Banner 1

Banner 1

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Jornalista do Tocantins é alvo de tentativa de intimidação e ataques pejorativos; Sindjor reage


Uma das jornalistas mais renomadas do Tocantins, Roberta Tum, está sendo alvo de ataques após se manifestar através de um editorial no seu Portal T1 Notícias. 

A jornalista está recebendo mensagens via aplicativo de celular e também pelas redes sociais em razão de sua opinião no editorial:  "A lei da bala mata mais que bandidos ou: de volta ao faroeste, perdemos a alma”.

Este Blog repudia os ataques e se solidariza com a colega. Opinião tem que ser ouvida e respeitada. Cada um tem a sua.  

A liberdade de expressão é um direito e uma conquista. Mesmo que fira.  

Quem é mais perverso, os bandidos que matam inocentes a mão armada ou os corruptos que também matam milhares pessoas em hospitais por falta de medicamento e atendimento?  não deveriam ter o mesmo tratamento?

Opinião é opinião.  

O Sindicato dos jornalistas também reagiu à afronta.

Veja a íntegra da nota do Sindicato:

*NOTA DE SOLIDARIEDADE*

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins – Sindjor/TO – se solidariza com a colega jornalista Roberta Tum, que vem recebendo duros ataques pejorativos que ultrapassam a linha profissional, atingindo o seu lado pessoal. 

São manifestações por meio de mensagens de celular e em redes sociais de desrespeito e intimidação a profissional por emitir sua opinião em artigo publicado em seu sítio de notícias.

A livre manifestação de opinião é um direito universal e passível de divergências, que se torna salutar quando debatidas no campo das ideias. 

O que não podemos permitir em dias atuais é a intolerância e a utilização de agressões verbais com intuito de reprimir a liberdade de opinião e o exercício da profissão de jornalista.

O Sindjor/TO vem a público reforçar que o silenciamento da expressão de uma opinião é um mal, pois não há liberdade de opinião sem que a mesma seja expressada e aceita na sua construção. 

Acreditamos que não é liberdade de opinião o mero livre pensamento sem o respectivo extravasamento da mesma no seio social. 

Conceitos como este norteiam a atividade do jornalismo e qualquer tentativa de impedir sua realização fere o direito à informação e a livre manifestação do pensamento, assegurados a todos na Constituição Federal.

*Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins*

Leia a íntegra do artigo:


A lei da bala mata mais que bandidos, ou: de volta ao faroeste, perdemos a alma…

2 comentários:

  1. Engraçado que a jornalista deseja ter o direito de dizer o que pensa, da mesma forma a sociedade esta cansada desse sensacionalismo. E em todo os estados matou policia e pedir a morte, e será que a mesma não pensa na família que teve o ente querido morte de forma cruel, na filha do policial morto. e outra e tudo mentira essa historia que ela foi ameaçada. Fala serio, caro Dinomar, ate gostava de ler suas matérias mas depois dessa publicação perdeu uma leitora;

    ResponderExcluir
  2. ESSA VOZ NAO PODE CALAR POIS ELA É PESSOA DE CORAGEM DESBRAVADORA DA INGNORANCIA DESSES TAIS CORONEIS DO NORTE ELA SO DIVULGA OS ATOS DE PESSOAS ERRADAS E NÃO É INCENTIVADORA DOS MALFEITORES NÃO
    PARABENS RIBERTA TUM PELA CORAGEM DEDICAÇÃO E ENTUSIASMO
    MOSTRE A ESSE POVO ORDINÁRIO QUE O MUNDO MUDOU QUE A VOZ DO POVO QUE ESTAVA ENTALADO SAIU DA BOCA E GANHOU O MUNDO
    CONTINUE MOSTRANDO A ESSE POVO A QUE VÊIO E QUE VÊIO COM CORAGEM
    FAÇA IGUAL O DINOMAR AQUI NO NORDESTE GOIANO NÃO FUJA DOS DESAFIOS
    APOSTOS NO SUCESSO DE VCS
    UM ABRAÇO

    ResponderExcluir