Banner 1

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Divinópolis de Goiás em pé de guerra com volta de padre para a paróquia local





Um grupo de fiéis católicos de Divinópolis de Goiás, nordeste do estado, organizaram, no último domingo (06), um protesto contra a volta do Padre Eliton (Zuis) à paróquia da cidade - a São João Batista.

Os manifestantes são contra a volta do padre, que já foi pároco da comunidade por 10 anos.

O protesto aconteceu antes da missa de posse do padre nomeado. 

A missa foi celebrada pelo Bispo Dom José Ronaldo, da diocese de Formosa, que depois conversou com os manifestantes e ouviu deles sobre os motivos pelos quais não aceitam o retorno do padre.

Oficialmente, o Padre Eliton não tomou posse ainda da paróquia São João Batista. De acordo com fiéis, dificilmente o Bispo voltará atrás, mas sentiu o peso da negativa da comunidade. 

Eles pediram ao Bispo para repensar sobre a decisão e solicitaram que outro padre fosse nomeado como pároco da igreja local.

Por outro lado, outros fiéis defenderam a volta do padre Eliton (Zuis) a comunidade e expressaram esse desejo ao Bispo.

A igreja católica de Divinópolis de Goiás está sem pároco desde a saída do Padre Keison Torres, que ficou apenas dois meses na paróquia. 

Padre Keison foi afastado da comunidade após ter seu nome citado na operação Urano deflagrada pelo Ministério Público de Goiás.

Abaixo-assinado 

Recentemente, um representante do Grupo Jovem Judac, da comunidade, escreveu uma carta ao Bispo Dom José Ronaldo, que depois foi divulga a veículos de comunicação. 

Na carta, o jovem pede ao Bispo a permanência do Padre Keison e relata porque querem a permanecem do antigo padre. 

Em um dos trechos da carta o jovem cita que  “houve a reabertura da secretaria paroquial; o padre Keison disponibilizou horários para atender confissões, (o que é essencial e não tínhamos); passamos a ter missas durante alguns dias da semana e foi estipulado um dia fixo para as missas nas fazendas”.

Em outro trecho da carta é citado que “Os jovens voltaram a frequentar assiduamente os grupos e as missas, pessoas que haviam nos deixado, retornaram a casa do pai”.

“Não estamos na igreja por causa do padre, isso é fato, mas sim por Deus, mas se não tivermos um bom pastor, temos grande chance de fracassarmos em nossa caminhada espiritual.” Disse o jovem em mais um trecho da carta.

Na oportunidade, centenas de fiéis já assinaram o abaixo-assinado, que foi enviado para a Diocese de Formosa. 


Fonte: Antônio Carlos 


Um comentário:

Maria Izélia Cirineu cirineu disse...

Lamentabela,pois, igreja somos nós e não é propriedade privada do pe Zuis. Infelizmente, estamos em uma situação difícil com esse perfil na nossa paroquia. Mais o que faze? Estamos aguardando a decisão do bispo. Espero que não demore pois a situação está muito difícil pata nós catolusos.