Banner 1

Banner 1

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Favela: Celso Athayde é o empreendedor social de 2017


O CEO da Favela Holding, Celso Athayde, criador do conceito de Executivo Social, recebe, nesta terça-feira, prêmio de Empreendedor Social do ano de 2017, da Revista Istoé Dinheiro.

O evento ocorre no Citibank Hall, em São Paulo, pelos trabalhos e empreendimentos criados pela holding social nas favelas, fomentando a economia nesses territórios.

Celso fundou a Favela Holding em 2013, e desde lá a mesma já conta com 22 empresas, desde comércio de passagens aéreas para moradores de favelas, como a Favela Vai Voando, em parceria com Fly Tour a entregas nesses territórios, como o projeto Recomeço, que funciona em parceria com a Natura e outras marcas, onde ex-detentos entregam de moto produtos destas empresas a endereços nesses locais.

“Receber reconhecimento é sempre importante, mas nosso trabalho é focado na possibilidade de fazer com que os moradores das favelas não apenas consumam, mas que façam parte da cadeia de gestão do que eles já consomem, gerando empregabilidade e empreendedorismo na base da pirâmide em grande escala”, ressalta Celso. 

“Onde veem carência, eu vejo potência. Onde veem tensão, eu vejo solidariedade”, explicou.

Celso tem 54 anos, nasceu na Baixada Fluminense, chegou a morar no viaduto de Madureira, depois viveu na Favela do Sapo, em Senador Camará, zona oeste do Rio de Janeiro. 

Começou a trabalhar como camelô, depois foi para o ramo musical, onde atuou no rap, empresariando o grupo Racionais e o rapper MV Bill, com quem fundou a Central Única das Favelas (CUFA) há 19 anos. Hoje a CUFA está presente nos 27 estados brasileiros, desenvolvendo projetos sociais nas favelas.

Depois do sucesso alcançado na CUFA, Celso viu a necessidade de, além levar projetos sociais às favelas, com esporte e música, incentivar o empreendedorismo nestes territórios. 

Com isso, criou a Favela Holding, que hoje é mantenedora da ONG fundada por ele. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário