Banner 1

Banner 1

domingo, 29 de maio de 2016

Meia-entrada volta a ser problema em festas agropecuárias. Agora em Arraias (TO)


"Caro Dinomar, sou o professor Manoel Aragão e gostaria de saber uma informação mais apurada e fundamentada em relação a chamada "Meia entrada".

Pois fui à pecuária de Arraias nesta semana e voltei decepcionado com o descaso e falta de informação a esse respeito. 

As pessoas tinham que esperar vender uma quantidade X de ingressos integral para depois comprar a tal "meia entrada". 

Muita gente gente não entrou na festa, seja por falta de dinheiro, seja por revolta, pois tinha a carteirinha de estudante ou outra que garante o mesmo direito, no entanto, não conseguiam usufruir do direto. 

O que o senhor sabe sobre isso? Até briga na entrada teve e ninguém responsável pelo Sindicato apareceu pra dar satisfação."

Comentário deste blogueiro

Já passa da hora dos organizadores de festas, em toda a região de Goiás e Tocantins, serem mais transparentes e dialogar mais com a comunidade. 

Esse não é um problema ocorrido apenas em Arraias. Em Campos Belos, Posse, Combinado, tudo se repete e as pessoas voltam para casa revoltadas e indignadas. 

Desde 2013 há uma nova lei regulamentando a meia-entrada: A Lei Federal 12.933/2013. 

Pela nova lei, em todo evento, ao menos 40% do total de ingressos ficam assegurados à meia-entrada. 

Ou seja, de 100 ingressos, 40 são da meia-entrada. O ocorre que quando que tem direito vai adquirir os ingressos, os organizadores seguram e não colocam à venda. 

Acho que esperam que se venda todos os tíquetes disponíveis, para só depois apurar a quantidade do que poder colocado à venda como meia-entrada. Isso é um verdadeiro absurdo. 

O certo é se o local cabe dez mil pessoas, quatro mil já garantido aos que faz jus e pronto. 

Creio que se os organizadores não querem ser corretos, não querem dialogar e explicar o formato com a comunidade, merece apenas a reprimenda da lei. 

Aí é que o bico pega, pois os órgãos públicos, principalmente o Ministério Público, do segmento defesa do consumidor, tem falhado e feio. 

É hora da comunidade de Arraias e das demais cobrar do Ministério Público da Comarca, ao menos, um Termo de Ajuste de Conduta, formulado com essas empresas de eventos, para garantir, como manda a lei, o direito da meia-entrada. 

Leia a Lei da Meia-Entrada

2 comentários:

  1. Dinomar dê uma olhada no que aconteceu em Goiânia. O problema e que o nosso nordeste é esquecido e não tem se quer postos do PROCON. Ficaremos atentos com a pecuária de Campos Belos. Ficaremos de olho quanto aos próximos eventos. http://www4.goiania.go.gov.br/portal/pagina/?pagina=noticias&s=1&tt=not&cd=10369&fn=true

    ResponderExcluir
  2. Também perdemos o nosso direito de ir e vir, pois depois que entramos não podiamos mais sair, tive que buscar uma jaqueta no carro, mas eu não podia sair porquê se sairmos não podiamos mais entra sem pagar entrada denovo.

    ResponderExcluir