Banner 1

Banner 1

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Vistoria da Defensoria Pública na cadeia de Arraias (TO) detecta violações aos Direitos Humanos





No último dia 4, o Núcleo Especializado de Assistência e Defesa ao Preso, realizou inspeção na CPPA – Casa de Prisão Provisória de Arraias (TO) onde foram encontradas diversas irregularidades, principalmente em relação ao contrato da empresa que serve comidas aos presos.

“O que foi encontrado em Arraias superou todas as irregularidades encontradas em outras inspeções que o Nadep realizou. 

Foi desolador, afrontoso as regras mínimas da vigilância sanitária de qualquer lugar”, observa a coordenadora do Nadep, defensora pública Letícia Cristina Amorim Moura.

O relato da Defensora Pública diz respeito ao local responsável pela produção de alimentação dos presos. Segundo ela, a comida é feita em um bar adaptado, sem as mínimas condições de higiene. 

Enquanto são produzidas as refeições, galinhas e animais de estimação percorrem livremente o espaço. 

Além disso, os alimentos são armazenados de forma inadequada, sem prazo de validade, e as carnes vão para a refrigeração sem qualquer tipo de acondicionamento, já que a empresa ganhadora da licitação e responsável em todo o Estado por esse trabalho, terceirizou a atividade e sequer forneceu equipamentos, como freezer ou geladeiras e muito menos os gêneros alimentícios.

“As irregularidades são muitas e podem ser facilmente comprovadas, tanto pelo nosso relatório com fotos, como o depoimento dos profissionais que acompanharam a vistoria. 

Encontramos locais inadequados para lavagem dos utensílios domésticos – na verdade um taque de lavar roupas fora da casa e acima dele fica um balde onde se joga restos de comida que virarão alimentos para os porcos que também são criados no local. 

Talvez essas condições sejam as responsáveis pelas muitas reclamações e problemas de saúde enfrentados pelos detentos”, analisa a coordenadora do Nadep.

Ao longo dos últimos anos o Nadep tem realizado vistorias nas Unidades Prisionais, e entre as observações feitas, estão em relação a comida servida. Em quase todas foram encontradas irregularidades, como foi o caso de servir leite em embalagens de água sanitária, ou mesmo a comida em vasilhames inadequados

Atualmente a empresa Vogue é a responsável em fornecer alimentação em todo Estado, e já foi detectado que há subterceirização em vários locais, porém em alguns deles, são observadas as exigências do contrato como o fornecimento do cardápio, o acompanhamento do nutricionista, bem como todos os gêneros alimentícios que serão feitos para os presos e também os equipamentos para armazenar os alimentos, também foram feitas adaptações nos estabelecimentos para atender as questões de vigilância sanitária.

A Defensoria já está tomando as medidas administrativas cabíveis e irá comunicar oficialmente a Secretaria de Cidadania e Justiça e a empresa Vogue cobrando providências urgentes, vez que os presos estão em situação de extremo risco.

Fonte: DPE TO

10 comentários:

  1. Cadeia e lugar de pagar pelos crimes nao uma colonia ferias num quer ir pra la e so na fazer coisas erradas ..defensoria vai visitar lar dos idosos ,creches ,escolas publicas e aproveita e ve se o diretos dos professores n esta sendo violado e cobre dos administradores do dinheiro publico mais investimentos nessa area e seeeeeeeeeee sobrar ve melhoria pra preso

    ResponderExcluir
  2. FICO BESTA DE VER ESSE TIPO DE POSTAGEM. COLOCAM UM LADO E NEM QUEREM SABER DO OUTRO. A COMEÇAR DESSE BLOG. POIS BEM, DEIXA EU FALAR UMA COISINHA SÓ AQUI. NADA DO QUE FOI POSTADO AI NESSE BLOG É VERDADE. PRIMEIRO, OS PRESOS DA CADEIA DE ARRAIAS EM SEU CAFÉ DA MANHÃ TEM GRANDES VARIEDADES DE COMESTÍVEIS. A COMEÇAR DO CAFÉ DA MANHÃ QUE TODO DIA VARIA COM PÃES CASEIROS, BOLOS CASEIROS, CUCUZ E ALÉM DISSO AINDA É SERVIDO CAFÉ QUENTINHO NA GARRAFA TÉRMICA E LEITE DA MESMA FORMA. NO ALMOÇO É SERVIDO, ARROZ, FEIJÃO, GRANDE VARIEDADES DE CARNES COMO, BOVINA, SUÍNA, FRANGO E ATÉ PEIXE. A JANTA NUNCA É SERVIDA A MESMA CARNE QUE NO ALMOÇO, ALÉM DE SER SERVIDO TUDO EM MARMITAS FEITAS NA MESMA HORA E QUE CHEGAM NA CADEIA QUENTINHAS. ESSA SENHORA QUE SE DIZ DEFENSORA DOS PRESOS, DEVERIA BOTAR A MÃO NA CONSCIÊNCIA E PRESTAR MAIS ATENÇÃO NO QUE MANDA POSTAR EM UM BLOG E O PRÓPRIO BLOG MAIS AINDA DEVERIA SABER SE O QUE ELA OU AS PESSOAS QUE ALI CHEGAM COM SUAS DENÚNCIAS ESTÃO FALANDO A VERDADE. SEI QUE A CADEIA PÚBLICA DE ARRAIAS É CONSIDERADA PRINCIPALMENTE PELA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO TOCANTINS COMO TIDA UMA DAS MELHORES CADEIAS DO ESTADO SE NÃO FOR A MELHOR. FICO SURPRESO E ATÉ AGORA NÃO SEI DO PORQUÊ ESSA SENHORA (DEFENSORA PÚBLICA) DETECTOU ESSE TIPO QUE COLOCA COMO SE A CADEIA DE ARRAIAS FOSSE A PIOR DO ESTADO. MUITO ME ESPANTO COM ISSO PORQUE NUNCA VI NENHUMA IRREGULARIDADE NAQUELE LOCAL, HAJA VISTA CONHECER TODOS OS FUNCIONÁRIOS E ATÉ MESMO OS PRÓPRIOS PRESOS E NUNCA NINGUÉM RELATOU ALGO PARECIDO COMO AFIRMA ESSA SENHORA. FICO BOBO DE VER ISSO, A COMIDA É SERVIDA NÃO DE UM RESTAURANTE, NISSO ELA TÁ CERTA, MAS É SERVIDA MUITO MELHOR DO QUE DE UM RESTAURANTE, OU SEJA É UMA COMIDA CASEIRA E BEM MANEJADA, HAJA VISTA OS PRÓPRIOS AGENTES DA CADEIA COMEREM TODOS OS DIAS A MESMA COMIDA QUE É SERVIDA PARA OS PRESOS. DIANTE DE TODO EXPOSTO TENHO ABSOLUTA CERTEZA QUE A CADEIA PÚBLICA DE ARRAIAS PRESA PELOS PRESOS QUE ALI ESTÃO E TAMBÉM PELA SOCIEDADE DE ARRAIAS. QUE ESSA SENHORA REVEJA SEUS PENSAMENTOS, PORQUE O QUE DIZ NÃO CONDIZ COM A ATUAL SITUAÇÃO DA CPA. OBRIGADO.

    ResponderExcluir
  3. Tadinhos Defensora, leve-os para comer em sua casa.

    ResponderExcluir
  4. Ua desse jeito ai nas minhas ferias vo la p essa cadeia vou economizar comida de casa

    ResponderExcluir
  5. É realmente um absurdo essa preocupação toda da defensoria pública, não que eles, presidiários devam comer alimentos, vamos dizer assim, sem a mínima higiene no preparo, mas porque a população Arraiana comem carne sem no mínimo uma inspeção por parte da vigilância sanitária, deparamos com açougues sem a mínima condição higiênica, sem um abatedouro, inspeção dos órgãos da área e porque vocês " defensoria pública" não se atentam pra uma comunidade inteira? respondem-me, porque? Minha indignação.

    ResponderExcluir
  6. DEIXO CLARO NÃO SOU CONHECIDO DO PROPRIETÁRIO! CONHEÇO O AMBIENTE E SEI QUE POR MAIS QUE PRECISA SER RETOCADO PARA CUMPRIR AS EXIGÊNCIAS NECESSÁRIAS. LÁ É UM AMBIENTE MUITO BEM ENGIENIZADO E LIMPO. FICO EXTREMAMENTE INDIGNADO COM TAIS DECLARAÇÃO MENTIROSA E CALUNIOSA A RESPEITO DO AMBIENTE, TAIS COMO CHIQUEIRO DE PORCO, TANQUE USADO PARA LAVAR ROUPAS ETC.

    ResponderExcluir
  7. Não vi violação alguma.

    ResponderExcluir
  8. Sou moradora de Arraias -TO E essa informação e inverídica isso chama-se OFENSA AO PRINCÍPIO DA VERACIDADE,conheço como funciona o andamento da Cadeia de Arraias e posso afirmar que as refeiçoes servida aos detentos e de qualidade, ate mais que a qualidade da comida que e servida no hospital Regional de Arraias e no Asilo Sao vicente de Paula de Arraias, conheço o andamento dos três órgãos, E pergunto a Defensoria Publica, já procurou saber como esta o andamento desses órgãos? Se afirma que está ilegal já notificou a vigilância sanitária das esferas Municipais e Estaduais? pois se esta fora dos padrões e sinal que a vigilância sanitária não esta fazendo o que lhe compete, acho que tem muita coisa errada acontecendo no Município de Arraias que atinge a população a defensoria publica e outros órgãos competentes deveria esta mais atento a defesa da população de bem desse Município. Quanto o blogueiro fica a dica averígua as informações que lhe passada e ver o fundamento de cada uma, ainda que essas informações venha de órgãos judiciários. Ainda em tempo parabenizo a equipe da cadeia de Arraias pelo trabalho humanizado que faz apesar de esta lindando com vários tipos de pessoas de índole diferenciada.

    ResponderExcluir
  9. Eu me pergunto os direitos humanos forão visitar as casas das vítimas que esse marginais violentaram. Eles deveriam trabalhar para pagar as despesas que geram causados pelos seus atos covardes. Ainda nós trabalhadores temos que pagar.

    ResponderExcluir