Banner 1

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

MEC aprova Escola da Terra para os câmpus de Tocantinópolis e Arraias (TO)


Pela primeira vez, o Tocantins foi contemplado com o curso de Aperfeiçoamento Escola da Terra, aprovado para execução por meio dos cursos de graduação de Educação do Campo nos câmpus da UFT em Arraias e Tocantinópolis. 

Serão ofertadas 200 vagas para formação continuada de professores de escolas rurais da educação básica. 

De acordo com os professores Maciel Cover e Alessandro Pimenta, dos referidos cursos de graduação, agora é necessário que os gestores municipais adiram ao Programa pelo Sistema PAR e indiquem os profissionais da educação para que tenham acesso à capacitação.

Cover, que é coordenador institucional do curso Escola da Terra, destaca que o curso de aperfeiçoamento tem o objetivo de contribuir para o fortalecimento da educação em áreas rurais e de quilombolas. 

"O programa Escola da Terra é iniciativa que pretende contribuir na formação de professores das escolas do campo, em diferentes áreas do conhecimento. Debater e construir conhecimentos com estes educadores e educadoras é um caminho que pode se mostrar eficiente na melhoria da educação do campo para estas comunidades e para o estado do Tocantins".

Pimenta, coordenador adjunto, frisa ainda que a aprovação do projeto para o Tocantins vem somar às conquistas do curso de Educação do Campo no Estado - presente nos câmpus de Tocantinópolis e Arraias. 

"Os cursos de Educação do Campo são os mais procurados nos câmpus de Tocantinópolis e de Arraias. Isso é fruto de um trabalho coletivo onde as populações campesinas e quilombolas são protagonistas”. 

Para ele, a Escola da Terra "promoverá a formação continuada específica de professores para que atendam às necessidades de funcionamento das escolas do campo e das localizadas em comunidades quilombolas, oferecendo recursos didáticos e pedagógicos que atendam às especificidades formativas das populações do campo e quilombolas”, destacou.

Classes multisseriadas

Segundo o Ministério da Educação (MEC), a Escola da Terra é ação constante do Eixo nº 1 do PronaCampo e busca promover o acesso, a permanência e a melhoria das condições de aprendizagem dos estudantes do campo e quilombolas em suas comunidades. 

Conforme o sítio de internet do Programa, "o atendimento às escolas do campo e escolas localizadas em comunidades quilombolas incluídas na ação Escola da Terra se dá em turmas compostas por estudantes de variadas idades e dos anos iniciais do ensino fundamental (Classes Multisseriadas), fortalecendo a escola como espaço de vivência social e cultural. 

A Escola da Terra disponibiliza apoio às escolas do campo com turmas compostas por estudantes de variadas idades e diferentes níveis de aprendizagem dos anos iniciais do ensino fundamental (Multisseriadas) e em escolas de comunidades quilombolas".

Os coordenadores do Programa no Tocantins aguardam agora a adesão dos municípios. Conforme o professor Pimenta, os gestores municipais precisam acessar o Sistema PAR (Plano de Ações Articuladas) e procederem a adesão à Escola da Terra. 

"Tendo aderido, poderão participar da formação", pontuou o coordenador adjunto, enfatizando que é importante a participação dos município no Programa tendo em vista que ele visa à melhoria das condições de acesso, permanência e aprendizagem dos estudantes do campo e quilombolas em suas comunidades.

Fonte: UFT

Nenhum comentário: