quinta-feira, 6 de abril de 2017

Jornalista do Tocantins é alvo de tentativa de intimidação e ataques pejorativos; Sindjor reage


Uma das jornalistas mais renomadas do Tocantins, Roberta Tum, está sendo alvo de ataques após se manifestar através de um editorial no seu Portal T1 Notícias. 

A jornalista está recebendo mensagens via aplicativo de celular e também pelas redes sociais em razão de sua opinião no editorial:  "A lei da bala mata mais que bandidos ou: de volta ao faroeste, perdemos a alma”.

Este Blog repudia os ataques e se solidariza com a colega. Opinião tem que ser ouvida e respeitada. Cada um tem a sua.  

A liberdade de expressão é um direito e uma conquista. Mesmo que fira.  

Quem é mais perverso, os bandidos que matam inocentes a mão armada ou os corruptos que também matam milhares pessoas em hospitais por falta de medicamento e atendimento?  não deveriam ter o mesmo tratamento?

Opinião é opinião.  

O Sindicato dos jornalistas também reagiu à afronta.

Veja a íntegra da nota do Sindicato:

*NOTA DE SOLIDARIEDADE*

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins – Sindjor/TO – se solidariza com a colega jornalista Roberta Tum, que vem recebendo duros ataques pejorativos que ultrapassam a linha profissional, atingindo o seu lado pessoal. 

São manifestações por meio de mensagens de celular e em redes sociais de desrespeito e intimidação a profissional por emitir sua opinião em artigo publicado em seu sítio de notícias.

A livre manifestação de opinião é um direito universal e passível de divergências, que se torna salutar quando debatidas no campo das ideias. 

O que não podemos permitir em dias atuais é a intolerância e a utilização de agressões verbais com intuito de reprimir a liberdade de opinião e o exercício da profissão de jornalista.

O Sindjor/TO vem a público reforçar que o silenciamento da expressão de uma opinião é um mal, pois não há liberdade de opinião sem que a mesma seja expressada e aceita na sua construção. 

Acreditamos que não é liberdade de opinião o mero livre pensamento sem o respectivo extravasamento da mesma no seio social. 

Conceitos como este norteiam a atividade do jornalismo e qualquer tentativa de impedir sua realização fere o direito à informação e a livre manifestação do pensamento, assegurados a todos na Constituição Federal.

*Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins*

Leia a íntegra do artigo:


A lei da bala mata mais que bandidos, ou: de volta ao faroeste, perdemos a alma…

2 comentários:

  1. Engraçado que a jornalista deseja ter o direito de dizer o que pensa, da mesma forma a sociedade esta cansada desse sensacionalismo. E em todo os estados matou policia e pedir a morte, e será que a mesma não pensa na família que teve o ente querido morte de forma cruel, na filha do policial morto. e outra e tudo mentira essa historia que ela foi ameaçada. Fala serio, caro Dinomar, ate gostava de ler suas matérias mas depois dessa publicação perdeu uma leitora;

    ResponderExcluir
  2. ESSA VOZ NAO PODE CALAR POIS ELA É PESSOA DE CORAGEM DESBRAVADORA DA INGNORANCIA DESSES TAIS CORONEIS DO NORTE ELA SO DIVULGA OS ATOS DE PESSOAS ERRADAS E NÃO É INCENTIVADORA DOS MALFEITORES NÃO
    PARABENS RIBERTA TUM PELA CORAGEM DEDICAÇÃO E ENTUSIASMO
    MOSTRE A ESSE POVO ORDINÁRIO QUE O MUNDO MUDOU QUE A VOZ DO POVO QUE ESTAVA ENTALADO SAIU DA BOCA E GANHOU O MUNDO
    CONTINUE MOSTRANDO A ESSE POVO A QUE VÊIO E QUE VÊIO COM CORAGEM
    FAÇA IGUAL O DINOMAR AQUI NO NORDESTE GOIANO NÃO FUJA DOS DESAFIOS
    APOSTOS NO SUCESSO DE VCS
    UM ABRAÇO

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.