Banner 1

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Extensionistas promovem desenvolvimento sustentável no campo




 
Nesta terça-feira, 06 de dezembro, data em que se comemora o Dia Nacional do Extensionista Rural, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) parabeniza seus servidores, que contribuem efetivamente para a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares do Estado.

Com aproximadamente 350 extensionistas, entre engenheiros, médicos veterinários, zootecnistas, assistentes sociais, economistas domésticos, biólogos, geólogos, nutricionistas, pedagogos e técnicos agrícolas, o Ruraltins está presente nos 139 municípios do Tocantins, por meio de 92 escritórios locais e sete regionais, levando conhecimentos e novas tecnologias que promovem o desenvolvimento da produção agropecuária e a geração de renda.

O presidente do Ruraltins, Pedro Dias, destaca que o extensionista é o grande parceiro do produtor rural e suas ações são fundamentais para elevar a produtividade no campo. 


“A nossa mensagem nesse dia é de incentivo, porque, apesar das dificuldades que o nosso país atravessa, acreditamos que o extensionista é um agente de transformação, capaz de melhorar a vida do agricultor familiar, além de promover a geração de renda e a inclusão social”, avalia.

Importância da extensão rural

Cleusimar Alves Souza, dono de uma propriedade no Projeto de Irrigação São João, próximo a capital, produz mamão e vende para os supermercados da capital. Com a assistência técnica do Ruraltins, pretende diversificar a produção, investindo no cultivo de coco. 


Para isso, conseguiu uma linha de financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), na modalidade Pronaf Mais Alimento.

“Procurei o Ruraltins e os técnicos vieram aqui e elaboraram todo o projeto. Reconheço a importância desse trabalho, pois vejo os extensionistas como nossos conselheiros, que nos ajudam a planejar a melhor forma de produzir, visando bons resultados e lucros. Sem o auxilio deles dificilmente chegaria até aqui”, concluiu o produtor.

Delmácio Antunes, engenheiro agrônomo do Ruraltins, em Palmas, destaca que a assistência técnica e extensão rural pública é um direito de todo agricultor. 


Para ele, a agricultura é muito dinâmica, com constantes mudanças e lançamentos de novas variedades de sementes, técnicas de irrigação e plantio, exigindo sempre a presença do extensionista junto ao produtor rural, para que se desenvolvam técnicas de trabalho que sejam mais eficientes, tanto na área de produção, quanto ambiental e social.

“Se o agricultor rural não acompanha essas mudanças a tendência é ficar fora do mercado econômico. O extensionista está totalmente ligado as práticas desenvolvidas em uma propriedade rural. 


Levar informação, conhecimento e tecnologia para o desenvolvimento rural, isso é extensão, isso é assistência técnica”, destaca o engenheiro agrônomo, acrescentando ainda que com as orientações dos extensionistas uma propriedade pode ter um crescimento de produção variando de 30% na agricultura extensiva a 100% na parte intensiva.

O engenheiro agrônomo João Israel Peovesan, de Figueirópolis, que há dois anos trabalhando como extensionista no Ruraltins, observa que um dos entraves para o desenvolvimento do setor rural é o acesso ao crédito, já que boa parte dos agricultores familiares não tem condição de ter financiamento para investir na melhoria da sua propriedade. 


Por outro lado, o extensionista destaca que o Ruraltins vem procurando reverter essa situação, pois tem grande credibilidade e aceitação junto aos agricultores. 

“Sempre somos bem recebidos pelos produtores e as nossas orientações são sempre acolhidas”, frisou o agrônomo.

Maria Margarida Carvalho da Silva, de 61 anos, atuou durante 26 anos como extensionista do Ruraltins, em Silvanópolis, exercendo a função de técnica em desenvolvimento social. 


Recém-aposentada acredita que o sucesso da profissão é exercê-la com muito zelo e dedicação.

“É um trabalho que deve ser feito com prazer. A função do extensionista da área social é direcionada aos menos favorecidos da zona rural. É um trabalho conjunto com outros profissionais. 


Enquanto o engenheiro agrônomo cuida da parte de cultivo, a área social dá suporte às famílias, visando à melhoria da renda e da alimentação, implementando ações como cursos de beneficiamento e industrialização, comercialização de alimentos, saneamento básico, dentre outras atividades”, observou.

A extensionista ressalta que ao longo desses anos diversos projetos foram implantados e os resultados permanecem dando frutos. “Foram muitas coisas boas, como por exemplo, a formação de oito associações, dentre elas a de produtores e chacareiros de Silvanópolis e a Associação Cultural Raízes, local onde se promove cursos e eventos culturais. 


O que eu tenho em mente é continuar esse trabalho social, mas agora como voluntária”, finalizou.

Dia do Extensionista

O dia 06 de dezembro foi escolhido para homenagear esses profissionais porque, em 1948, foi criada a primeira instituição de extensão rural no Brasil, a Associação de Crédito e Assistência Rural (Acar), hoje Emater - Minas Gerais.



Fonte: Ruraltins

Nenhum comentário: