Banner 1

sábado, 28 de maio de 2016

Comando de Operações de Divisas (COD) terá seis novas bases no Estado até fim do ano



Até o fim deste ano a atuação do Comando de Operações de Divisas (COD), da Polícia Militar, será ampliada em Goiás com a instalação de seis novas bases operacionais nos municípios de Catalão, Luziânia, Uruaçu, Minaçu, Niquelândia e São Simão. 

Serão ao todo 21, considerando as 15 já existentes. 

A notícia é resultado do trabalho expressivo realizado pela força especializada de segurança responsável pela fiscalização nas divisas do território goiano com outros estados, com foco na repressão ao tráfico de armas e drogas e ao contrabando. 

Em quatro anos de existência, completados no último dia 20 de abril, o COD alcançou 31.341 toneladas de drogas apreendidas, vistorias em mais de 153 mil veículos e mais de R$ 10 milhões em mercadorias contrabandeadas (entrada ilegal no País) ou descaminho (sonegação fiscal). 

Neste período, foram registradas 597 ocorrências que resultaram na prisão de mais de 700 pessoas, entre elas 97 foragidas da Justiça, e também na retenção de 112 armas.

Por questões estratégicas de segurança, o comandante do COD, tenente-coronel Márcio Vicente da Silva, não pode divulgar o quantitativo do efetivo mas garante ser o suficiente para fazer o policiamento específico. 

Haverá reforço em breve. “Nós temos policiais sendo formados na Academia da Polícia Militar neste momento e assim que se formarem, deverão fazer o curso do COD e aí sim integrar a nossa tropa”, informa. A previsão de ingresso é para o mês de setembro.

“O combate ao crime nas divisas do Estado está sendo intensificado cumprindo  determinação do secretário de Segurança Pública, José Eliton, bem como do comandante-geral, coronel Divino Alves. 

O COD, por ser uma tropa especializada, tem contribuído e muito com as cidades que fazem divisa com outros estados combatendo qualquer modalidade criminosa. 

Essa unidade foi criada para combater principalmente o tráfico de armas, de drogas, roubo de cargas, a instituições bancárias, contrabando, descaminho, entre outros”, detalha.

Vicente frisa que a instalação de novas bases será possível após a aquisição de novas viaturas e equipamentos. 

Temos essa preocupação, é um programa de governo que tem dado certo para combater o crime na entrada. O objetivo é diminuir o crime no perímetro urbano.

Rota do tráfico

Pela localização geográfica no Centro-Oeste do Brasil, Goiás tornou-se rota do tráfico de drogas. Grande quantidade dos carregamentos vem do Paraguai, passa pelo Mato Grosso do Sul e ingressa no território goiano pela Região Sudoeste, onde há uma confluência de rodovias. 

Segundo o comandante Vicente, são realizadas apreensões significativas que chegam a duas, três toneladas, principalmente de maconha.

Para reprimir a atuação dessas organizações criminosas são realizadas parcerias com as polícias Civil e Federal. 

Ele diz também que o trabalho vai além da simples repressão e conta com o serviço de inteligência que será intensificado. 

“Não fazemos apenas abordagens, temos também estudos de inteligência e monitoramento dessas quadrilhas para que tenhamos mais sucesso nas nossas ações. Estamos reforçando o serviço de inteligência para estarmos preparados para intervir diretamente”, diz.

Vicente finaliza dizendo que os integrantes do COD são altamente qualificados e profissionais, tendo saído de tropas que utilizam táticas de policiamento ostensivo como as Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro), Batalhão de Choque e Cavalaria. 

Atualmente, 15 bases do COD estão instaladas em diversas regiões de Goiás nas cidades de Aporé, Britânia, Cabeceiras, Cachoeira Alta, Campos Belos, Chapadão do Céu, Corumbaíba, Goiânia, Itumbiara, Jataí, Lagoa Santa, Piranhas, Porangatu, Posse e São Miguel do Araguaia.

Nenhum comentário: