaína, Araguatins, Arraias, Colinas do Tocantins, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Miracema do Tocantins, Paraíso do Tocantins, Pedro Afonso, Porto Nacional e Tocantinópolis.

"Todos os anos, megaoperações como esta são empreendidas por duas a três vezes, quando há um grande número de mandados expedidos pelo Poder Judiciário, de modo a otimizar o cumprimento", explicou o delegado Marcio Girotto Vilela, diretor de polícia do interior.

De São João da Aliança: Casal transgênero planeja casar-se na Catedral de Brasília





Amor pode deixar de ser palavra e tornar-se uma pessoa. Foi assim para Christopher João. Ao conhecer Wanda, ele deu nome e rosto ao que era sentimento abstrato. 

Os dois compartilham uma experiência além do afeto: caminharam juntos pela transição de gênero. Ele nasceu biologicamente em corpo feminino. Ela, fisicamente, tinha características masculinas.

O vestido preto usado por Wanda durante a entrevista um dia cobriu o corpo de Christopher, quando ele ainda carregava o nome feminino nos documentos. Era preciso morrer simbolicamente para renascer. “A gente fala que essa é a roupa da finada. Eu também dei calças e camisas masculinas do finado para ele”, diz Wanda.

Eles se conheceram no Centro de Referência Especializado da Diversidade Sexual, Religiosa e Racial (Creas Diversidade), espaço criado pelo Governo do Distrito Federal para apoiar e orientar pessoas discriminadas. 

Christopher já havia concluído a mudança. Wanda iniciava o processo.Aos 18 anos, ele se descobriu transexual. “A princípio, me via como mulher lésbica. Aos 20, comecei a tomar hormônios. A parte mais difícil foi me aceitar trans”, lembra Christopher, que teve apoio da família nesse processo.

Wanda entendia-se como homem gay, a princípio. Vivia em São João da Aliança (GO), uma pequena cidade perto da Chapada dos Veadeiros. 

“Internamente, aos 18 anos, comecei a compreender quem eu era, mas evitava pensar no assunto”, afirma. Quando ela passou a morar em Brasília, em 2016, sentiu liberdade para viver abertamente como mulher transexual.

Os dois estão juntos desde agosto de 2016 e pretendem selar a união com uma cerimônia na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Para o casal, a questão religiosa não é o mais importante.A igreja é um cartão-postal brasiliense, o favorito de Christopher, que é guia turístico e estudante de história. 

Wanda formou-se em geografia, deixou a sala de aula na época do processo de transição e agora estuda design de moda. Os dois fazem estágio em um órgão público.Agora, aguardam apenas a alteração do gênero de Wanda nos documentos para poderem dar entrada no pedido de casamento na igreja. 

A atualização do RG deve sair em breve e a cerimônia civil está prevista para dezembro. Depois disso, eles entrarão na fila para celebrar o amor na Catedral.

Wanda cogita usar um vestido branco modelo sereia quando caminhar pelo tapete vermelho do templo, sob o olhar dos anjos de Alfredo Ceschiatti. Christopher já decidiu o visual: vestirá terno bege. Quer a decoração toda em branco, com flores e velas. O colorido dos vitrais já basta.

Nos bancos da igreja, estarão personagens importantes na história do casal. A assistente social que os apresentou, Mirella, será madrinha. 

“Vamos convidar a comunidade LGBT de Brasília, especialmente as trans. Vai ser uma parada gay, uma celebração da diversidade”, planeja Christopher.“Quem sou eu para julgar?”

O Metrópoles entrou em contato com a Arquidiocese de Brasília, responsável pela administração da Catedral, para saber da disposição em receber uma cerimônia LGBT, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.

O papa ligou para o rapaz e o convidou para uma audiência privada, porém fora da agenda oficial. No encontro, ele disse a Diego: “Deus quer bem a todos os seus filhos, sejam como forem, e tu és filho de Deus, por isso a Igreja aceita-te como és”.

Em outra ocasião, sobre homossexuais, Francisco declarou: “Quem sou eu para julgar?”. O papa disse que “Jesus nunca rejeitaria a fé de uma pessoa transexual”.

Resistência

O casamento de Wanda e Christopher será também uma exaltação ao direito de existir. A “vida toda” pode significar 35 anos para transexuais e travestis. Essa é a expectativa média de idade para pessoas com essas identidades.

O Brasil é o país onde mais LGBTs morrem de forma violenta. Em 2017, ocorreram 179 assassinatos de travestis ou transexuais no território nacional, de acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). O número significa um homicídio a cada 48 horas.

Nos últimos 8 anos, foram 868 assassinatos de travestis e transexuais no país, segundo a ONG Transgender Europe (TGEu). 

Em números absolutos, isso é mais que o triplo das ocorrências no México, ocupante do segundo lugar do ranking, com 256 mortes no mesmo período.

Eles doaram um ao outro muito além das roupas trocadas após a transição de gênero. 

“Nos fazemos companhia até para ir comprar um pão. É aquilo: vai acompanhado, porque nesta sociedade ser trans é viver exposto à violência. O único lugar onde me sinto segura é do lado dele”, afirma Wanda.

Fonte e texto: Metrópoles 

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Trator para Aurora



Prefeito Caçula, junto com os vereadores de Aurora do Tocantins, o deputado federal José Nunes, o  ex-prefeito Dional Sena.

Todos na entrega de um trator para a prefeitura de Aurora do Tocantins, nesta semana. 

Em Taguatinga (TO), Polícia Civil prende quadrilha especializada em aplicar golpes em agências bancárias



A Polícia Civil do Tocantins , por intermédio da Delegacia de Taguatinga com o apoio Delegacia Regional de Dianópolis, desarticulou uma quadrilha que vinha efetuando saques de PIS, mediante o uso de documentos falsificados, em agências bancárias da Caixa Econômica Federal.


A quadrilha foi desarticulada após a prisão em flagrante, na última terça feira, dia 24, de A.G.F.C, na agência bancária da CEF situada em Taguatinga. 

Na ocasião da prisão, Ana Gabriela portava uma cédula de identidade falsa, que utilizaria para realizar os saques.

Segundo os funcionários da CEF, uma das comparsas da mulher conseguiu fugir da agência assim que o atendente percebeu a fraude, deixando para trás, contudo, documento de identidade falso.

A partir daí, policiais obtiveram informações de que os demais comparsas de da moça teriam fugido em um veículo Chevrolet Onix, cor marrom, sentido município de Dianópolis. 

A par disso, a equipe de Taguatinga seguiu no encalço dos suspeitos e acionou a Delegacia Regional de Dianópolis.

As autoridades prenderam  A.C.R, H.G.P e E.R.R.M, no instante em que se preparavam para uma nova investida criminosa na CEF de Dianópolis. 

Com os suspeitos, apreendeu-se insumos para fabricação de documentos falsos, cédulas de identidade falsas, notebook , impressora e o veículo Chevrolet Onix.

Em interrogatório, parte dos suspeitos confessaram que haviam se associado para praticar saques de PIS, não só no estado de Tocantins, mas também na Bahia e no Distrito Federal.

Com informações da PCTO

Vídeo do Dia: Globo Esporte invade a casa de Higor Leite, armador do ABC, e apresenta sua mãe, que é uma figuraça



MPF recomenda à UFG maior transparência em concursos públicos para contratação de professores



O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), no último dia 19 de abril, recomendou à Universidade Federal de Goiás (UFG) que adote as medidas necessárias para garantir, nos próximos concursos públicos que vier a realizar para contratação de professores, a divulgação pública das notas de todos os concorrentes, discriminadas por prova e etapa, a fim de garantir o respeito à ordem de classificação e possibilitar o controle do certame pela sociedade.

De acordo com a Recomendação, a UFG não publicou as notas das provas escritas do concurso público para o cargo de professor do magistério superior, na área de “Metodologia do Ensino da Dança e Estágio Curricular, regido pelo Edital UFG nº 75/2014. 

Apenas o resultado final do certame fora divulgado durante sessão pública, quando envelopes lacrados foram abertos com a nota final atribuída aos candidatos por cada membro da banca examinadora.

Para o procurador da República Marcello Wolff, autor da Recomendação, a não publicação das notas específicas, referentes a uma das fases mais importantes de um concurso público – a prova escrita –, compromete a ampla publicidade que deve nortear a realização desse tipo de processo seletivo. 

“Os processos de seleção pública são frustrados quando há a possibilidade de selecionar candidatos segundo critérios pessoais, subjetivos e ímprobos”, esclarece Wolff. A UFG tem o prazo de 10 dias para informar sobre o acatamento ou não da Recomendação.

ONG de Campos Belos promove bazar beneficente




A ONG Viver para Servir, de Campos Belos, que tem feito um trabalho muito bacana em prol da comunidade, especialmente para as pessoas mais necessitadas, vai  realizar o seu 1º Bazar Beneficente.

A ideia é angariar fundos para os projetos desenvolvidos pela instituição e custear a sua manutenção. 

O bazar será realizado no dia 29 de abril, entre as 7h30 e 11h, na sede da ONG, em frente à feira municipal. 

Outra iniciativa é um curso gratuito de informática - As inscrições estão abertas, com vagas limitadas para crianças, jovens, adultos e idosos.  

Social: Chá das Damas do Cerrado traz 2ª edição com ainda mais glamour



Inspirada no estilo anos 60 para homenagear o aniversário da capital federal, a segunda edição do Chá das Damas do Cerrado, realizado na última segunda-feira (23/04), no Villa Rizza, e organizado pela BPW Brasília (Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Distrito Federal), em parceria com a AMA Brasília (Aliança das Mulheres que Amam Brasília), foi um momento de muitas comemorações.


Pioneiras, empresárias e mulheres de destaque na sociedade marcaram presença no evento, que fez parte das festividades dos 38 anos da BPW em Brasília. 

Na ocasião, foram homenageadas todas as ex-presidentes da BPW Brasília, além de duas mulheres de destaque pelo trabalho na construção social da cidade: dona Sarah Kubitscheck, e a atual primeira-dama e colaboradora do Governo, Márcia Rollemberg. 

Além da confraternização festiva, houve apresentações e desfiles de chapéus e de trajes da época em Brasília nasceu.




CNH digital já é válida em todo o Brasil, mas tem pouca adesão


Mesmo depois de todos os estados aderirem a Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e), apenas 0,15% solicitaram a nova carteira digital, o que é um número pequeno em comparação aos 70 milhões de cidadãos habilitados para dirigir no país, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). 


Sendo que na prática, o objetivo CNH digital é facilitar a identificação, tanto para os condutores quanto para os agentes de trânsito uma vez que sua autenticidade poderá ser comprovada pela assinatura via certificado digital do emissor, mas só pode ser gerada para quem tem a última versão da CNH impressa. 

Além disso, as novas carteiras de usam um código na parte interna do documento (QR Code), permitindo sua leitura com a câmera de um smartphone de forma fácil e acessível, evitando fraudes. 

 “Pelo QR-Code é possível ter acesso ao banco de dados no qual as informações do motorista ficam registradas. Ele é único para cada carteira emitida. 

Mesmo que você não solicite a versão eletrônica da sua CNH, ela estará armazenada em um servidor seguro de cada Detran para ser usada por agentes de trânsito ou quem mais necessitar verificar a autenticidade das informações, checando se os dados que estão no documento físico são os mesmos que estão no banco do Detran, reduzindo a possibilidade de fraude", ressalta Lucas Vieira, Gerente de Produtos da Soluti, empresa especializada em segurança e Certificação Digital. 

Lembrando que o código está disponível nos documentos de habilitação emitidos a partir de 02 de maio de 2017.

A Soluti, também desenvolveu uma solução que serve de apoio para a entrada em vigor da CNH-e, o S.DNA. 

A ferramenta tem como característica reunir informações pertencentes a um indivíduo, empresa ou produto através de um Certificado de Atributo que reúne os dados do usuário via autenticação. 

 Também possui um recurso de comunicação de dados, compilando informações sobre um determinado usuário ou empresa para acesso à terceiros, via QR Code.

Como obter a CNH-e


Antes de baixar o aplicativo no smartphone, o motorista deve ter um número de celular e um endereço de e-mail cadastrados na base do Denatran. 

Após isso, deve ser feito o download gratuito do app, que estará disponível nas lojas oficiais da Apple e do Google. 

Outro quesito é a aquisição de um certificado digital (pago), que irá permitir fazer todo o processo pela internet. Também será necessário fazer um cadastro no Portal de Serviços do Denatran. A partir daí o condutor cria um PIN de segurança.

Facilidades da certificação digital para solicitação da CNH-e


O certificado digital é a identidade do condutor, no qual é integrada na CNH-e e armazena todas as informações da carteira impressa, garantindo a autenticidade do documento e tem como principais vantagens a praticidade, segurança e comodidade para o condutor. 

Detalhe: o valor jurídico é o mesmo do documento impresso. Lucas Vieira, Gerente de Produtos da Soluti, lembra que o processo de emissão da CNH-e é posterior ao da emissão da carteira física. 

“Você precisa passar por todo o processo de emissão da carteira física, para depois solicitar a emissão da versão eletrônica”, explica Vieira.

Por questões de segurança, a CNH Digital é vinculada somente em um aparelho telefônico por vez. 

Portanto, em caso de perda ou roubo, será necessário informar o novo aparelho – utilizando a mesma senha de acesso – ao Portal de Trânsito para desbloqueio. 

Assim, a CNH Digital do aparelho anterior será bloqueada automaticamente após o desbloqueio do novo dispositivo. 

Ainda, de acordo com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), mais de 1,2 milhão de downloads do aplicativo da CNH-e foram efetuados, sendo 975 mil para celulares com sistema operacional Android e 230 mil utilizando o iOS (Apple).

quinta-feira, 26 de abril de 2018

Urgente: Ex-deputado morre em acidente com caravana de candidato ao governo do Tocantins




O ex-deputado Júnior Coimbra morreu nesta quinta-feira (26) em um acidente de trânsito enquanto participava da caravana do candidato ao Governo do Tocantins, Carlos Amastha (PSB). 

Coimbra estava em um dos veículos que percorrem o interior do estado durante a campanha, o acidente foi próximo a cidade de Sandolândia, no sul do estado.

Pelas primeiras informações, o veículo teria capotado na TO-070, entre Sandolândia e Formoso do Araguaia, próximo a um povoado chamado Dorilândia.

Outras duas pessoas acompanhavam o ex-deputado no carro. Ainda não há informações sobre as causas do acidente ou o estado de saúde das outras vítimas. Os eventos de campanha foram cancelados em função do acidente.

A Polícia Civil informou que a perícia foi deslocada para o local do acidente. O Hospital Municipal de Formoso do Araguaia informou que está recebendo pacientes que ficaram feridos no acidente.

Com informações do G1

DJ e produtor camposbelense, Diego Costa, começa a se destacar no cenário nacional




O DJ Diego Costa começa a ser conhecido no cenário nacional.

Produtor de música eletrônica, Diego Costa possui várias músicas de sua autoria, sendo que uma delas, a "Travel in me", conta mais de 70 mil plays.

O Dj, que tem 26 anos, também é produtor de Deep House & Techno e está por trás do nome ACOST. 

"Com um único objetivo. Quebrar barreiras e descobrir novos horizontes, através de sua música, poder compartilhar os melhores momentos e acontecimentos do projeto com o meu publico" afirma.

Primeiro encontro dos aurorenses e amigos em Brasília ocorre no dia 17 de junho


Ciretran passa a atender em São Domingos (GO)



O Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito) começou a atender na terça-feira (25) em São Domingos, no nordeste goiano.

O atendimento está sendo realizado no balcão de atendimento da prefeitura municipal, de segunda a sexta, das 08h às 17hs.

O Ciretran presta todos os serviços necessários aos usuários de veículos, atende também toda a população procurando soluções e facilitando as necessidades dos condutores e proprietários de veículos.

Além do Ciretran, o balcão de atendimento conta com os serviços da Agenfa, Banco do Povo, Goiás Fomento, junta militar, todo atendimento administrativo municipal, fundoprev e regularização de imóveis urbanos.

“É sabedor através do portal de transparência, que os repasses aos municípios têm sofrido queda drástica, e nem por isso a inovação, a determinação, o compromisso com o desenvolvimento e o bem comum de todos tem deixado de ser a marca na administração 2017/2020 no município de São Domingos. Inovar com ética e responsabilidade, enfrentando as adversidades tem sido a nossa marca” comentou o prefeito Cleiton Martins.

“Agregar valores municipal, através de um trabalho sólido, gerando independência para nossa gente e qualidade no serviço prestado é a tecla que nos batemos, é assim que cobro de toda equipe dessa gestão”, disse o prefeito Cleiton Martins.

Com informações de Antônio Carlos 

Cavalcante e Guarani de Goiás estão entre os municípios com as melhores avaliações no relatório sobre portal da transparência



O Relatório do Diagnóstico quanto ao cumprimento da Lei de Acesso à Informação (Lei nº. 12.527/2011), elaborado pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCMGO), identifica a situação das 246 prefeituras goianas.

Do total de municípios, 220 (o que equivale a 89,43%) foram considerados adimplentes e 26 municípios (o que corresponde a 10,57%) inadimplentes.

Os inadimplentes foram notificados, para solucionar as irregularidades. O relatório foi feito pela Secretaria de Licitações e Contratos, no período de setembro a dezembro de 2017, e homologado pelo Tribunal, Acórdão nº 0531 de 23 de março de 2018.

O relatório foi feito pela Secretaria de Licitações e Contratos, no período de setembro a dezembro de 2017, e homologado em março pelo Tribunal.

Os auditores do TCMGO analisaram informações mínimas, que devem ser disponibilizadas aos cidadãos, exigidas pela LAI, no art. 8º, incisos I a VI do §1º, bem como da Lei Complementar nº 101/2000, especialmente quanto à transparência da gestão fiscal.

No nordeste goiano, Cavalcante e Guarani de Goiás são os municípios com as melhores avaliações no relatório sobre o portal da transparência, de 100 pontos possíveis, Cavalcante obteve 92 pontos e Guarani, 91 pontos.

Veja abaixo os 28 municípios com pontuação acima de 90 pontos:


Câmara Municipal de São João d´Aliança (GO) rejeita contas da prefeitura



A Câmara Municipal de São João d´Aliança, no nordeste goiano, rejeitou as contas da prefeitura local, acatando assim o parecer prévio nº 05693/2016 , do Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCMGO). 

As contas rejeitadas foram as do ano de 2015.

A decisão da casa legislativa foi oficializada por meio do Decreto nº 02, de 2018, publicado em 9 de abril último.

A Comissão Permanente de Finanças e Orçamento também se pronunciou sobre irregularidades não sanadas.

Fonte: TCMGO

TCM determina que Prefeito de Mambaí (GO) afaste gestor de Fundo de Previdência


O Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás (TCMGO) expediu uma medida cautelar no inicio do mês de abril, determinando ao prefeito de Mambaí, no nordeste goiano, Joaquim Barbosa Filho (PP), o afastamento do gestor do Fundo de Previdência Social do Município (FUMPREMAM), Antônio de Melo Monteiro, imediatamente do cargo.

Além disso, também foi pedido pelo TCMGO que o prefeito instaure processo administrativo disciplinar em desfavor do gestor, para apurar irregularidades apontadas nos pagamentos de benefícios previdenciários e as devidas responsabilidades.

De acordo com o órgão, se Antônio continuasse prosseguindo no exercício de suas funções, isso poderia dificultar a realização de inspeção e causar danos ao erário, realizando pagamentos irregulares.

Fonte: Opção

Brasília: Tiê faz show no Terraço em homenagem ao Dia das Mães


Em comemoração ao Dia das Mães, o Terraço Shopping preparou um show especial para celebrar a data. A cantora Tiê e sua banda se apresentam no dia 17 de maio, quinta-feira, às 21h, na Praça Central.

De voz doce e letras sinceras, Tiê lançou seu quarto disco, GAYA, em outubro de 2017. 

O primeiro single “Mexeu Comigo” está na trilha da nova temporada de Malhação, enquanto o segundo single, “Amuleto”, está na novela O Outro Lado do Paraíso, ambas da TV Globo.

Na turnê de GAYA, Tiê compõe o repertório mesclando novidades com grandes sucessos de seus três primeiros discos - Esmeraldas (2014), A Coruja e o Coração (2011) e Sweet Jardim (2009).

Ao longo de sua carreira, fez diversos shows pelo Brasil, pelas américas do Norte e do Sul, e também pela Europa. 

Já se apresentou em festivais como Primavera Sound (Barcelona), Rock in Rio (Rio e Lisboa), SXSW (Texas, EUA), Planeta Terra (SP) e Coquetel Molotov (Recife) e, recentemente, no Lollapalooza (SP).

Serviço

Terraço In Concert - Tiê e Banda
Data: 17/05, quinta-feira
Local: Praça Central
Horário: 21h

Novo livro de Oleg Steinhauer, nome proeminente do gênero espionagem, se passa em torno de mesa de jantar



Um dos melhores escritores de espionagem contemporâneos, autor de best-sellers como “O turista”, Oleg Steinhauer saiu da sua zona de conforto em “Um jantar entre espiões”, que chega às livrarias pela Record em abril. 

Se nos romances do gênero estamos acostumados a ver ação, aventura e agentes que viajam pelo mundo, neste livro o enredo praticamente todo se desenvolve em torno de uma mesa de jantar.

A trama começa em 2006, quando um sequestro de avião no aeroporto de Viena acaba numa tragédia de grandes proporções, com 120 mortos. Anos depois, com a ajuda de um informante, descobre-se que um traidor num posto avançado da CIA pode ter contribuído com os terroristas. 

 Na época, os agentes Henry Pelham e Celia Harrison trabalhavam juntos no escritório austríaco da CIA. E também eram amantes. Logo depois do trágico atentado, ela decidiu abandonar a vida no serviço secreto para se casar e ter filhos, enquanto ele seguiu trabalhando na agência.

Nos dias de hoje, Henry é incumbido de investigar e descobrir quem é o tal traidor. 

Para isso, viaja até a cidadezinha de Carmel-by-the-Sea, na Califórnia, onde Celia mora hoje com o marido e os dois filhos, e a encontra para um jantar. Ali, com os dois personagens sentados frente a frente, Steinhauer constrói um interessante jogo de manipulação, verdades e mentiras. 

Alternando as perspectivas dos personagens, ele cria um clima de suspense que deixa o leitor até o fim querendo saber quem é o traidor; mas também aprofunda suas nuances e explora questões sobre a relação entre a espionagem e os relacionamentos pessoais.

“Um jantar entre espiões” já teve seus direitos vendidos para o cinema. O filme, que ainda entrará em produção, será dirigido por James Marsh (de “A teoria de tudo”) e protagonizado por Michelle Williams e Chris Pine.

TRECHO:

“Ela fala fluentemente e sem restrições, dando voz a Celia 1, a mulher que sabia como controlar uma conversa desde o começo até sua inevitável vitória ao fim dela. A Celia que sabia como contar uma história, inventar detalhes de última hora, e atraí-lo a um labirinto de fabricações composto de tanta autenticidade que você nunca, nem mesmo anos depois, saberia se tinha sido feito de bobo.

O que me faz pensar sobre as diferenças entre essas duas mulheres. Há alguma? Celia 1 era uma manipuladora profissional, enquanto Celia 2 é desconcertantemente sincera, o que leva à suspeita inevitável de que Celia 2 é a falsa, um fantoche cujos fios estão sendo cuidados e controlados pela mulher com quem um dia dividi a cama.”

Resenha New York Times - nyti.ms/2JUfz8C

Resenha Washington Post - wapo.st/2J3S7EL

Resenha Independent - ind.pn/2EVNutW

Resenha LA Times - lat.ms/2qKsJfs

Sobre o autor

Olen Steinhauer já foi duas vezes finalista do Prêmio Edgar, além de ter recebido indicações aos prêmios Anthony, Macavity, Barry e Ellis Peters Historical Dagger. 

Criado na Virgínia, é autor de “O turista”, publicado pela Editora Record, além de obras como “The nearest exit”, “The American spy” e “The Cairo affair”. Divide seu tempo entre Nova York e Budapeste. Mais informações em olensteinhauer.com.