Banner 1

Banner 1

sábado, 22 de abril de 2017

É tenso o clima entre a Polícia Militar do Tocantins e a Polícia Civil do estado

                                Assista ao vídeo

É muito tenso o clima entre a Polícia Militar do Tocantins e a Polícia Civil do estado. 

Na quinta PMs foram armados a uma delegacia de Paraíso do Tocantins. 

A entrada de policiais militares armados com fuzil em uma delegacia de Paraíso do Tocantins, região central de Palmas, é vista pelo comando das duas polícias como um caso isolado de conflito entre as polícias. 

Porém, o comandante da Polícia Militar, Glauber de Oliveira Santos, disse na tarde de quinta-feira (20) que a princípio não vê tentativa de intimidação no episódio.

O conflito entre as polícias começou na última terça-feira (20) quando a Polícia Civil prendeu dois militares suspeitos de tráfico de drogas dentro do batalhão da PM em Paraíso. 

A operação foi chamada de Frutos Podres e cumpriu uma decisão judicial, com a presença da promotoria de Justiça. Naquela ocasião foram apreendidas porções de cocaína, crack e notas de dinheiro falso.

Os comandantes das forças policiais afirmaram durante entrevista, no Palácio Araguaia, em Palmas, que as polícias são coirmãs e trabalham juntas. Entretanto, discordaram sobre a operação da Polícia Civil e Ministério Público dentro do 8º Batalhão da PM.

"Paralelamente ao inquérito da Polícia Civil nós instauramos inquérito militar porque como a ação foi no quartel, o código penal militar e o código de processo penal militar diz que é local sujeito à administração militar [...] A lei determina que havendo essas situações eu [comandante da PM] instaure o inquérito", disse o coronel Glauber de Oliveira.

Sobre a invasão de militares armados com fuzis na 2ª Delegacia de Polícia, o subsecretário disse que não poderia comentar o caso porque ainda não havia conversado com o delegado que fez a denúncia nas redes sociais. 

Já a PM afirmou que também vai investigar o episódio com inquérito militar.
Invasão na delegacia

Um grupo de policiais militares entrou na 2ª Delegacia de Polícia de Paraíso do Tocantins, na tarde desta quinta-feira (20), para supostamente intimidar o delegado responsável pela investigação de dois militares presos por possível envolvimento com tráfico de drogas. 

Um vídeo feito no local mostra os PMs armados com fuzis saindo da delegacia.
Em um áudio divulgado nas redes sociais, o delegado Cassiano Ribeiro Oyama conta que se sentiu coagido pelos militares. 

"Minha delegacia foi invadida por cerca de 20 policiais militares armados com fuzil [...] perguntei: 'porque você invadiu a minha sala?' Ele disse: 'você invadiu meu batalhão'", diz em trecho do áudio.

Operação no batalhão

Dois policiais militares foram presos em Paraíso do Tocantins, a 66 km de Palmas, durante a operação Frutos Podres na terça-feira (18). Eles são suspeitos de repassar drogas e armas apreendidas a terceiros. 

Em troca, recebiam informações privilegiadas e dinheiro. É o que consta na decisão que determinou a prisão preventiva dos militares. As investigações correm em segredo de Justiça.

Um dos policiais preso é chefe do Núcleo de Inteligência da PM de Paraíso, a chamada PM2, que não usa fardas. O outro sargento é integrante desse mesmo setor. Os nomes dos dois PMs não foram divulgados.

Ainda conforme a decisão, as informações foram repassadas por uma informante, cujo marido teria recebido drogas dos policiais militares. Os advogados dos militares foram procurados e informaram que vão se manifestar na tarde desta quinta-feira (20).

Assista à matéria da TV Anhanguera, de Palmas (TO)

Fonte: G1 TO

Nenhum comentário:

Postar um comentário