Banner 1

domingo, 17 de julho de 2016

Crise e horror sem fim: Sistema prisional de Campos Belos (GO) está em colapso e pede socorro. Todo mundo sofre; comunidade, agentes, presos...


Hoje recebemos uma carta de desabafo e de denúncia dos servidores responsáveis pela virgília e segurança do presídio de Campos Belos, no nordeste de Goiás. 

Se é que este local possa ser chamado de presídio. 

Como adiantei aqui no Blog, várias vezes, o local é um barril de pólvora, preste a explodir a qualquer momento. 

São quase 70 presos espremidos em condições sub-humanas. Os presos devem pagar por seus crimes, porém devem ser tratados com dignidade, com respeito, com humanidade. 

Isso não tem negociação. 

Sem juiz na Comarca a um tempão, tem gente presa "de graça" sem ser ouvido em audiência de custódia, sem estar condenado, mas preso apenas por uma acusação.  

O vereador Denilson, por exemplo, está preso há quase 20 dias por violação da lei Maria da Penha e até hoje não foi lhe concedido, ao menos, a audiência de custódia ou o direito de ser avaliado o seu pedido de habeas corpus. 

Está tudo errado. Este não é o Estado de Direito Democrático que desejamos. 

A situação é terrível não apenas para os presos. 

O estresse, a falta de condições básicas de trabalho, a insegurança, o abandono do Estado tem deixado os servidores da segurança numa situação de horror.  

É um sofrimento sem fim, que atinge inclusive a comunidade vizinha do presídio.

Na carta denúncia, os servidores expõem toda a problemática, o sofrimento, as angústias e as preocupações com uma situação, em que o controle pode ser perdido a qualquer momento, com consequências imprevisíveis.    

Carta Denúncia dos Servidores 

“A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem a mudá-las (Santo Agostinho).

Em face da realidade que se encontra a Unidade Prisional de Campos Belos expressamos aqui nossa indignação pelo tratamento de descaso e ausência de apoio para sanar a crise instalada nesta Cadeia. 

Os vigilantes gerenciam com muita dificuldade as ocorrências da Unidade, pois trabalham sem condições para o efetivo exercício. 

Não há produtividade nos serviços uma vez que a equipe não se encontra devidamente composta, pois não se tem uma organização precisa  de servidores ocupantes das funções de direção e supervisão o que vem ocasionando graves transtornos no desenvolvimento dos trabalhos. 

Os vigilantes, além do desempenho das funções que lhes competem, estão num estado de total desgaste, visto que têm ainda que enfrentar uma realidade de trabalho com condições desumanas numa equipe sem gestores. 

A  falta de apoio, deficiência no quadro de servidores, carência de recursos adequados e suficientes para o desempenho das atividades e infraestrutura precária tornam ainda mais complexo e deficitário o gerenciamento do sistema.

Vivenciamos com muito sofrimento nos últimos anos e mais intensamente nos últimos meses situações de motins, início de rebeliões, fugas, destruição do patrimônio, ameaças e diversas outras situações de subversão da ordem na Unidade Prisional de Campos Belos. 

Horas de horror, tensão, provocações e ameaças foram amargamente experimentadas por servidores, vizinhança e toda a comunidade local nesta última quinta-feira, dia 15/07/16, com uma das mais escuras e destrutivas tentativa de rebelião.

Temos oficializado esta realidade e recorrido a várias instâncias com o escopo de resolução desta problemática, porém pouco temos conseguido. Não temos certeza absoluta, mas podemos imaginar aonde vão nos levar esses acontecimentos. 

E assim, até quando ficaremos expostos ao descaso e ao caos recorrente? Até quando vivenciaremos a situação de “guerreiros abandonados no campo de batalha” ou desprezados sobreviventes do “corredor da miséria” neste ainda sofrido nordeste goiano?” 

O sistema esta à beira de um colapso e antes que se siga ao extremo da inflamabilidade voltamos a apelar a quem é de competência na busca de soluções.

É notório que não contempla mais a forma truculenta e embativa de lidar nos sistema prisional, mas somente através do enfrentamento da realidade é que chegaremos à resolução de algumas questões problemáticas pelas quais passamos. 

A adoção de medidas enérgicas e de procedimentos administrativos se fazem necessários dada à gravidade de fatos ocorridos.

Nossas propostas decorrem do intuito que abarcam a justiça e o bem comum. 

Bem sabemos da crise generalizada pela qual passa o sistema prisional, os problemas estruturais e a deficiência que o acompanham desde os primórdios e isso indubitavelmente nos reporta à ideia de que estamos aquém da dissolução integral desta crise. 

Porém, não podemos nos sujeitar ao conformismo e/ou vitimismo e deixar que esta conjuntura nos torne inertes visto que não temos mais estrutura para suportar uma jornada de trabalho nestas condições. 

Sabemos ainda que estamos envoltos em questionamentos, situações e ocorrências que fogem à nossa competência, a saber: Falta de juiz titular na comarca; Falta de Promotor de justiça titular na comarca; Falta de celeridade em audiências e decisões processuais; Falta de projetos de empregos aos presos em cumprimento de penas; Falta de projetos diversos de garantia de ressocialização, reintegração e reinserção; Falta de garantia de todas as assistências previstas na Lei de Execução Penal e demais previsões e garantias. 

Enfim, essas são as mais recorrentes e há diversas outras abordagens que nos são feitas diariamente pelos reeducandos e que não temos condições de dar respostas. 

Mesmo assim, não dá para ficarmos indiferentes a esta problemática. 

Tem-se adotado medidas paliativas ou quem sabe medíocres que não têm mais espaço ou não surte mais efeito. É fato que há uma crise instalada, mas não podemos permitir que o caos se sobreponha à ordem. 

Entendemos que uma organização, em caráter emergencial e extraordinário virá ao encontro das necessidades do Sistema Prisional bem como trará benefícios a toda comunidade. 

Haverá mais segurança, sossego e tranquilidade a população tendo em vista que a Unidade Prisional hoje se localiza no centro da cidade e suas instalações em extrema precariedade  além de estar super lotada com aproximadamente o triplo de sua capacidade projetada e há muitas famílias residentes nas proximidades.

Nesta circunstância e como mecanismo de organização, reiteramos a solicitação de apoio em caráter extraordinário para a resolução desta problemática iniciando com a presença de gestores nesta Unidade. 

Desta maneira contribuir-se-á para a busca corresponsável de dissolução do caos, de restabelecimento da ordem e de continuidade dos trabalhos dentro da missão a que se propõe o sistema prisional. 

17 comentários:

Anônimo disse...

Isso é um pedido de socorro, as autoridades competentes? Vão continuar fingindo que isso um Galpão pode ser considerado como uma agência prisional? Enquanto furtuna é investindo em segurança de uma so pessoa com dinheiro público . Isso é uma vergonha

Lucas Dourado dos Santos disse...

Com base nesta denúncia podemos expor o seguinte: qual seria a verdadeira funcionalidade da prisão em tempos modernos? Seria, por acaso, reeducar? Ou, quem sabe, "vigiar e punir: nascimento da prisão" (ver Michel Foucault, 1987)? Ora, como reeducar um indivíduo sob às condições, desumanas, relatadas pelos servidores em questão? Ao ver este caso na Unidade Prisional de Campos Belos - que não se faz exceção no país -, concluir-se-á que não há a menor possibilidade de reinserir o infrator de volta à sociedade, ao menos sob estas condições. E como se não fosse o bastante ainda querem reduzir a maioridade penal devido o ingênuo clamor popular que insiste em ver o presidiário como a causa e não a consequência de uma ordem social falida e corrompida como é a do nosso tempo. Mas, o pior de tudo é ver a inércia que se abate sobre a classe política, àquela que está preocupada - unica e exclusivamente - em como usurpar o dinheiro público, ao em vez de promover o bem estar social. Enfim, é vergonhoso ver toda essa conjuntura, mas, acima de tudo, analise-as quando do momento de proferir o seu voto nas próximas eleições. #Ficaadica

João serafins dos Reis disse...

O sistema carcerário está falido. Este é apenas o reflexo do que se vê em todos os presídios do país. A sociedade tambem vive um sistema social caótico. Penso, porém, que o sistema prisional,além de funcionar como um meio sócio-educativo, possui também o caráter punitivo. A pobreza em que vive o individuo não é e nunca foi a responsável pelo ingresso deste na vida do crime. Tambem a lotação dos presídios não justifica a não redução da maioridade. Todo crime carece de punição. Se não quiser sofrer com as lotaçoes dos presídios, então pense duas vezes antes de cometer o crime. se cadeia fosse um bom lugar para ficar, deixaria de ser local de puniçao. Essa é minha opinião.

geferson jose fernandes disse...

Na verdade, quando se abre uma discursao com temas sobre presidios, todos esquecem que ali tem servidores humanos e nao robos ou fantoches brincando de segurança. Todos se preocupam com os presos, estruturas e politicas publicas e esquecem dos servidores pais e filhos de familias. Os Agentes de Segurança Penitenciária nunca sao lembrados pela sociedade, orgaos do governo, Oab, imprensa, ong e outros, e quando sao, é de forma negativa. As pessoas e autoridades deveriam olhar para os servidores como pessoas, funcionários publicos, humanos, que precisam de atençao, apoio e deixar de lado a visao preconceituosa e arcaica de que o agente de segurança penitenciária é;corrupto, torturador ou coisa pior, e reconhecer que é um trabalho arduo, periculoso, insalubre e precisa ser visto com outros olhos, para que seja reconhecido e valorizado.


Geferson jose Fernandes

Anônimo disse...

Comendo e bebendo as custas do Estado, comida muitas das vezes melhor do que a de muitas famílias aqui e Campos Belos, presos mandado fotos em grupos do popular zapzap de dentro da cadeia e organizando o crime lá de dentro.. querem mais o que?

Anônimo disse...

Preso tem que sofrer la dentro mesmo, está em uma cadeia e não em um hotel, é bandido tem q ser tratado como tal.

Anônimo disse...

e dai se ta comendo nas custa do estado ou nao, que dinheiro o estado anda tendo!
acho que cada um tem que tomar conta de si proprio,deus deu a vida para cada um entao cuide da sua vida!voceis que ser muito certinho deve se ate santo ne!aiai
quam nunca errou atire a primeira pedra que e vc pra julgar alguem! voceis sao bom pra meter a lingua nas pessoas pense que tem que filhos ou no futuro possa ter para nao pagar as pragas e maldades que voceis falam dos outros!aqui te que ser um cachao pra lingua outro pro corpo aff

Anônimo disse...

Preso tem que sofrer mesmo, cadeia não é colonia de férias não, se não quer ir pra lá só não cometer crime nenhum! Já gastamos muito dinheiro com esses vagabundos, dinheiro pra arrumar cela pra dar conforto pra bandido ?! Bem melhor arrumar o hospital que quase sempre não tem remédio pros cidadães trabalhadores , arrumar os asfaltos , fazer quebra molas , mais iluminação nas ruas e mais policiais ! Bandido que se foda! Nem ia dizer mas .... " ahhh tadinho do vereador, enche a esposa a namorada de porrada e vai preso, tadinhoooo, está a 20 dias preso sem ninguém pra poder solta lo!!! :( " kkkkkk AiAi , se não queria ir pra cadeia que não batesse em mulher! Covarde! 20 dias é pouco, muito pouco!

Anônimo disse...

Só não podemos esquecer que dentro desse presidio faz uso de violência, acho um absurdo e uma tremenda covardia um presso ser espancado por qualquer polícia sem preparo nenhum quê vai aquele presídio,se a violência resolvese não teríamos nenhum bandido nem em Campos belos e no mundo todo, lembrando dos direitos humanos de casa ser humano.

Anônimo disse...

E o que eles tem a ver com remédio e iluminação e mais policia acho que vc tem que reclamar com o prefeito!e saber em quem vc vota pra melhora essa cidade se e que isso e possível,rsrs

Anônimo disse...

Acho a que força só foi usada quando necessária. Covardia é o que eles já fizeram, destruirão famílias, matam, rouba, trafica. Mesmo presos ainda tem comandado o trafico de dentro do presídio e mandam matar quem eles querem. Esta com peninha? pegue eles para criar, leve-os para sua casa.

Anônimo disse...

Ter humildade e Deus no coração de cada um que está aqui torcendo pelo sofrimento dos outros,peça a Deus para que seus filhos netos não paguem pela maldade e ódio que existe no coração de cada um,eles já estão pagando pelos crimes cometidos, não acho justo uso de violência contra qualquer presso que seja,o senhor doutor delegado chegou la dentro espancado e pipocando tiro pra todo lado abuso do poder de autoridade, você que fica aqui criticando achando que presso deve Sofre quando tiver alguém seu la dentro aí você me fala.

Anônimo disse...

Policial que reprime a bandidagem nunca presta e sempre é a mesma ladainha , " abuso de poder , abuso de autoridade " POOOOOOORRA NENHUMA MEU IRMÃO , pau na safadeza e porrada na vagabundagem , o tanto de droga e arma que as vadias leva pra dentro do presidio ninguém fala né , PARABÉNS DELEGADO DE POLICIA , pau na safadeza , tivesse dois igual Vsª Exelência a diferença seria melhor ainda

Anônimo disse...

Justiça e para 3-P ) Pobre, Puta, e Preto diga se de passagem.

Anônimo disse...

Não sei pq estão defendendo o preso que apanha, pq quando ele entra na sua casa p roubar o que vc trabalhou duro p conseguir ,espancar,estuprar e matar, ele n pensa duas vezes. Me poupe, vai la então fazer companhia a ele. Odio de gente burra. Existe direito dos manos e nao direitos humanos. afffff

Anônimo disse...

Engraçado ler senhor responsavel pelo blog vc dizer que eles devem ser tratados com dignidade e respeito, será que seria a mesma dignidade e respeito que os proprios tiveram aqui foram? Quem deve ser tratado com dignidade e respeito é o pai e mae de familia que sai de sua casa as sete da manha e trabalha penosamente por apenas um salario minino e correndo o risco de delinquente entrar em sua casa pra roubar por estar sozinha o dia inteiro. Por favor mais respeito com seu leitor meu caro, bandido é bandido e deve ser tratado como tal!

Gessi Ramalho disse...

quem tiver dó de presos , que troque de lugar com ele...