Banner 1

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Tratar com desigualdade os desiguais: uma resposta por Jannekelly


"Ok professora Jannekelly, você tem meu imenso e sincero respeito, não te conheço, nem sei quem é você, porém a respeito da sua pessoa só escuto falarem elogios e qualidades.

Com base na sua qualificação - que é imensa- me responda uma coisa com no máximo uma dúzia de palavras , sem literatismo, por que o negro tem que ser servido de sistemas de cotas se nós somos todos iguais ? O que impedem os negros de concorrer de igual pra igual com os demais ?"

Rafael Barbosa

-------------------------

Por Dinomar Miranda, 

Prezado Rafael Barbosa, tomo a oportunidade para responder em nome de Jannekelly. 

Obviamente, não a impedindo de também responder. 

A letra do artigo 5º da Constituição Federal diz que “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:  I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição”. 

Quando a Constituição Federal fala que todos os cidadãos  são iguais perante a Lei, quer também dizer que devemos tratar com desigualdade aqueles que são desiguais. 

Para melhor compreensão, equilibrar as coisas.

Tem gente que já nasce em desvantagem ou com vantagens. Por ser rico, por ser branco, por não ter deficiência física ou mental.

Por isso é que se isso usa o conceito de discriminação positiva. 

Ela é um tipo de discriminação que tem como finalidade selecionar pessoas que estejam em situação de desvantagem tratando-as desigualmente e favorecendo-as com alguma medida que as tornem menos desiguais.

É um processo que tem como objetivo tornar a sociedade mais igualitária, diminuindo os desequilíbrios que existem em certo grupos sociais.

As cotas nas universidades são um grande exemplo. O benefício do Estado ao agricultor familitar também. 

Por que, no Brasil, apesar de serem maioria, os negros são os mais pobres, os que são presos, os que tem os mais baixos salários, os que não têm luz, os que não têm esgotamento sanitário, água encanada, os que não podem pagar escolas particulares, os que são discriminados todos os dias?  

Uma mínima leitura da história do Brasil você vai conseguir identificar as causas. 

Da mesma forma, os índios, que apesar de ser uma população menor, sofrem dos mesmos preconceitos e padecem dos mesmos problemas. 

O Dia da Consciência Negra é tão importante quanto a data do descobrimento do Brasil. 

Ela vem lembrar todos os anos a vergonhosa página da história do nosso país, em que seres humanos foram tratados como bichos. 

Tratamento que hoje não dispensamos a qualquer animal.  

E até hoje os descendentes desses brasileiros, que foram massacrados por séculos, continuam na periferia da sociedade, amargando as piores condições sociais. 

E o que é pior, num ciclo vicioso que parece infinito. 

Por isso, caro Rafael, tratar com desigualdade os desiguais também é igualdade. Tem outro nome: Justiça. 

Comentário sobre o post: 


Projeto de extensão da UEG, em Campos Belos (GO), promove evento sobre o Dia da Consciência Negra

5 comentários:

Emerson Santos disse...

Parabéns, professora! Em poucas linhas resumiu uma realidade histórica da sociedade brasileira. Socidade racista e excludente. Quando todos os educadores tiverem o mesmo raciocínio realista que você postou ao responder a uma crítica infundada, poderemos sonhar por um futuro próspero e menos desigual.

Anônimo disse...

Caro Emerson Santos, você não observou quem respondeu a crítica . E parabenizou a pessoal errada.Pois quem respondeu foi Dinomar Miranda.

Emerson Santos disse...

Parabéns blogueiro pela resposta.

Emerson Santos disse...

Parabéns blogueiro pela resposta. Todavia, não importa a fonte da crítica. E preciso encarar o racismo de frente. Na verdade, o estado e incompetente no conceito de igualdade racial.

RAFAEL BARBOSA disse...

Então tá gente , com base no conhecimento trazido por vocês resta considerar que o negro será sempre inferior aos brancos , que o cérebro do negro funciona diferentemente dos brancos ... ISSO SIM É DISCRIMINAÇAO !
Temos que levar em conta que o mundo socializou , assim como os negros era grande parte escravos , mulheres daquela época que mostravam os braços eram consideradas meretrizes , agora vamos ficar gritando tbm que a professora merece respeito de todos , por usar blusas regatas , por vestir shorts que batem no joelho ? Faz sentido ? O negro era diferente naquela época , hoje os tempos são outros , esquece essa diferença passada gente , o mundo torna-se-a melhor