Banner 1

sábado, 30 de setembro de 2017

Crônica: que babado! Campos Belos apaga velinhas. Arraias sempre presente


Por Andra Ribeiro,

O 63° aniversário de emancipação de Campos Belos merece 10 fatos(opiniões):

1- A cidade já foi "colônia" de Arraias. Sim! 

Era uma fazendinha no meio do nada. Era chamada de Almas, coitadinha! 

Em 1893, duas almas legais, Círiaco Antônio Cardoso e Maria Prima Gasparino Pinheiro, doaram para Nossa Senhora da Conceição uma parte de suas terras. 

Ali, juntou-se outra galerinha mais legal ainda e construi uma capela dedicada à Nossa Senhora. Vários rolês aconteceram, viu? Depois, Campos Belos , ainda uma alma boa, tornou-se uma vila, Distrito. 

E tem mais: Após vários paranauês, o distritinho foi integrado ao Município de Monte Alegre, que na época era conhecido como Chapéu. 

Diz a lenda que muita gente sem amor no coração comemorou a independência em relação à cidade de Arraias, fato que se comemora até hoje.

2- Águas rolaram nesta cidade. Diz-se que o seu nome foi sugerido por um Frei dominicano. Chique, né? Ele achou a região tão bonitinha que não resistiu:

- Um lugar tão lindo desse só pode se chamar Campos Belos, pensou o frei.

3- Religiosamente, Campos Belos sempre foi bem representada. 

A igreja católica foi a primeira semente plantada em suas terras. 

Mas, em 1930, chegou na região o senhor Agripino e, com sua família, o povoado pode conhecer a Igreja Adventista do Sétimo Dia.

3.1- Conta-se, ainda, que na década de 1950 o pastor norte-americano B. H. Foreman construiu, aqui, uma instituição de ensino privada, a Escola Batista. 

Minha gente, deve ter sido uma revolução e tanto.

Fato é que dizem que o cara, que hoje é nome de uma das ruas importantes da cidade,"foi enterrado do lado de fora do cemitério, que na época situava-se onde hoje se localiza a Rua do Comércio, por não ser batizado na religião Católica." 

Que babado foi esse, heim?

3.2- Dois padres marcaram a história de Campos Belos: Dom Alano com sua humildade e, Padre Magalhães com sua sabedoria. 

Os dois contribuíram "significamente", não somente com as questões religiosas mas também políticas e educacionais. Um salve aos dois!

4- Padre Moreira, hoje Dom Moreira, também é uma lenda na cidade. 

As velhinhas até hoje são apaixonadas pelo seu carisma. Eu, por exemplo, quando criança, achava que ele era Deus vestido de palhaço.

5- Aqui também morou um Anjo. Ele não tinha asas , mas sabia consertar carros e o coração de um bocado de gente. 

Foi prefeito, artista e eu também achava que ele era Jesus. Chorava quando o via morrer nas procissões. 

Chorei quando o vi morrer em um dos dias mais tristes que já vivi aqui.

6- A cultura da cidade é bem diversificada. Aqui não se tem uma personalidade endeusada como em outras cidades. 

Porém, temos poetas, cantores , prosadores conhecidos e desconhecidos. Quem não se lembra dos festivais de música? Um abraço a todos que escreveram essa nossa história...

7- E o futebol? Dos campinhos até ao estádio Xeco muitos gols foram marcados. Verona? Misto? Juventude? Tantos times, tantas alegrias...

8- Os radialistas também foram revolucionários. Quantos desbravadores! Eu não perdia um programa de JL de Queiroz. 

A comunicação sempre foi uma luta por aqui, há quem confirme isso, o nosso jornalista mais lido nos dias atuais, o polêmico Dinomar Miranda.

9- A educação da cidade, apesar do descaso, também tem uma narrativa bonita. E continua produzindo bons frutos...

10- A maior festa é a Pecuária. A segunda é o Carnaval de Arraias. Sim, aquela cidade do início da história.

10 comentários:

Anônimo disse...

Que legal!

Evania disse...

BELO texto. Parabéns!

Anônimo disse...

Muito bom. Uma bela visão de nossa terra. Ainda mais pelos olhos de uma jovem. Ressalto o ex-padre e professor Samuel - ex-diretor do grupo escolar professora Ricarda e criador do Colégio dom Alano e curso Ginasial de Campos Belos.Bela citação a Ciriaco Cardoso, que é nome de rua. Primorina acho que é dos Luiz Tavares, avó de dona Antusa e do senhor Jairo Tavares. Merece nome de rua e muito mais. Igualmente CLARO DA COSTA MADUREIRA. .

Anônimo disse...

Maria Prima, era mae da Maria Luís Tavares António Cardoso, que era mae de Cacildes, Felismina, Vô Noca, Honorata e a avó de Ibanes Martins, ela que construí a igreja de Nossa Senhora da Conceição, ela pagou para seu Agripino construir, ela fez a doação do terreno para igreja, do salao paroquial!
E a Maria Luís era Irma de Dona Gestruded a avó de Dona Tudinhae mae também do pessoal Tavares!

Leandro Jose Tavares disse...

Muito bom!

Nemilson Vieira de Moraes disse...

Olá!...
Parabéns minha cidade, por estes 63 anos de emancipação! Desejo de coração, toda sorte de bênçãos à sua gente maravilhosa! Confesso que estou encantado com a maestria da Andra Ribeiro em tecer tão belo texto! Peço-lhe que não pare por aí, continue na atividade da arte da escrita. Nada melhor do que a história de uma comunidade, ser contada pela ótica dos próprios integrantes dela.
Abraços! Nemilson

Jairo disse...

Primeiro, Carnaval de Arraias, segundo, Festa de Nossa dos Remedios (tbm de Arraias), terceiro, pode ser a expoagro de Campos Belos q ainda arisca um empate com a festa da soledade.

Hamilton Mendes disse...

Somos uma terra abençoada, que já nasceu com a proteção de Nossa Senhora da Conceição, abraçada pela Natureza, através de nossas belas serras, que nessa época, são vitimas da maldade humana. e acaba ardendo em chama. Somos uma terra de grandes talentos, como da nossa gigante educadora Andra, que anda, nos levando sempre a reflexão e muitas das vezes a emoção, com seus belos textos. Orgulho dessa terra, que Nasceu de Arraias, foi adotado por Monte Alegre, depois se tornou o que somos hoje, uma cidade de todos.Sobre nossa mãe Arraias, o texto prova, do inicio ao fim, somos ligados, e assim será para sempre!.

Precisamos fazer uma correção quanto a nossa idade, comemorávamos, antes a nossa data de aniversario, contando a partir de 01 de janeiro de 1954, ano de instalação do município, depois através de um projeto de lei, passamos a comemorar, tendo como base a data de 01 de outubro de 1953, data do decreto que criou o município, portanto, se for contarmos então a partir desta data, fizemos ontem 64 anos e não 63.(coisa de gente detalhista rssss) PARABÉNS A NOSSA AMADA TERRA.

Nemilson Vieira de Moraes disse...

Olá!...
Parabéns minha cidade, por estes 63 anos de emancipação! Desejo de coração, toda sorte de bênçãos à sua gente maravilhosa! Confesso que estou encantado com a maestria da Andra Ribeiro em tecer tão belo texto! Peço-lhe que não pare por aí, continue na atividade da arte da escrita. Nada melhor do que a história de uma comunidade, ser contada pelos próprios integrantes dela.
Abraços! Nemilson Vieira



Anônimo disse...

Muito orgulho de ter sido aluno dessa pessoa tão desbravante. Parabéns Andrinha!