Banner 1

Banner 1

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Comoção e mobilização, principalmente pelos animais mortos


Este é o segundo grande incêndio na Chapada neste mês. No primeiro, que começou dia 10 e terminou sete dias depois, o fogo consumiu 18 mil hectares de cerrado. Ainda não se sabe a causa.Pousadas amargam prejuízos

O incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros mobilizou a população das localidades mais afetadas. Fechado há cinco dias, e pegando fogo há mais de 10, a unidade deixou de receber milhares de pessoas. Estima-se que a reserva movimente quase R$ 100 milhões por ano. 

Essa é a segunda vez em menos de um mês que o bioma pega fogo. Depois uma semana fechado por causa de um incêndio, o local voltou a funcionar no último dia 17.

Segundo o diretor do parque, Fernando Tatagiba, em um feriado prolongado, ao menos 2 mil pessoas passam pelo parque. “Ele é o principal atrativo turístico da região. Apesar de não cobrarmos ingressos, existem estudos que confirmam que movimentamos cerca de R$ 100 milhões para a economia em um ano, levando em conta o comércio e a rede hoteleira”, comenta.

A região da Chapada dos Veadeiros é composta por seis municípios: Alto Paraíso, Cavalcante, São João da Aliança, Colinas do Sul, Teresina de Goiás e Nova Roma. À exceção de Colinas do Sul, todos os demais são englobados pelo Parque Nacional. Nas seis moram cerca de 39 mil pessoas. 

A cada ano, os municípios recebem cerca de 250 mil turistas, que permanecem, em média, três dias na região. De acordo com João Lino, gerente de projetos, pesquisas e produtos turísticos da Goiás Turismo, agência de turismo do Estado, esse ramo da economia movimenta R$ 87,5 milhões por ano na Chapada.

Segundo ele, entre 20% e 30% dos habitantes serão prejudicados pelo incêndio por dependerem direta ou indiretamente do turismo na região. 

“Há mais de 200 meios de acomodação, formais e informais, nos seis municípios. Embora todos os dados numéricos que temos sejam apenas projeções, sabemos que a Chapada é o principal destino internacional de ecoturismo e turismo de aventura em Goiás”, afirmou João.

Reservas canceladas

Dona de uma pousada na região, Luciana Kimiko Yoda começa a sentir os efeitos do incêndio. “Os hóspedes que vieram no último fim de semana reclamaram bastante pelo fechamento de vários pontos turísticos e por ver tudo cinza. Houve uma queda de, pelo menos, 50% nas reservas”, lamenta. “Várias reservas foram canceladas por conta do incêndio e do fechamento do parque”, reforça Téia Santos, proprietária de uma pousada na Vila de São Jorge. 

A baixa visibilidade por conta da fumaça também tem afastado os turistas. “Passar pelas estradas está complicado. Tem muita gente cancelando reservas do fim de semana e do próximo feriado (2 de novembro, Finados)”, conta outra dona de pousada em São Jorge, Fernanda Miranda.

Em Cavalcante, Alto Paraíso e na Vila São Jorge, voluntários se uniram para dar o suporte aos bombeiros e brigadistas. Moradores têm ajudado com alimentos, roupas e até no combate direto às chamas. Moradora de Cavalcante, Juliana Luz, 26 anos, ajudou com comida e água. 

Segundo ela, o auxílio é fundamental. Ela disse que o trabalho de contenção das chamas muita das vezes passa por trilhas íngremes em condições de difícil acesso. “Há moradores de calça e blusa no rosto, sem estrutura nenhuma, com muita garra para tentar ajudar com o que pode”, ressaltou.

COMO AJUDAR

Moradores de Alto Paraíso e entidades de defesa ambiental criaram a Rede Contra Fogo. 

Os voluntários montaram um site em uma plataforma de financiamento coletivo para arrecadar fundos destinados à preparação de lanches, ao transporte de voluntários, à logística de equipamentos e a operações de combate ao fogo.

Para saber mais, acesse: 
catarse.me/redecontrafogoveadeiros

No resgate a animais

Voluntários do DF e da Chapada dos Veadeiros se reuniram para arrecadar materiais hospitalares para os cuidados com animais afetados pelo fogo. 

O grupo aceita medicamentos, soro, gazes, luvas, gaiolas, além de alimentos para voluntários e equipamentos de combate a incêndio. As doações serão recebidas hoje, na portaria do Zoológico de Brasília, 
das 8h às 17h.

Mais informações: 
982-717-029 (Fernanda) e 983-666-997 (Ingrid) 

Famosos unidos

O incêndio na Chapada dos Veadeiros também mobilizou celebridades em uma corrente de pedidos de ajuda. Um dos mais ativos, o músico, compositor e produtor Renio Quintas disse que as redes sociais conseguiram impulsionar bastante a causa. 

“O fogo está em áreas de difícil acesso. Toda ajuda material e de sustentação será muito bem recebida. Vemos um movimento aqui em Brasília e lá na Chapada. Apesar de ser um atentado contra a natureza, é muito bonito ver o empenho em ajudar”, destacou.

A atriz e comediante Maria Paula também está sensibilizada. Ela relatou que tem conhecidos que foram afetados com a queimada e que a situação, apesar de alarmante, trouxe uma corrente de mobilização muito grande e que ver tantas pessoas prestando ajuda traz um sentimento de esperança. “São milhares de pessoas, todos os vizinhos estão se falando o tempo todo. 

Temos muitos grupos no WhatsApp com voluntários que estão indo combater o fogo diretamente”, contou. Ela tem casa na Chapada e está em contato direto com moradores, comerciantes e pessoas afetadas. 

“Só conseguirei ir para lá sexta-feira, mas, enquanto isso, contato direto meu caseiro, que está prestando auxílio a todos que estão necessitando. Por hora, ele está à frente de um dos grupos”.

Ambientalista, a modelo Gisele Bündchen publicou um stories em seu Instagram com uma imagem do incêndio e o seu pedido de ajuda: “Vamos salvar o berço das águas. A mãe natureza, toda fauna e flora agradecem.” 

Também uma grande defensora da natureza, a atriz Giovanna Ewbank postou, no Instagram, uma sequência de fotos e vídeos que mostravam as proporções do incêndio e abaixo um texto que pedia ajuda em nome da Rede Contra Fogo, composta por moradores de Alto Paraíso mobilizados em conjunto com a Rede de Integração Verde (RIV), Mandato Coletivo, IBC, Fundação Mais Cerrado e outros representantes do município.

Via Twitter, a nadadora Joanna Maranhão afirmou ter feito uma doação e pediu dos seus seguidores. 

“SOS Chapada dos Veadeiros! fiz uma doação hoje. Quem puder, faça também!”. Outros artistas que demonstraram apoio à causa pelas redes sociais são a cantora Preta Gil e a atriz Letícia Spiller.

Fonte e texto: CorreioWEb

Nenhum comentário:

Postar um comentário