Banner 1

sábado, 27 de agosto de 2016

Lágrimas de Crocodilo: ex-senador Gim Argello chora em depoimento a Sergio Moro



Réu na Lava Jato, o ex-senador Gim Argello (PTB) negou que tenha pedido propina para empreiteiros investigados na operação para que eles não fossem convocados para Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, em 2014. 

Argello foi interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, nesta sexta-feira (26), e disse ser alvo de vingança. O ex-senador chegou a chorar durante a oitiva.

O ex-senador está preso desde abril, quando a 28ª fase da Lava Jato foi deflagrada. Ele responde por corrupção passiva, concussão, lavagem de capitais, organização criminosa e obstrução à investigação. 

A força-tarefa da Lava Jato afirma que há indícios concretos de que ele solicitou vantagem indevida para evitar que os empreiteiros fossem chamados para depor na CPMI.

O dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, é colaborador da Operação Lava Jato e afirmou em audiência que pagou R$ 5 milhões, em forma de contribuição eleitoral para diversos partidos, para que não fosse chamado na CPMI.

De acordo com Pessoa, ele aceitou pagar a propina para preservar a imagem da empresa e também a imagem pessoal dele. "[Aceitei] por causa do meu receio de uma explosão de um assunto tão grave como a CPI da Petrobras. 

Não preciso lhe dizer onde nós desaguamos", disse o empresário em depoimento prestado na quarta (24).

Fonte: Folha Política 

Nenhum comentário: