Banner 1

Banner 1

terça-feira, 4 de abril de 2017

Mais nepotismo: Vereadores denunciam crime em Natividade (TO); quatros irmãos e um cunhado da prefeita são secretários

Prefeita de Natividade, Martinha Rodrigues 




Os vereadores de Natividade (TO) Marcel Araújo, Pedro Antônio Nunes, Romeu Belem e Lucas Bonfim ingressaram, nesta segunda-feira (3), com uma ação junto ao Ministério Público Estadual (MPE), pedindo a instauração de inquérito civil público sob acusação de possível ocorrência de nepotismo na prefeitura de Natividade (TO).

Os vereadores alegam na peça, na qual o Portal Gazeta do Cerrado teve acesso, que a prefeita nomeou vários parentes para cargos comissionados, sendo inclusive quatro irmãos como secretários. 

“Requer deste órgão fiscalizador - Ministério Público Estadual - que seja determinado a abertura de inquérito civil público visando apurar tais informações de nepotismo praticados pela prefeita Martinha Rodrigues Neto”, pedem os parlamentares na Ação.

Os vereadores requerem a apuração dos casos e alegam que caso sejam confirmados, os casos podem configurar improbidade administrativa, além de ferir a moralidade e impessoalidade.

Na relação protocolada pelos vereadores no MPE, constam como parentes da prefeita seis secretários: 

Administração - Luana Rodrigues  (sobrinha); 
Finanças -  Dirsomar Viana (cunhado); 
Agricultura - Gilvan Rodrigues (irmão); 
Controle Interno - Gleiciane Alves  (irmã); 
Cultura e Turismo - Pascoalina Rodrigues  (irmã)
Assistência Social - Silvana de Jesus  (irmã).

Outra denúncia dos vereadores é a de que a prefeita nomeou, em cargo comissionado, diretora nível I de merenda escolar,  Cristiane Pinto da Silva, vinculada à secretaria municipal de Educação. 

Ela mulher do vereador Juacir Sousa Ribeiro.

Nomeou também Edília Firmino Cardoso, como diretora de centro de artesanato, vinculado à secretaria municipal de Assistência Social.

Ela é mulher do vereador Janys Klevys Pereira Da Silva, o que, segundo os parlamentares, configura nepotismo cruzado, conforme preceitua a súmula vinculante nº 013 – STF”.

O outro lado

O Portal Gazeta do Cerrado tentou entrar em contato com a prefeita Martinha, porém ainda não conseguiu retorno. 

Na prefeitura, jornalistas do portal foram informados que a intenção dos vereadores é tentar atingir a gestão e aliados políticos que defendem a prefeita.

O promotor de justiça, André Ricardo Fonseca, confirmou que a denúncia foi protocolada e que será analisada.

Fonte e texto: Gazeta do Cerrado 

Nenhum comentário:

Postar um comentário