Banner 1

quarta-feira, 15 de março de 2017

Polícia Civil de Taguatinga (TO) conclui inquérito sobre a morte da adolescente Silvana Barbosa, ocorrida em janeiro


A Polícia Civil da cidade de Taguatinga, sudeste do Tocantins, concluiu o inquérito policial sobre a morte da adolescente Silvana Barbosa, de 14 anos, assassinada no dia 09 de janeiro de 2017, durante uma festa no estacionamento da feira central da cidade.

Segundo o delegado responsável pelas investigações, Wanderson Queiroz, tão logo a Polícia Civil soube do homicídio, a equipe de agentes saiu às ruas para coletar informações e arrolar testemunhas. 

O delegado contou que muito embora a autoria do crime pairasse sobre a adolescente E.T.O, de 17 anos, foi necessária a instauração de inquérito policial para investigar a dinâmica dos fatos, os motivos do homicídio e também a suposta participação da mãe da adolescente infratora no assassinato.

Ao esclarecer a dinâmica do crime, o delegado explicou que no dia dos fatos ocorreram três brigas envolvendo adolescentes.

A primeira entre a vítima Silvana Barbosa e uma amiga da menor infratora.

Na sequência, uma confusão envolvendo a adolescente E.T.O e a vítima e depois outra confusão com a infratora.

Ainda de acordo com o delegado, ao perceber que a vítima menor havia lhe ferido na briga anterior, a adolescente partiu para cima de Silvana Barbosa, com diversos golpes de faca. 

A vítima menor foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

A reportagem do AMT Notícias questionou ao delegado por que a adolescente não foi presa.

A autoridade explicou porque, primeiramente, não foi apreendida em flagrante e, após iniciadas as investigações, ela se apresentou espontaneamente, assistida pela defensoria pública local.

O delegado também disse que a hipótese de participação da mãe da menor E.T.O no crime foi descartada, após ouvidas mais de 20 pessoas, entre elas as testemunhas que estavam com a vítima no momento dos ataques.

Ficou provado que a mãe da adolescente não participou do crime. 

Por isso, o delegado pediu arquivamento do inquérito policial e extraiu cópia para confecção de procedimento chamado boletim de ocorrência circunstanciada, que foi encaminhado ao Promotor de Justiça para que ele tome as medidas cabíveis à infração cometida pela adolescente E.T.O.

Com fonte e texto do AMT Notícias

Nenhum comentário: