Banner 1

sábado, 16 de setembro de 2017

Morre o ex-prefeito de Posse (GO), o médico Edgar Pereira


A cidade de Posse (GO) perdeu um de seus grandes filhos, o "Dr. Edgar Pereira dos Santos" morreu nesta semana e deixou uma história muito importante e marcada no município, como médico e ex-prefeito.

Filho de Claudionor Pereira dos Santos e Judite Pereira dos Santos, o médico Edgar Pereira dos Santos nasceu no dia 8 de agosto de 1940, na cidade de Posse, e sempre manteve uma grande ligação com esse município do interior goiano.

Foi em Posse que ele iniciou e concluiu a primeira etapa dos estudos. Disposto a cursar Medicina, mudou-se para Goiânia, onde concluiu o então curso científico. 

O passo seguinte foi o ingresso na Faculdade de Medicina da Unesp, em Botucatu, no interior de São Paulo, onde se formou em 1970 e fez também a residência em cirurgia geral.

Já formado, Edgar Pereira dos Santos voltou à cidade natal para realizar seu sonho de ser médico em Posse. Ele chegou ao município em agosto de 1971, se tornando o primeiro médico não só de Posse, mas de toda a região nordeste de Goiás.

Edgar Pereira dos Santos realizou um sonho, mas se deparou com muitos desafios. E foi vencendo cada um, com determinação, sabedoria, coragem e conhecimento.

O primeiro obstáculo enfrentado foi a falta de estrutura na região, que não contava com nenhuma unidade hospitalar. Em 2 de outubro de 1971, ele fundou o Hospital São José, que hoje leva o nome de Hospital Dr. Arquimedes Vieira de Brito, em homenagem ao único profissional de saúde que tinha no município.

No início de seu funcionamento, o hospital não contava com leitos próprios. Outro desafio que não intimidou Edgar Pereira dos Santos. Com a ajuda da comunidade, ele equipou o hospital com camas comuns, doadas pela população, e começou a trabalhar.

E trabalho não faltou ao jovem médico. Antes mesmo da conclusão do centro cirúrgico, Edgar Pereira dos Santos se viu obrigado a fazer uma cesariana e a operar uma apendicite supurada com anestesia local, porque não tinha agulha de raque no hospital.

Aos poucos, foi formando sua equipe de auxiliares. Com o apoio da esposa, Varmen Leodoro Pereira dos Santos, levou as duas parteiras que atuavam em Posse para trabalharem no hospital. Antes, as parteiras foram orientadas sobre o uso de luvas e a esterilização de materiais.

Trabalhando em Posse há 40 anos, Edgar Pereira dos Santos foi durante três décadas o único cirurgião da região. Nesse período, se deparou com muitas situações, que mais do que conhecimento em Medicina, exigiram do médico coragem e determinação para agir rápido e salvar a vida dos pacientes a espera de atendimento.

Foi assim, que operou o esôfago de um paciente, há 35 anos e hoje vê esse paciente em boas condições de saúde. Ao longo desses anos, Edgar Pereira dos Santos fez outras mais de 10 mil cirurgias.

As dificuldades enfrentadas para o exercício da Medicina e a sobrecarga de trabalho não o impediram de se dedicar à política. Pelo contrário, Edgar Pereira dos Santos acredita que o médico deve participar da política para lutar por obras e melhorias para a área da saúde.

Assim, entre 1976 e 1982, foi vice- prefeito de Posse e, de 1992 a 1996, foi prefeito da cidade, tendo construído grandes obras que compõe o complexo de saúde de Posse, como o hospital, maternidade e laboratório.

Em 2008, assumiu a Secretaria de Saúde de Posse e elaborou o projeto de hemodiálise e banco de sangue para o município. Um projeto, que por questões políticas, não saiu do papel.

Viúvo, ele era pai da médica geriatra Daniela, do médico veterinário Edgar Henrique, da enfermeira padrão Fabrícia e da médica pediatra Karenyna. Avô de Eduarda, Rafaela e Rafael Lucas, Edgar Pereira dos Santos é também um grande orgulho da Medicina goiana.

Fonte: Diário de Posse

Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Dinomar,
Oriente seus colabores a serem mais ágeis, esta noticia é requentada
já vai acontecer a missa de sétimo dia. Seja ligeiro como era ano passado para denunciar, agora a coisa é diferente mandamos as denuncias gravíssimas e o blog seleciona e Ministerio Público nem toma conhecimento. Esta mesma possivelmente não será publicada. O pau que batia no Ninha não é o mesmo que bate no Eduardo. Esta havendo distinção entre Xico e Francisco. Cuidado com o descrédito. Jornalista que se preza não pode receber dinheiro para elogiar, tampouco para denegrir. Aqui estamos vendo "calaboca" de imprensa, com dinheiro de remédios e merenda. Quem usa dinheiro de remédio e de merenda em proveito próprio não vai pro CÉU vai arder no fogo do inferno.