Banner 1

segunda-feira, 8 de maio de 2017

IML de Campos Belos está parado há três meses por falta de médico legista. Corpos estão sendo encaminhados para Formosa (GO)


O Instituto de Medicina Legal (IML) de Campos Belos, nordeste de Goiás, construído sem apoio governamental e com recursos recolhidos da comunidade, está, pasmem, há três meses sem funcionar.

A paralisação é por falta de médicos legistas. 

O IML foi inaugurado em dezembro de 2013 e desde então estava atendendo cerca de dez cidades da região.  

No entanto, o órgão, que pertence ao governo do estado, vinha renovando os contratos, mas devido a um concurso em andamento, deixou-os expirar e a burocracia empurrou a situação para o descalabro. 

O estado não nomeia os concursados e também não renova a contratação dos médicos, que atuam em hospitais de Campos Belos, para também exercerem a função de legistas. 

A conta sobrou novamente para a comunidade, que voltou ao imenso sofrimento de ter que enviar os corpos de entes queridos para a cidade de Formosa, a 300 km de distância, simplesmente porque o governo estadual é incompetente. 

Não conseguiu construir um IML na cidade, mas quando ganhou este de presente da comunidade, não consegue, ao menos, manter um medico legista. 

O pior é que a prefeitura da cidade poderia ajudar. 

De acordo com um especialista na área ouvido pelo Blog, em diversas cidades do estado, as prefeituras são quem banca o médico legista com recursos próprios. 

Hoje o ordenado de um especialista legista custa cerca de R$ 5 mil. 

E muitas prefeituras arcam com a despesa, mesmo não sendo sua obrigação, porque o serviço é de excepcional importância para a comunidade, que além de chorar seus entes queridos, ainda sofre com a espera e o descaso da burocracia. 

É também sabido que as prefeituras estão quebradas e não podem aumentar despesas. 

Mas convenhamos, se o IML de Campos Belos atende cerca de dez cidades, porque não “rachar” a conta de dois médicos legistas, ou seja, cerca de R$ 1 mil para cada executivo local?

Ainda há as cidades do Tocantins. 

Ao menos oitos cidades do estado vizinho poderia, em tese, usar as instalações do IML de Campos Belos, a exemplo de Arraias, que dista apenas cerca de 30 km.  

Mas é obrigada a enviar seus mortos a Gurupi ou a Palmas. 

Basta um termo de cooperação entre os dois estados.  

Mas a burocracia em nosso país é grande, burra e sem piedade. 

Os impostos pagos pelos cidadãos não têm fronteira. Mas para os serviços essenciais, há fronteiras, há (in)responsabilidade de entes, há  brigas de egos e muito desrespeito.

Agora resta às comunidades de Goiás e do Tocantins “acocharem” seus prefeitos, secretários e governadores. 

Do jeito que está, não pode ficar. 

Já publicamos


Voluntários participam de mutirão para erguer IML de Campos Belos



6 comentários:

Anônimo disse...

As cidades do nordeste de Goiás não são prioridades. Basta ver que Teresina não tem mais Delegacia, Cavalcante tem uma delegacia que está para fechar, Alto Paraíso não tem plantão e poucos policiais. Então, estamos a mercê de marginais e pessoas que brincam com a segurança pública. Outra pergunta, porque não há mais a Delegacia Regional de Campos Belos??

Anônimo disse...

Por falta de médicos?
Por falta de pagamento dos médicos seria o correto.

Anônimo disse...

http://www.clebertoledo.com.br/estado/2017/05/08/86960-para-especialistas-prefeitura-corta-arvores-sem-criterios-e-desrespeita-plano

O problema acima, se parece muito com a gestão municipal de Campos Belos-GO

Anônimo disse...

É um descaso com a população.,Campos belos a cada ano se afunda mais.pagamos vinte dois reais de iluminação pública e não temos lâmpada nos porte.

Anônimo disse...

A culpa é da prefeitura??? Cadê o dinheiro do conselho comunitário de segurança??? A tantos TCOs e sempre a verba é destinada ao conselho, garanto que tem..

Anônimo disse...

A culpa é da prefeitura??? Cadê o dinheiro do conselho comunitário de segurança??? A tantos TCOs e sempre a verba é destinada ao conselho, garanto que tem.. (O conselho comunitário de segurança fez o papel dele juntamente com a população da cidade de Campos Belos, que foi de construir o IML, cabe sim a prefeitura por seu prefeito, cobrar os políticos para implementar e dar suporte para o funcionamento do referido IML, uma vez que é de responsabilidade do Estado, juntamente com o Município o funcionamento e manutenção dos órgãos públicos das cidades).