Banner 1

sábado, 22 de abril de 2017

Suspeito de estuprar turista alemã em Alto Paraíso/GO diz à polícia que sexo foi consentido


O servidor público de 36 anos, que foi preso suspeito de estuprar uma turista alemã, de 23, alegou em depoimento à polícia que o sexo entre ele e a jovem foi consentido, em Alto Paraíso de Goiás, na região nordeste do estado.

Segundo o delegado José Antônio Sena informou à TV Anhanguera, o homem confirmou que teve relação sexual com a turista, mas que não houve violência.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito fez, na quinta-feira (20), exame de corpo de delito no Instito Médico Legal (IML) de Formosa, no Entorno do Distrito Federal.

O caso aconteceu no último domingo (16). Segundo a Polícia Civil, o homem abordou a vítima enquanto ela fazia uma caminhada. 

Com uma faca, a turista foi ameaçada e obrigada a acompanhá-lo até um matagal, onde o crime foi cometido. A jovem estava na cidade há duas semanas para passear e prestar serviços voluntários.

Neste dia, ela saiu pela manhã com o intuito de fazer uma caminhada de 15 km em uma estrada de terra da cidade. 

A investigação apontou que a vítima foi levada a um trecho do matagal às margens da estrada cerca de 50 metros distante da pista. Lá, tirou a roupa dela à força, cometeu o crime e depois deixou que jovem fosse embora.

"Quando ela já tinha percorrido cerca de 8 km, um carro com dois homens se aproximou dela. O suspeito estava no banco do carona. Eles começaram a puxar assunto, mas como ela não fala português, apenas ignorou. Porém, o servidor desceu e começou a segui-la a pé e o carro foi embora. Logo em seguida, o suspeito sacou uma faca", disse o delegado.

Amiga fez a denúncia

Após o fato, a turista conseguiu uma carona e voltou para o hotel onde estava hospedada. Assustada, ela não queria procurar a polícia. Porém, contou a situação a uma amiga brasileira, que foi até à delegacia e registrou a ocorrência.

A corporação começou a fazer buscas e localizou o suspeito na casa dos pais, também em Alto Paraíso, descansando em uma rede. Ele foi abordado e conduzido para averiguação. 

"Quando prendemos, a turista estava em Brasília, tentando antecipar a volta para a Alemanha. Porém, pedimos que ela retornasse para fazer o reconhecimento formal do suspeito, o que ocorreu", explicou o delegado.

O servidor já era investigado por ao menos quatro furtos. Em um dos casos, chegou a ser levado para a delegacia e demonstrou uma característica que chamou a atenção dos policiais.

"Naquela ocasião, ele ficou em silêncio, mas começou a chorar afirmando que estava arrependido do que fez. Em depoimento, a turista afirmou que depois do estupro, ele agiu da mesma forma: lhe pediu desculpas e começou a chorar", conta.

Ao depor, o homem se reservou ao direito de permanecer em silêncio. Ele será indiciado por estupro e se condenado, pode pegar de 8 a 15 anos de prisão.

Fonte: G1

Um comentário:

Anônimo disse...

Covarde.