Banner 1

Banner 1

sexta-feira, 11 de março de 2016

Setor de inseminação artificial caminha na contramão da crise e se expande


O mercado de inseminação artificial (IA) para bovinos caminha na contramão da crise e tem se expandido no Brasil. 

Nos últimos dez anos, o volume de comercialização de sêmen dobrou, atingindo 14 milhões de doses, e as empresas que atuam no setor espera crescer mais 14% em 2016.

A explicação para esse desempenho estaria no fato de que o pecuarista brasileiro, finalmente, estaria percebendo a necessidade por área. A opinião é do gerente de mercado da Alta Genetics, Tiago Carrara.

A empresa processa em média 12 mil doses de sêmen bovino por dia. A comercialização nacional chega a 480 mil doses mensais.

O volume de vendas poderia ser ainda maior, se não fosse a resistência que muitos pecuaristas ainda demostram a investir em tecnologia. Apenas 11% das vacas em condições de reprodução são inseminadas artificialmente no Brasil.

O criador de gado de leite Luiz Carlos Rodrigues, utiliza a técnica em seu rebanho de girolando há mais de uma década. Hoje, todo seu gado é fruto de inseminação artificial.

A produção de leite média por vaca passou no período de 12 litros para 27 litros diários. Mas algumas fêmeas que passam pelo processo de melhoramento genético chegam a produzir até 70 litros de leite por dia.

Rodrigues calcula que a inseminação representa menos de 1% do custo da propriedade. “Não dá pra não usar essa tecnologia. É muito clara a evolução genética quando você faz uso da inseminação artificial”, afirma o pecuarista.

Fonte: Canal Rural 

Nenhum comentário:

Postar um comentário