Banner 1

Banner 1

sábado, 5 de março de 2016

Moro repudia 'incitação à prática de violência' e contra a liberdade de expressão durante condução de Lula



O juiz federal Sérgio Moro declarou neste sábado, 5, que 'repudia, sem prejuízo da liberdade de expressão e de manifestação política, atos de violência de qualquer natureza, origem e direcionamento, bem como a incitação à prática de violência, ofensas ou ameaças a quem quer que seja, a investigados, a partidos políticos, a instituições constituídas ou a qualquer pessoa'.

A manifestação do juiz da Lava Jato, em nota oficial, ocorre um dia depois da deflagração da Operação Aletheia, que pegou o ex-presidente Lula e o levou para depor coercitivamente. 

Confira a nota na íntegra: 

A pedido do Ministério Público Federal, este juiz autorizou a realização de buscas e apreensões e condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento. 

Como consignado na decisão, essas medidas investigatórias visam apenas o esclarecimento da verdade e não significam antecipação de culpa do ex-presidente. 

Cuidados foram tomados para preservar, durante a diligência, a imagem do ex-presidente. 

Lamenta-se que as diligências tenham levado a pontuais confrontos em manifestação políticas inflamadas, com agressões a inocentes, exatamente o que se pretendia evitar. 

Repudia este julgador, sem prejuízo da liberdade de expressão e de manifestação política, atos de violência de qualquer natureza, origem e direcionamento, bem como a incitação à prática de violência, ofensas ou ameaças a quem quer que seja, a investigados, a partidos políticos, a instituições constituídas ou a qualquer pessoa. 

A democracia em uma sociedade livre reclama tolerância em relação a opiniões divergentes, respeito à lei e às instituições constituídas e compreensão em relação ao outro. Curitiba, 05 de março de 2016. 

SERGIO FERNANDO MORO 
Juiz Federal

4 comentários:

  1. O que esperava então o meritíssimo, se, de comum acordo com a mídia familiar golpista, determina condução coerctiva de quem não fora anteriormente intimado para depor. Portanto, não havia prévia intimação, muito menos negativa do investigado para não comparecer. Vejam a manifestação do ministro do STF Marco Aurélio sobre o absurdo perpetrado pelo juiz. Atitude absurda com objetivo de humilhar. Clara ofensa ao estado democrático de direito. Se um agente do Estado não o preserva, qualquer cidadão acha que pode agredir o direito de quem pensa diferente dele. A sabedoria popular diz que espalha vento, pode colher tempestades. Vamos repudiar o ódio que a grande mídia quer espalhar.

    ResponderExcluir
  2. Um espetáculo midiático sem precedentes. A intenção do ato foi mesmo denegrir a imagem do ex presidente Lula. Enquanto a bandidagem anda solta por ai, a Policia federal usa um efetivo desproporcional, parecia uma operação nos morros do Rio de Janeiro. O Aécio já foi citado na lavajato, um delator disse que FHC está envolvido em desvio de 100 milhões de dólares e, no entanto, não houve por parte do magistrado e do Janot, nenhuma providência para ouvir os acusados, A operação lavajato é política, infelizmente temos uma presidente medrosa e sem ação, deixando que se forme uma verdadeira mafia entre os poderes com o simples intuito de mancar a imagem do Lula pra que ele não seja eleito proximo presidente.





    ResponderExcluir
  3. Quanta desonestidade em 1 só comentário, Lula já tinha pedido para não ser ouvido pelo Mp Sp, oq o Juiz fez foi garantir que ele não fizesse o mesmo com o MP federal, francamente, tenham vergonha na cara!!

    ResponderExcluir
  4. GILBERTO AMORIM BELTRÃO6 de março de 2016 14:44

    FHC JÁ FOI AÉCIO AINDA NÃO O PROBLEMA É QUE LULA ROUBA DESCARADAMENTE, O POVO NÃO É BOBO E A MÍDIA VIVE DE NOTICIAS, INFELIZMENTE SÓ TEMOS MÁS, AS BOAS SÓ EM OUTROS MOMENTOS.

    ResponderExcluir