Banner 1

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Concursos que se avizinham: TST, STM, Banco Central.... uma injeção de ânimo e dicas importantes


Amigos, resolvi escrever algumas dicas de concurso e palavras de incentivo, porque percebi uma grande quantidade de pessoas acessando o post sobre concursos.

Se as pessoas estão lendo, é porque se interessam, desejam fazer concursos; ou já estão estudando.

A primeira injeção de ânimo sobre este concursos de Tribunais é dos salários. Obviamente é a primeira coisa que as pessoas olham na escolha de um novo cargo ou do primeiro cargo. 

Os salários previstos em lei, no Poder Judiciário, são cerca de R$ 11.800,00 para os cargos de curso superior e  R$ 6.200,00 para o nível médio.  

A boa notícia é que esses valores podem subir 20%, 30% e até dobrar, se o servidor assumir um cargo de chefia ou uma função comissionada, além, claro, do acréscimo de algumas gratificações, como auxílio creche, auxílio alimentação e outras gratificações.  

A notícia ruim é que a concorrência é grande, muito grande... Mas a vida é assim, pegamos fila até para pagar conta no banco, né?!... 

Então, otimismo é sempre o mote forte do concurseiro. Você não deve pensar nos concorrentes, mas na autoconcorrência, vencer a si próprio, ok?

Passar em concurso não é fácil, porém todos somos capazes, inclusive aqueles que estudaram a vida toda na escola pública. 

Obviamente os desafios são maiores, mas somos capazes de suplantá-los.

Cinco palavras chaves devem nortear a vida de quem deseja passar: determinação, planejamento, estratégia, teoria e prática.

Determinação é o desejo, é o querer passar de qualquer jeito. Aproveitar todo o tempo possível, até na fila do banco, seguir o seu plano de estudo e a estratégia traçada.

Planejamento é essencial. Fazer um quadro de estudo e torná-lo uma rotina na sua vida. Vou pegar meu exemplo de quadro de estudo, que apliquei por 3,5 anos, cotidianamente, com pelo menos 5 horas de estudos diários. 

Por trabalhar das 9h às 17h, fiz um quadro de horário possível.

Acordava às 6h e estudava até 8h30; deixava o carro em casa e ia trabalhar de ônibus. Mais 40 minutos de estudo no trajeto. Aproveitava a hora do almoço e cravava mais 40 minutos.  

No retorno, mais 40 minutos de ônibus. No final da tarde, dava aquela corridinha de 7 ou 10 km  para relaxar (qualquer exercício serve); atenção à família é importante; e voltava aos estudos lá pelas 9h30 e pegava até por volta da meia-noite.  

Nos fins de semana e feriado, sem sacrificar as atividades de lazer, cravava mais 6 horas por dia. 

Para quem não trabalha, este quadro horário fica bem facilitado. Mas é muito importante você planejar um quadro horário e segui-lo firmemente. está certo?

Estratégia é usar a inteligência a seu favor. 

É saber escolher as bancas de concurso; os cargos; dosar tempo de prova; tempo de redação; saber identificar suas deficiências e trabalhar firme para anulá-las. 

Exemplo: Direito Constitucional e Direito Administrativo sempre é matéria de qualquer concurso hoje. Então você tem que estar afiado nessas cadeiras, porque todos estarão. 

Isso é estratégia. Esqueça as apostilas. São resumidas e não aprofundam.

Dica: devore o livro de Direito Constitucional e de Administrativo de Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo. 

Está com problema para comprar livros? compre no sebo, é barato. Segue a dica de um site do sebo virtual, onde você pode comprar livros por cerca de 80% mais barato.... teste aí...

Teoria e Prática. Ler muito e fazer milhares de exercícios das matérias lidas é a dica forte.  Mas não faça exercícios sem ler, pode desestimular quando você começar a errar muito.

Há um esquema de leitura infalível: 3L1R (Três leituras para um resumo).... Exemplo: se é  primeira vez que você pega um texto, um capitulo de um livro, leia-o três vezes.

A primeira para saber do assunto; a segunda de aprendizado e a terceira leitura de aprofundamento e anotação daquilo que você considera mais importante. Transforme essas anotações em resumo.

Afinal dessas leituras, se você estiver enjoado do assunto, de saco cheio, é sinal que você está pronto para fazer milhares de exercícios.

Aí tem um site bem bacana, chamado de Ponto dos Concursos, que traz milhares exercícios, sempre dos últimos concursos e com comentários e resumos dos assuntos. É batata!!!

Se você for fazer uma prova que tem uma matéria complicada, de difícil entendimento, como raciocínio lógico,  há um site com aulas on line, que é uma mão na roda. 

Há dezenas de professores do mais alto gabarito e especialistas no assunto: Veja aí o site do Eu Vou Passar.

Para finalizar. Escolha sempre um rumo. Não faça qualquer concurso.
Escolha, por exemplo,  apenas concurso do judiciário; ou apenas área do direito; ou do jornalismo; ou da área fiscal.

Aí sim, depois de escolhida a área, faça todos os concursos que puder, todas as provas.  É uma lógica. Pois, quando você se inscreve em um concurso, você é obrigado a puxar no estudo.

Geralmente, o edital dá 40 a 50 dias de prazo de estudo. E então você estuda sob pressão, entende?

Além disso, você se ambienta na sala do concurso, controla o tempo de prova, de redação, controla o nervosismo e o mais  importante, mede o seu conhecimento a cada prova.

São nesses certames-teste que você vais descobrir seus pontos fracos; pontos de melhorias; e estratégia de estudo.  

Lembrando que este esquema de estudo é de longo prazo. Você não vai passar de imediato. 

O prazo normal para você começar a ver os resultados são de 3 anos para os concursos tops de linha, do tipo Banco Central, Receita, Senado, Judiciário, Agências Reguladoras.

Este prazo é menor para concursos de prefeituras e dos estados. Neste, com 1,5 a 2 anos você já começa a bater na trave.

Então, a bola está agora com você. Boa sorte e estamos à disposição. 

Se você tem alguma dúvida do sucesso dessa fórmula, dessas dicas, leia a matéria abaixo. 

Dinomar Miranda toma posse no Superior Tribunal Militar, como jornalista concursado


Um comentário:

Regina Marcia disse...

Muito bom! Gostei muito das dicas! Agora é por em prática 👍