Banner 1

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Prefeita e ex-prefeito de Buritinópolis (GO) são acionados por usar bens e serviços públicos no casamento da filha




O promotor de Justiça Douglas Chegury está acionando, por atos de improbidade administrativa, a prefeita de Buritinópolis, Maria Aparecida da Cruz Costa; o marido e ex-prefeito da cidade, Jorgino Joaquim da Costa; e a filha do casal, Kálita Rodrigues Costa Aquino, bem como o genro deles, Heryson de Moura Aquino. 

O Ministério Público requereu liminarmente a indisponibilidade de bens para ressarcir os prejuízos causados pelos acionados, em razão do uso que eles fizeram de bens e serviços públicos na cerimônia de casamento de Kálita e Heryson, dos espaços físicos, veículos até pessoal de limpeza. 

O dano causado foi estimado em R$ 125 mil, entre o valor a ser ressarcido, aplicação de multa civil e dano moral coletivo.

Consta do processo que Kálita e Heryson se casaram no dia 4 de junho deste ano, em Buritinópolis. 

Conforme apurado pelo MP, a noiva foi conduzida até a cerimônia no carro oficial do Executivo, dirigido pelo motorista do gabinete da prefeitura. 

O casamento, que contou com centenas de convidados, foi realizado no Ginásio de Esportes de Buritinópolis, enquanto a festa aconteceu na Escola Municipal Professora Alaíde Pereira Barbosa Brito. 

Destaca-se que foram usados servidores públicos municipais nesses eventos, ficando, inclusive, a limpeza dos dois prédios públicos a cargo desses funcionários. 

Na cantina da escola, trabalhadores também prestaram serviço durante a festa que, segundo testemunhas, durou até a madrugada do dia seguinte. 

Depoimento de servidores que trabalharam nas celebrações atestam que não foi feito nenhum pagamento particular para as tarefas designadas.

“A forma como foram usados os bens do municípios e os servidores públicos, tanto o veículo quanto os prédios e servidores, revela profundo desprezo e confusão perniciosa entre o público e privado por parte dos acionados, que se valeram de bens do povo para satisfazer, de forma reprovável, seus interesses privados”, avalia o promotor. 

Fonte: MPGO

Um comentário:

Anônimo disse...

Onde doutor Douglas for ele vai levá o terror para os corrupitos do goiás.saudade do doutor aqui em São Domingos.