terça-feira, 4 de abril de 2017

Aumento de salário de prefeito e vereadores de Arraias (TO): "Não há cabimento"


Por Alexandre Kallay, 

A gente tenta dar crédito, tenta por mais difícil que seja acreditar em alguns políticos, mas é complicado.

Não sou contra aumento de salário de ninguém, afinal de contas, quem aqui que não gostaria de um bom e significativo aumento em sua conta bancária? Não sejamos hipócritas neste ponto. 

Porém, é evidente, é claro, está mais que escancarado que NÃO É O MOMENTO. Não tem cabimento financeiro e tampouco moral para aprovação de um projeto que visa o reajuste salarial de prefeito e vice prefeito do município.

Reforçando: Não há cabimento!

Ah, mas nos municípios vizinhos o prefeito e vice ganham 12 mil, 15 mil, ganham bem mais, já tiveram reajuste salarial. Ok! Cada município vive a realidade que lhe cabe. 

Além da crise nacional, o nosso município também passa por uma crise. É preciso olhar para outras áreas que carecem de mais recursos, de mais valorização e claro, de projetos que garantam condições salubres, aporte financeiro e legislativo. 

Outro fator importante, que chega a ser preocupante também é que, o projeto além de ser um absurdo é também inconstitucional. A Lei Orgânica determina que projetos como esses deveriam ser apresentados e consequentemente votados 30 dias antes das eleições. 

O recado serve para a maioria, já que somente minoria dos nossos vereadores eleitos trabalha em prol da população. 

Meus parabéns em especial aos vereadores Edivaldo, Fernando Dourado, Herman e Babi que já se mostraram contra esse absurdo, e que aqui fica minha torcida para não deixar nenhum outro dessa espécie ser aprovado.

Um comentário:

  1. Aumento de salario de vereadores? Como assim ? Só vejo sobre prefeito! Acho errada essa chamada ai.

    ResponderExcluir

Os cometários aqui publicados são de inteira responsabilidade dos autores. Este Blog não se responsabiliza pelos comentários postados pelos leitores, que poderão ser responsabilizados e penalizados judicialmente por abuso do direito da livre manifestação.