Banner 1

segunda-feira, 13 de março de 2017

Marconi e Eliton usarão dinheiro da Celg pra fazer campanha


O governador Marconi Perillo e o vice-governador, José Eliton, ambos do PSDB, farão no fim deste mês de março um grande evento da base aliada para anunciar os "investimentos" em Goiás. 

Na ocasião, o governador apresentará o plano de investir R$ 3 bi, incluindo R$ 1 bi proveniente da venda da Celg. A informação está na coluna Giro de O Popular, deste sábado, 11.

Na prática, a dupla tentará seduzir prefeitos do interior a embarcar no projeto Eliton-18. O Palácio das Esmeraldas será transformado em um grande balcão de negócios visando a próxima eleição para governador. 

Apesar do imenso desgaste acumulado por 20 anos de Poder, o tucano luta desesperadamente para manter não apear do Poder. 

De posse de R$ 1 bilhão pela venda da Celg – o que restou da maior empresa de Goiás – Marconi anunciou que José Eliton terá a chave do cofre e que irá distribuir os recursos aos municípios visitando cidade por cidade. 

A missão foi repassada ao vice-governador, e não distribuída aos secretários, justamente para que Eliton possa fazer política eleitoral com os recursos da Celg. Quem apoiar Eliton em 2018 será prestigiado, do contrário... 

A distribuição política dos recursos da venda da Celg é a última tentativa de Marconi de viabilizar José Eliton. Até aqui, por onde passou, o vice-governador deixou um rastro de incompetência e arrogância. 

Comandou a Celg em 2011 e teve participação ativa na falência da companhia. Em 2015, foi anunciado titular de uma supersecretaria criada especialmente para lhes dar visibilidade e fracassou. 

Por último, em fevereiro, foi chamado para comandar a Segurança Pública e melhorar os índices de criminalidade no Estado. Novamente, um fiasco. 

Fonte e texto: Goiás Real 

2 comentários:

Anônimo disse...

Carlinho cachoeira está de sorriso largo com essa notícia

gregorio de matos guerra disse...

Esse é o eltim! Enrolou o Ninha. Quando o Ninha perdeu, no outro dia já tavá de braços dados com o triunvirato do amor: o da botina, o da botica e o galinha dangola. Vai enrolar esse povo todo aí, mas não vai longe não. É traidor de nascença.