Banner 1

terça-feira, 8 de novembro de 2016

"Curva do Caixão" mata mais uma pessoa na rodovia GO-118. A vítima, de 19 anos, morava em Alto Paraíso de Goiás






Enquanto as autoridades rodoviárias estaduais de Goiás não tomam as providências, que são de suas responsabilidades, a "curva do caixão", um perigosíssimo trecho, logo após um declive de alta velocidade, continua fazendo suas vítimas e matando pessoas. 

Na madrugada do último dia 2, por volta de 2h30 da manhã, a jovem Roselene Silva de Oliveira, moradora de Alto Paraíso de Goiás, viajava e seguia destino para Monte Alegre de Goiás, ao lado de uma amiga. 

Ela conduzia seu veículo, Fiat Uno Way, quando perdeu o controle do carro, no KM 238, justamente na "curva do caixão", o trecho de que tanto falamos aqui no Blog, entre Teresina e Monte Alegre de Goiás. 

Após perder o controle, o veículo bateu violentamente na proteção de defensa metálica, o chamado Guard-rail.

O aço atravessou a lataria do veículo e atingiu, em cheio, a passageira Lorraine Oliveira dos Reis, que teve morte instantânea.

De acordo com o sargento Elivas Alves, da PM, a condutora foi socorrida em estado grave para Teresina de Goiás e em seguida para Alto Paraíso.

A vítima fatal, Lorraine, que tinha 19 anos de idade, residia em Alto Paraíso de Goiás, onde possuía grandes amizades, o que deixou a cidade consterna e entristecida com a perda da jovem e de forma tão trágica.  

O corpo dela foi encaminhado para o IML de Campos Belos e, após liberação, sepultado em Alto Paraíso. 

Os acidentes graves na "curva do caixão" têm sido uma constante. 

Há pouco mais de uma semana, uma caminhonete, que levava três prefeitos eleitos do estado Tocantins, também tombou no mesmo lugar. 

Por sorte, os cinco ocupantes do veículo conseguiram sair com vida do acidente. 

A pergunta é: até quando a Agetop (Agência Goiana de Transporte e Obras) vai continuar a assistir tanta tragédia sem nada fazer. 





4 comentários:

Anônimo disse...

E a sinalização não está tão difícil de fazê-la: na curva do caixão refazer os sonorizadores, instalar a sinalização vertical,ou seja, as placas de advertência. Aproveitar fazer este serviço também nas curvas de chegada e saída de Monte Alegre.

Thiago Barbosa disse...

O problema se torna maior porque o guard rail deveria oferecer proteção e não se tornar mortal, porém ele encontra se todo retorcido devido aos inúmeros acidentes anteriores

Anônimo disse...

Infelizmente é assim que a coisa funciona, quantas vidas perdidas nesta curva e nada foi feito para mudar este quadro. Outra curva, a da saída de Monte Alegre rumo a Brasília, muitos perderam a vida naquele trecho de estrada e nada muda. Se morrem pessoas por ali é porque alguma coisa saiu errada no projeto. Há possibilidade técnicas de diminuir o grau daquelas curvas, basta vontade política.

Leonardo disse...

Digite seu comentário...Dois quebra-molas em cada uma destas curvas e acabariam as mortes....