Banner 1

Banner 1

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Edital sumiu do site da prefeitura


"Dinomar Miranda, dom dia.

Gostaria que publicasse esse post, pois ele sumiu da página da prefeitura de Campos Belos.

Na sexta-feira passada eles colocaram esse anúncio no site e misteriosamente sumiu logo no sábado cedo. Sem dar explicação nenhuma".

7 comentários:

  1. Não sumiu segue o link abaixo

    http://camposbelos.go.gov.br/index.php/mais/editais/385-edital-de-chamamento-n-001-2017

    ResponderExcluir
  2. Senhores vereadores CUMPRAM com suas funções de legisladores acompanhe de perto essa licitação!!!!!Fiquem de olho!!!!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkk sumiu sim pq eu olhei em um dia estava la bem bonito depois sumiu ate da pagina do face do prefeito tinha la m link mais tbm sumiu isso ai e so maracutaia pra poder falar q tornou publico a licitaçao e colocar so quem eles querem la mesmo. alias nem licitação e vai ser analise de curriculos adivinha quem vai ganhar pra saber e so ir nos locais tipo hospital cras e centro de reabilitação e ver quem ta trabalhando la c depois da licitação nao vai ser os mesmo kkkkkkkkk, verdadeiro engana trouxa

    ResponderExcluir
  4. Tem muita coisa suspeita nesta administração.
    Me ajudem a entender: Falavam que as licitações e os contratos da administração anterior estavam errados, os preços superfaturados e inventavam um monte de coisa ruim para falar.
    Assumiram e ainda não fizeram nenhuma licitação e pra nossa surpresa aditivaram (renovaram) todos os contratos com fornecedores firmados anteriormente. Se assim o fizeram é por que estavam certos. Ou são incapazes de resolver os problemas. Estamos de olho no senhor "KoKá".
    As eleições foram em outubro, portanto teria tido tempo de sobra para planejamento, o que pelo visto não aconteceu. Aditivaram também o contrato com a empresa antiga de contabilidade que eles tanto criticavam. Vejam que já foram nomeados dois advogados e contratado uma empresa de
    consultoria sem licitação de um amigo do prefeito que é lá de Posse. O ex prefeito era engenheiro e o município não tinha engenheiro ele mesmos executava as obras esse, é advogado por que contratar advogado. É economia para o município, se ele mesmo advogar. Nos ajude Dinomar.

    ResponderExcluir
  5. Hahahaha agente continua relegando ETs.uauaua

    ResponderExcluir
  6. Administração esta andando em circulo,tenho pena de campos belos vai paga o milho que o cabra comeu!!!

    ResponderExcluir
  7. Ele não advoga porquê ele está impedido! O estatuto da OAB veda advogar quando exercer cargo no executivo.

    Artigo 28 da Lei nº 8.906 de 04 de Julho de 1994

    Art. 28. A advocacia é incompatível, mesmo em causa própria, com as seguintes atividades:

    I - chefe do Poder Executivo e membros da Mesa do Poder Legislativo e seus substitutos legais;

    II - membros de órgãos do Poder Judiciário, do Ministério Público, dos tribunais e conselhos de contas, dos juizados especiais, da justiça de paz, juízes classistas, bem como de todos os que exerçam função de julgamento em órgãos de deliberação coletiva da administração pública direta e indireta; (Vide ADIN 1127-8)

    III - ocupantes de cargos ou funções de direção em Órgãos da Administração Pública direta ou indireta, em suas fundações e em suas empresas controladas ou concessionárias de serviço público;

    IV - ocupantes de cargos ou funções vinculados direta ou indiretamente a qualquer órgão do Poder Judiciário e os que exercem serviços notariais e de registro;
    V - ocupantes de cargos ou funções vinculados direta ou indiretamente a atividade policial de qualquer natureza;

    VI - militares de qualquer natureza, na ativa;

    VII - ocupantes de cargos ou funções que tenham competência de lançamento, arrecadação ou fiscalização de tributos e contribuições parafiscais;
    VIII - ocupantes de funções de direção e gerência em instituições financeiras, inclusive privadas.

    § 1º A incompatibilidade permanece mesmo que o ocupante do cargo ou função deixe de exercê-lo temporariamente.
    § 2º Não se incluem nas hipóteses do inciso III os que não detenham poder de decisão relevante sobre interesses de terceiro, a juízo do conselho competente da OAB, bem como a administração acadêmica diretamente relacionada ao magistério jurídico.

    ResponderExcluir