Banner 1

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Carnaval está mantido em Cavalcante (GO). Campanha nas redes sociais ajuda kalungas vítimas de enchente



Apesar dos estragos registrados após a chuva forte em Cavalcante (512 km de Goiânia), o carnaval de rua da cidade está mantido. 

O prefeito da cidade, João Neto (PTC) disse que cogitou a possibilidade de suspender os festejos, mas os comerciantes da cidade se organizaram para que a festa fosse mantida. 

“Eles argumentaram que já haviam feito compras dos produtos para serem vendidos e suspender a festa traria ainda mais prejuízos para nossa cidade.”

O prefeito Neto explica que as casas destruídas pela cheia do Rio da Prata na última semana ficam em áreas afastadas e, por isso, enfrenta dificuldades em levar apoio. 

Os produtores e organizadores dos artistas que farão shows na cidade durante esses dias de feriado nos trouxeram doações como colchões, camas e outros objetos e vamos levar para as vítimas. 

Queremos usar a festa para mobilizar mais pessoas a ajudarem essas famílias que perderam tudo que tinham. Muitas delas só saíram com a roupa do corpo.”

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para hoje e amanhã ainda é de chuva forte em áreas isoladas no município. Para segunda e terça-feira, a expectativa é que o sol predomine apesar de haver previsão de céu nublado à tarde. 

A defesa civil está na região monitorando possíveis novas enchentes e alagamentos. O problema começou com a cheia do Rio Prata nos últimos dias. Ele subiu 10 metros e atingiu as casas. 

Além dos estragos nas moradias, que ficavam a mais de 100 metros de distância da margem, pontes caíram. Uma delas liga a comunidade calunga de Vão das Almas ao município de Teresina de Goiás. 

Técnicos da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) farão estudos para reformas de pontes danificadas. As 24 casas que foram destruídas pela força da água deverão ser reconstruídas em mutirões que a prefeitura deverá organizar. 

Neto informa que o governo estadual deverá enviar cheques moradia para os afetados. Mesmo assim, o prefeito entende que as famílias desabrigadas precisarão de mais ajuda. “Era uma cena de guerra. 

Teve gente que perdeu tudo e a prefeitura não tem como arcar com os custos de comprar móveis para essas pessoas. Por isso contamos com a solidariedade de quem puder ajudar.” O prefeito de Cavalcante disse que essa foi a pior chuva na região registradas nos últimos 15 anos. 

Ao todo, 24 casas foram destruídas no povoado de Vale das Almas, uma comunidade calunga. Foi decretado estado de emergência no município. 

Uma das pontes levadas pela chuva ficava sobre o Rio dos Bois e deixou 270 famílias de uma comunidade calunga isoladas na região de Teresina de Goiás. 

Os desabrigados estão alojados nas casas de parentes e vizinhos. Eles estão sendo cadastrados para receberem doações e os benefícios para reconstrução das casas.

Redes sociais

Uma página no Facebook chamada ‘Campanha de Doações para Comunidade Kalunga’ recolhe doações para entregar aos moradores das cidades atingidas. Os organizadores recolhem alimentos, roupas e indicam contas bancárias para doações em dinheiro. 

As ações são realizadas em Goiânia e em Brasília. Equipes que possuem veículos 4x4 também se dispuseram a ir ao local entregar o que foi arrecadado. 

Os contatos para encaminhar as doações também estão disponíveis na página.

Fonte: O Popular

Nenhum comentário: