Banner 1

Banner 1

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Universitários da UFT emitem Nota sobre ocupação de campus em Arraias (TO)




NOTA PÚBLICA: OCUPA UFT/ARRAIAS 

Nós, acadêmicos deste campus, dos cursos de Licenciatura em Pedagogia, Matemática e Educação do Campo, acadêmicos do curso de Turismo Patrimonial e Socioambiental, dos cursos EAD's Biologia e Administração , viemos por meio desta nota informar que a partir da presente data o Campus de Arraias se encontra ocupado como forma de protesto. 

Declaramos o nosso apoio ao movimento autônomo das(os) estudantes que ocuparam os Campus UFT, IFTO e alunos secundaristas das escolas publicas do Tocantins  e demais universidades federais, estaduais e institutos federais de todo o país em repúdio ao Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 55/2016 (antes PEC 241) e contra a Medida Provisória (MP) 746/2016 da Reforma do Ensino Médio. 

Por entendermos que o projeto em tramite (PEC 255/2016) não deve ser aprovado, pois o mesmo, já considerado como inconstitucional, se configura como um desrespeito e ao mesmo tempo um meio de inserir uma nova ditadura, apoiada por uma elite que escraviza a classe trabalhadora e suga todos os direitos dos cidadãos. 

Sendo assim, acreditamos que juntos somos mais fortes e consigamos alcançar/barrar esses golpistas que querem através do nosso suor adquirir riquezas para beneficio próprio. 

Lutamos para que a Reforma do Ensino Médio (MP) 746/2016, seja discutida com os profissionais da área da educação e que diante dessas mobilizações, os milhões de brasileiros lutando por seus direitos, não sejam ignorados pelo poder politico de nosso país. 

Exigimos também: 

A manutenção dos empregos dos vigilantes e demais funcionários terceirizados que seriam dispensados, pois entendemos que seus serviços são essenciais para o bom funcionamento do nosso campus. 

A construção de um espaço de lazer, como o Centro de Convivência que já existe em todos os outros campus e que é inexistente no nosso. 

A realocação da biblioteca para um local adequado, já que é visível a quantidade de livros acumulados e o desconforto causados pela falta de espaço. 

Transparência no que se refere a distribuição das verbas do PNAES. 

A compra de novos computadores e um espaço adequado para a locação dos mesmos, sendo que os que existem são ultrapassados e se encontram em péssimo estado de funcionamento. 

A construção da Casa dos Estudantes, que no momento se encontra praticamente lotada. 

Finalizamos pedindo a compreensão e ajuda dos acadêmicos e demais funcionários, entendemos que Arraias sempre foi uma cidade de luta e resistência herdados das nossas origens quilombolas e que essas características devem se refletir na nossa Universidade, mostrando que aqui não tem arrego. 

#OCUPAUFTARRAIAS 
#OCUPATUDO 

Arraias do Tocantins, 07 de novembro de 2016.

11 comentários:

  1. Nos limites estabelecidos nesta PEC, a Educação e Saúde não ficaram de fora?!!

    ResponderExcluir
  2. Esse movimento não me representa!!! Sou acadêmico de Biologia no campus e condeno veementemente essa iniciativa. Devemos buscar melhorias sim, mas precisamos fazer isso sem prejudicar os demais. Ni caso, quem sai mais prejudicado somos nós mesmos. EU QUERO o meu direito de continuar estudando. Não é admissível que uma minoria prejudique a todos.

    ResponderExcluir
  3. Poderiam fazer um levantamento de quantos alunos são a favor e quantos são contra. Tenho a impressão que todas essas ocupações são realizadas por uma minoria manipulada, com viés ideológico importante, barulhenta, que se faz passar por maioria.

    ResponderExcluir
  4. São uma tropa de gente atoa que não tem oque fazer e que só querem prejudicar os que querem estudar. vai pegar no cabo da enxada e trabalhar.

    ResponderExcluir
  5. Quando se GREVE feito pelos professores, nenhum aluno corre em busca dos seus direitos né.
    Agora quando se fala em alunos correndo atras dos seus direitos, até alguns outros alunos acham ruim e querem ter direitos, agora estão vindo com essa de maioria e minoria, na greve de professores, nos alunos somas a maioria, e no que da? a GREVE sempre continua né.
    então calem a boca e ajudem a correr atrás dos nossos direitos

    #OCUPAUFT#
    #OCUPATUDO#

    ResponderExcluir
  6. Muitos tem opiniões contrarias a quem apoia a ocupação.Porém, cabe ressaltar que o direito de alienar-se ou não é respeitado pelos acadêmicos que apoiam a luta.Não sou líder da ocupação nem nada disso,assim com muitos, apenas me preocupa com o que esta acontecendo com o país e por isso decidi apoiar.Nós que estamos lutando pelo direito da sociedade,não estamos querendo prejudicar ninguém,até porque somos universitários e sabemos que é melhor lutar agora, do que se calar e sofrer as consequências por 20 anos. Quando decidimos lutar, não pensamos somente nos acadêmicos, e sim numa sociedade que se cala mesmo estando sendo apunhalados por um governo que nem se quer se importa com os pobres,muito menos com a educação e saúde.E estas são as áreas mais carentes e que precisam de mais verbas. Retirar o pouco que ainda resta, assim como estipula a PEC 55 causará um imenso impacto no país,e isso preocupa!!! Diante disso lutaremos até conseguir nossos objetivos, que servirão para
    a nova geração que se cria,e que daqui uns anos se tenha ao menos uma escola onde poderão estudar .Pois com esse governo e com essas normas que estão se estabelecendo, não haverá educação de qualidade,e muito menos saúde. Para que isso não aconteça lutaremos até o fim...Por isso reflitam,e pense no futuro de uma sociedade não apenas no momento.

    ResponderExcluir
  7. PARABENS AOS IDEALIZADORES DESSA OCUPAÇÃO!!
    TEMOS Q LUTAR SIM PELOS NOSSOS DIREITOS!
    INFELIZMENTE ALGUNS SE APEGAM AO DISCURSO DE Q ESSAS OCUPAÇÕES SÃO POLITICAS, MAS SE ESQUECEM OU NEM SABEM O TEOR DESSAS PEC'S E DE OUTRAS PROPOSTAS DESSES DESGOVERNO...BANDO DE ALIENADOS!!
    RETIRAM O DINHEIRO DA SAUDE E EDUCAÇÃO PARA DAR AOS BANQUEIROS!!!
    #OCUPATUDO
    #OCUPAUFT

    ResponderExcluir
  8. O cidadão que e contrário a esse movimento,demonstra o quanto ele não tem capacidade de da aula,pois o mesmo trabalhar a um bom tempo em um colégio na cidade sem ao menos possuí um curso de licenciatura. Vc e a prova o quanto o estado está preoculpado com a educação. E quando vc fala que"esses alunos não o representa demostra o quanto vc desconhece a história de lutas de chasses nesse pais no Brasil

    ResponderExcluir
  9. Caro anônimo, é interessante como se esconde para criticar. Como bem disse, trabalhei um bom tempo na educação e tenho MUITO orgulho disso. Garanto que meu trabalho foi bem desempenhado, minhas aulas bem planejadas e meus alunos bem instruídos. Lecionei em diferentes colégios além de estudar e ministrar capacitações pelo MEC. Tenho plena consciência da minha capacidade como educador e mesmo assim acredito que sempre devemos aprender mais, nos aperfeiçoarmos mais. Por isso ingressei na UFT.
    Ao contrário do que diz, eu conheço sim muito bem a luta por uma educação melhor pois faço parte dela. Nossa educação precisa evoluir muito e medidas precisam ser tomadas e essa PEC é uma tentativa de se mudar o panorama atual. O problema é que as pessoas atualmente não estão preocupadas em debater políticas educacionais e sim em "ganhar o debates". Ninguém quer ouvir o outro, apenas gritar mais alto. Eu não concordo com ocupações assim como não concordo com a maioria das greves na educação pela forma como são feitas. O ato de greve deve ser sempre a medida mais extrema, o último recurso, quando todas as outras possibilidades já tenham sido descartadas, pois o prejuízo a todos é muito grande. Contudo, atualmente ela tem sido quase sempre a primeira opção.

    ResponderExcluir