Banner 1

Banner 1

sábado, 12 de agosto de 2017

Cavalcante (GO): homem assalta vítima para cobrar carro não pago. De lambujem, levou televisores, celular e dinheiro



A Polícia Militar em Cavalcante, nordeste de Goiás, registrou um caso de assalto inusitado.

Um rapaz, morador de Luziânia (GO), no Entorno do DF, vendeu um carro para um comprador, morador de Cavalcante, identificado como Fernando da Silva, 27 anos.

Como não recebeu o dinheiro prometido pela venda do veículo, um VW Parati, após um ano de dívida, de telefonemas, cobranças e de recebimento de multas do veículo, resolveu cobrar contratando comparsas para assaltar o devedor.
  
O caso ocorreu na última sexta-feira (11), por volta das 8 h. 

Thales Gomes Curado, de 23 anos, o cobrador, e os comparsas chegaram armados na casa da vítima, na zona urbana de Cavalcante, ameaçaram e amarraram o devedor e, em seguida, levou o carro motivo da confusão, dois televisores, um celular e uma quantia em dinheiro.

Depois fugiram em dois carros: a parati da vítima e um outro veículo que deu suporte à ação criminosa.

Em Teresina de Goiás, uma equipe da Polícia Militar de Cavalcante (42º CIPM), já sabendo do assalto, interceptou e prendeu, em flagrante, o assaltante cobrador, abordo do veículo roubado.

Os outros dois comparsas, armados, que vinha logo em seguida no outro automóvel, conseguiram furar o bloqueio da PM.

Logo depois, já rodovia GO-118, entre Teresina e Alto Paraíso, os fugitivos capotaram o carro, que já vinha sendo perseguido pela polícia.

Mesmo assim, os dois homens abandonaram os pertences, inclusive documentos pessoais, e fugiram cerrado a dentro.

A Polícia Civil e a Polícia Militar de Campos Belos foram acionadas e fizeram buscas a fim de localizar os dois comparsas, porém sem sucesso imediato.

Mas, ainda no mesmo dia, o trabalho conjunto entre as duas polícias, utilizando informações de inteligência, deu certo e se conseguiu a prisão de Daniel Braz Rodrigues e Patrick Santos Dias, que se preparavam para deixar o município de Teresina de Goiás.

Os três acusados foram apresentados ao delegado George Aguiar Muniz, titular da Delegacia de Cavalcante, quando foi lavrado o auto de prisão em flagrante.

O trio está preso no Presídio de Cavalcante, pelo crime previsto no artigo 157, § 2º, I e II, do Código Penal (roubo majorado pelo emprego de arma e pelo concurso de duas ou mais pessoas). 

A pena para o crime varia entre 4 e 15 anos de prisão.  Parece que o prejuízo da Parati agora ficou muito maior. 



 

2 comentários:

  1. Homem tem quer ter palavra diz ia então tem que pagar fica pagando de play boy na cidade mais não honra a palavra.....O homem com palavra é tudo e o sem palavra é nada

    ResponderExcluir