Banner 1

terça-feira, 7 de março de 2017

Evento em Arraias debate as várias faces da violência contra a mulher



Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (08 de março), ocorreu na última quinta-feira (02), no Câmpus de Arraias, o evento "Violência contra a Mulher". 

Organizado pela professora Magda Suely Pereira, líder do Grupo de Pesquisa e Estudos em História, Sociedade e Educação (Ghise - CNPQ), em parceria com o colegiado de Pedagogia, o evento abordou a complexidade das inúmeras facetas da violência que as mulheres sofrem diariamente.

A programação contou com mesa-redonda com presença de especialistas na área, como o diretor do Fórum da Comarca de Arraias, Márcio Ricardo Ferreira, o promotor de justiça de Arraias, João Neuman da Nobrega, e o defensor Público do município, Dianslei Gonçalves Santana. 

De acordo com o diretor Ferreira, a violência não se resume à agressão física, mas também compreende a violência psicológica, moral, patrimonial, sexual e o cárcere privado. 

"Muitas espécies de agressões e violência contra a mulher ocorrem diariamente, sem que agressor e vítima percebam', afirmou.

Segundo dados do Centro de Atendimento à Mulher (disk 180), em 2016 houve uma média de mais de três mil registros de agressão à mulher por dia no Brasil. 

Projetos como o Serviço de Atenção Especializada às Pessoas em Situação de Violência Sexual (Savis), do Hospital dona Regina, que mantém uma equipe de apoio e atendimento 24h especializada para vítimas de violência sexual, existem para tentar amenizar o impacto dessa situação.

O promotor Neuman abordou as tutelas jurídicas de combate à violência contra a mulher, tanto na esfera cível quanto criminal, e tratou sobre os crimes contra a honra, liberdade, vida, liberdade sexual e patrimônio da mulher. 

Finalizando, o defensor Gonçalves falou sobre a Lei Maria da Penha, além de outras medidas protetivas do sistema jurídico.

Avaliação

O evento "Violência contra a Mulher" contou com a participação de aproximadamente 100 acadêmicos e a Prof. Magda Suely Pereira avalia como positivo o resultado da iniciativa. 

"Foi perceptível que muitos acadêmicos não sabiam mesmo sobre as inúmeras “formas de violência” que são praticadas por eles mesmos, como a invasão dos celulares e email da sua companheira", afirma Magda Suely. 

A líder do Ghise destaca ainda que o evento é de grande importância para a UFT. 

"A Universidade tem exercido sua função social, e fortalecido o seu tripé institucional com os estudos, projetos de pesquisas e extensão trabalhados nesses espaços comunitários, que envolvem crianças jovens e adultos, sobretudo a mulher no sentido da conscientização de seus direitos e emancipação", finaliza. Dia Internacional da Mulher

As comemorações do Dia da Mulher, no Câmpus de Arraias, continuam ainda na próxima quarta-feira (8). 

Pela manhã, das 8h às 12h ocorre a Caminhada de Mulheres em Arraias, com saída do Câmpus Buritizinho até a Praça da Matriz. 

Também haverá a mesa-redonda "Basta de violência em mulheres arraianas", com a participação das professoras Janaina Costa, Silvia Adriane e de Eliane Teixeira.

Fonte: UFT

Nenhum comentário: