Banner 1

Banner 1

sábado, 25 de novembro de 2017

Moeda simbólica é usada em Feira Cultural e Científica de colégio em Novo Alegre (TO)





No último dia 23, o Colégio Dr. João D’Abreu, em Novo Alegre (TO), promoveu a sua Feira Cultural e Científica.

Segundo o diretor da instituição, Manoel Aragão, o trabalho foi feito com o intuito de culminar os ensinos adquiridos pelos estudantes no decorrer do ano letivo.

Durante o desenvolvimento do trabalho, os alunos foram monitorados pelos professores quanto à preparação das apresentações. 

Deste modo, foram desenvolvidas atividades em forma de teatro, coral, música, pequenos seminários e recitação de poemas e experimentos científicos.

Os trabalhos foram conduzidos pelo professor David e contou com a participação de pais de alunos e da secretária de educação do município Lilian de Jesus Gomes da Silva. 

"Todos os educandos participaram de maneira relevante, onde os dois turnos, manhã e tarde, se juntaram para fazer as apresentações. Os alunos do 8º ano matutino organizaram sorteio de brindes para descontrair os presentes", disse o diretor. 

A maioria das apresentações abordou temas como: a destruição do meio ambiente, bem como o consumo consciente de alimentos na questão do reaproveitamento de partes que seriam descartadas. 

Assim, os alunos do 6º ano organizaram uma barraca que vendeu produtos feitos com casca de frutas como bolos, doces e sucos. 

A venda dos produtos se deu com o uso de uma moeda simbólica batizada pelos alunos de “D’ABREU” trabalhando assim o sistema monetário.

Antecedendo à feira, os alunos organizaram uma arrecadação de alimentos com o intuito de doá-los aos colegas de sala que passam por sérias necessidades.

As professoras Neura e Euvane conduziram as apresentações científicas que trabalhou a temática do meio ambiente e experimentos diversos.

O evento contou com apresentações musicais feitas pelos próprios alunos do colégio em forma de coral e de maneira solo.

"Tudo foi bem executado pelos alunos que com certeza, puderam aprender maneiras práticas de economizar e cuidar do meio ambiente", elogiou Aragão. 

As apresentações se encerraram com a venda dos produtos na Barraca da Economia. 

2 comentários:

  1. Muita gente fica com "balela" inventando coisas. Na escola não precisa ser mágico, precisa trabalhar e dar oportunidade aos futuros cientistas, os alunos. Eu sou um professor realizado, pois compreendo que os alunos são os atores mais importantes da sociedade em que vivem, basta mostra para eles o caminho da ciência e do sucesso.

    ResponderExcluir
  2. A feira foi um sucesso. Mas, devido o famoso "corre-corre" dos eventos escolares(quem é professor sabe do que estou dizendo), passou despercebido o sutil equívoco no uso de um acento em determinada palavra de um cartaz produzido pelos alunos(equívoco este severamente e desnecessariamente criticado por alguns). Entretanto, o evento ocorreu de modo organizado e os alunos deram um show de talento. Sem dúvida foi um sucesso.

    ResponderExcluir