Banner 1

Banner 1

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Campos Belos (GO): Shayene foi assassinada. Ela é mais uma vítima de uma série de mortes violentas na cidade

A polícia investiga o assassinato 
José Marques Dias de Almeida, 40 anos, que respondia pelo nome social de Shayene, foi vítima, na noite desta terça-feira (5), de tiros, no setor Vila Baiana, em Campos Belos, nordeste de Goiás.

De acordo com a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 22h40, na rua José Roque Cezário Souza, próximo ao Hotel Vitória. 

Testemunhas entraram em contato a emergência da PM e contaram que Shayene estava caída no chão, com sangramento na cabeça e inconsciente. 

O Samu foi acionado, fez o atendimento emergencial e encaminhou a vítima ao Hospital Municipal de Campos Belos. 

Mas devido aos gravíssimos ferimentos na cabeça, ela não resistiu e morreu logo em seguida. 

Logo depois do crime, guarnições da Polícia Militar iniciaram buscas, em vários bairros, com o intuito de localizar e prender o assassino, mas devido o autor dos disparos ser desconhecido, as diligências em nada resultaram e nenhum suspeito foi identificado. 

Uma autoridade policial praticamente descartou a possibilidade de a motivação ser um crime de gênero, por homofobia. 

Para ele, o crime tem características de execução e provavelmente por estar intimamente ligado a acerto de contas junto ao tráfico e uso de entorpecente.

Shayene era filha de “Mestre Zé´” e de dona Ana Dias e morava no Centro da cidade. Mestre Zé, já falecido, foi um dos maiores impulsionadores de obras públicas no município, principalmente na década de 70 e 80. 

Também, junto com a família, era comerciante e muitíssimo conhecido e querido em Campos Belos. 

Dos diversos filhos do casal, Shayene, tenho como a mais corajosa. 

Há mais de 20 anos, logo na adolescência, assumiu a sua homossexualidade e fez a opção de gênero ainda num país extremamente discriminador e numa cidade ainda pequena e não habituada com posições pessoais francas. 

Alegre, inteligente e corajosa, Shayene tinha as respostas na ponta da língua, principalmente para quem tivesse o intuito de feri-lo, de qualquer forma. 

Mas na noite de ontem não foi capaz de barrar a covardia de seus algozes. 

É bem possível que a morte de Shayene tenha mais a ver com “o mundo das drogas” do que  com suas escolhas de gênero. 

Mas é fato que Campos Belos perdeu uma pessoa que foi o senhor do seu tempo e o encarou de peito aberto e com muita franqueza a vida.  

Resta agora aos investigadores da Polícia (civil e militar) dar uma resposta rápida à sociedade de Campos Belos e prender imediatamente o assassino de Shayene. 

Como informa a autoridade policial, é muito provável que este crime hediondo e asqueroso seja mais um da série de crimes ligados ao tráfico e ao vício de entorpecente, notadamente o crack, na comunidade. 

Conta-se, em menos de um ano, cerca de dez assassinatos a tiros. 

A sociedade de Campos Belos tem que reagir. 

Há muita passividade diante de tantos homicídios. Quantas famílias ainda irão chorar seus entes queridos? 

À família de Dona Ana Dias, Lomanto Dias, demais irmãos e sobrinhos de Shayene nossos sinceros votos de pesar.  

13 comentários:

  1. Verdade Precisamos reagir, pois Campos Belos esta ficando perigoso, a Policia so fala que e de trafico e nada faz, e quantos assaltos nossa cidade esta sofrendo a mão armada, nos mesmos lugares, pelas mesmas características, e ninguém faz nada, estamos com medo pois a Policia não esta nos dando resposta sobre os acontecidos, não estamos mais podendo sair de casa, porque a qualquer hora somos assaltados.

    ResponderExcluir
  2. Lamento profundamente a morte de uma pessoa tão querida. Há anos não moro mais em Campos Belos, porém sempre que ia na cidade ela me reconhecia e me cumprimentava com toda alegria. Que Deus conforme os corações de seus familiares e amigos e que ela descanse em paz.
    Infelizmente é notório que Campos Belos tende a piorar cada vez mais. A cidade não tem atividades ligadas aos jovens, não tem trabalhos sociais que possam entreter-los livrando-os desse caminho...Dentre outras realidades que poderiam ser evitadas, como a violência e o poder do trafico. Temo por nossas crianças, adolescentes, moradores...temo pelo futuro da nossa querida Campos Belos.

    "Campos Belos, Campos Belos,
    Ès meu imenso amor!...
    Campos Belos de Goiás
    Te carrego aonde eu for." (Edgar Muniz - Hino Campos Belos).

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, gostei bastante do seu texto e de como você mencionou a coragem que teve A Shayene em assumir sua identidade de gênero, naquela época em que o preconceito com certeza era bem maior que hoje, porém você esqueceu da flexão de gênero ao se referia A elA, uma vez que ela se via como mulher e deveria ser tratada como tal.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Campos Belos uma cidade pouco mais de 30 mil habitantes, ter em média mais de 10 assassinatos em menos de um ano, e um fato preocupante, as autoridades não se preocupa com isso, pelo fato de ser mortes relacionadas ao tráfico, lembrando que essas pessoas foram seres humanos e tiveram família, não só suas famílias sofrem, mais toda população camposbelense, medo de sair de casa, uma cidade pequena tomada por tráfico . Até onde precisa chegar, para as autoridades tomarem uma atitude? Quantas famílias poderão perde seus entes queridos? Cadê os policiais que predem somente os motociclista por estarem sem equipamentos de uso correto? Cadê vcs? PM,policiais civis e os demais, qaunta impunidade. Lametavel a situação dessa cidade.

    ResponderExcluir
  6. Vai em paz querida Shayene...
    Me lembro dos seus conselhos e das e Boas respostas que tinha pra tudo, kkkk! As noites de festa no Campuba... Velhos tempos esses, com certeza ela deixou sua marca de coragem, ela mudou o seu próprio destino e fez acontecer!

    ResponderExcluir
  7. Estão cobrando uma resposta imediata da polícia, mas será se o poder público juntamente com os governantes da cidade dão suporte necessários para k tenha essa resposta? Fica no ar essa pergunta

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente este rapaz se envolveu com drogas, e sabemos que o fim é sempre esse, mas um homem que é morto pelo vicio

    ResponderExcluir
  9. Vivemos num país aonde a violência tem crescido de maneira muito impressionante em razão de vários fatores. O que acontece é não dar oportunidade de ter o "primeiro gole" ou bloquear para que outros goles não sejam ingeridos. A população está carente de recursos no âmbito social como atividades que possam estar envolvendo os jovens como campeonatos inter colegiais, municipais e até mesmo estaduais, demais atividades que envolvam os jovens, oportunidade do primeiro emprego, treinamentos, curso profissionalizantes entre outros aspectos que trabalhem o EU desses jovens.
    Por estarmos num ano politico, quem sabe a sociedade se mobiliza e passe a cobrar das autoridades mais compromisso diante dessa problemática que está se agravando ...

    ResponderExcluir
  10. Os ativistas dos “direitos humanos” (entenda-se bajuladores de criminosos) no Brasil, geralmente são boçais que vivem à custa do povo ou militam em alguma agremiação da esquerda movida a caviar e whisky importado com envelhecimento nunca inferior a 12 anos.

    Pois bem, algumas dessas anomalias humanas, perfeitamente descartáveis por absoluta inutilidade, foram contempladas com uma sugestão, no mínimo supimpa, de um desembargador mineiro cuja visão diverge da maioria de seus pares por ser inteligente e ter responsabilidade para com a sociedade a quem serve.

    S. Exa. o desembargador Rogério Medeiros Garcia de Lima (Belo Horizonte, MG) enviou à Folha de São Paulo, uma carta onde ironiza quatro dessas bestas hubanas que vivem paparicando bandidos de todos os tipos.

    Diz a carta do desembargador…

    “Tenho uma sugestão ao professor Paulo Sérgio Pinheiro, ao jornalista Jânio de Freitas, à ministra Maria do Rosário e a outros tantos admiráveis defensores dos direitos humanos no Brasil.

    Criemos o programa social “Adote um Preso”.

    Cada cidadão aderente levaria para casa um preso carente de direitos humanos.

    Os benfeitores ficariam de bem com suas consciências e ajudariam, filantropicamente, a solucionar o problema carcerário do país.

    Sem desconto no Imposto de Renda.

    Agora, com o morticínio de presos no Maranhão, jornalistas e intelectuais “engajados” escrevem e opinam copiosamente sobre a questão carcerária e os direitos fundamentais. São como urubus, não podem ver uma carniça.

    Quando eu era juiz da infância e juventude em Montes Claros, norte de Minas Gerais, em 1993, não havia instituição adequada para acolher menores infratores.

    Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos.

    A polícia prendia, eu tinha de soltá-los.

    Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos “pequenos” assaltantes à cadeia pública, em cela separada dos presos maiores.

    Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos (por coincidência, três militantes).

    Exigiam que eu liberasse os menores.

    Neguei.

    Ameaçaram denunciar-me à imprensa nacional, à corregedoria de justiça e até à ONU.

    Eu retruquei para não irem tão longe, tinha solução.

    Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa, com toda a responsabilidade delegada pelo juiz.
    Pernas para que te quero!

    Mal se despediram e saíram correndo do fórum.

    Não me denunciaram a entidade alguma, não ficaram com os menores, não me “honraram” mais com suas visitas e … os menores ficaram presos.

    É assim que funciona a “esquerda caviar”, concluiu S. Exa.

    Se 50% dos juízes brasileiros tivessem a metade da inteligência e responsabilidade desse desembargador, as leis brasileiras seriam cumpridas à risco em vez de serem desmoralizadas por qualquer cretino que se acha no direito de conspirar contra o povo desse miserável país, bajulando bandidos e lhes dando apoio à nossa custa.

    Parabéns ao digníssimo Meritíssimo Desembargador Rogério Medeiros Garcia de Lima.

    É um orgulho e uma honra tê-lo entre nós, os brasileiros de bem!

    Compartilhe isso:POR ISSO DIGO QUE A LEI TREM BRECHA PARA ESSES CANALHAS MENORES FICAR PRESO LEIA REFLITA E COMPARTILHE

    ResponderExcluir
  11. Minha tia(o) gente vai fazer muita falta em nossos corações mesmo que não tiamos contato...sempre gostei de você e queria ter te conhecido pessoalmente mais não foi possivel ����
    TE AMAMOS ������
    #Luto

    ResponderExcluir
  12. Tia sentiremos sua falta nosso coração esta em luto 🙏😿

    ResponderExcluir
  13. Juntamente com a polícia militar e comércio local, implantação de câmaras de segurança. Ao poder público aquisição dos equipamentos nas ruas onde não possuem comércios, nos órgãos públicos e praças. Os comerciantes em seus estabelecimentos, com captação nas ruas nos dois sentidos. Claro que cabe ao poder público a segurança. Porém é de suma importância a participação da sociedade para chamar na responsabilidade e assim diminuir os gastos. Todas as câmaras monitoradas em uma sala de situação, com plantão 24 horas, com dispositivos de comunicações entre a população, comerciantes e a polícia militar.

    Nesse sistema, impossível de não saber onde residem esses infratores, se é que conseguirão chegar em tempo a algum lugar!

    ResponderExcluir