Banner 1

Banner 1

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Homem que matou padre é alvo de atentado em Campos Belos (GO). Ele levou quatro tiros na porta do presídio




A violência em Campos Belos, nordeste de Goiás, não dá trégua. 

Hoje, em mais uma embosca, disparos de ao menos sete tiros assustaram a comunidade, principalmente os moradores da Rua Sete de Setembro.

Era por volta das seis horas da manhã desta sexta-feira (15), quando o detento Fagner dos Santos Lopes, 31 anos, assassino confesso do Padre Rubens Almeida Gonçalves, saía da unidade prisional de Campos Belos, no centro da cidade, quando foi alvo de um atentado contra a sua vida. 

Um homem, que estava de espreita na saída da cadeia, nem ao menos esperou o detento sair do portão do presídio e disparou diversas vezes contra ele.

O detento caiu entre a calçada do portão e um veículo preto que estava estacionado na porta da cadeia pública municipal.

Fagner Lopes levou quatro tiros, um deles no pescoço; foi socorrido ao hospital municipal e depois transferido para um hospital de Brasília. 

Enfermeiros do hospital disseram que antes da transferência, seu estado de saúde era estável e falava com os médicos.

Ele foi condenado pela justiça criminal a 19 anos de reclusão, em regime fechado, por ter assassinado friamente e por motivo fútil, o pároco de Campos Belos, Padre Rubens Almeida Gonçalves, em 2010.

Há cerca de um mês, o detento recebeu o benefício da progressão da pena, após cinco anos preso, e passou a cumprir a pena em regime semi aberto, com autorização para trabalhar fora e voltar para pernoitar na cadeia.  

A polícia já investiga o caso. 

Câmeras de segurança, instaladas na frente do presídio e em um estabelecimento comercial próximo, indicaram que uma segunda pessoa, a bordo de uma motocicleta, deu apoio ao homem que fez os disparos. 

Segundo uma fonte oficial, o veículo que deu guarida ao criminoso ficou estacionado ao lado de um casa que comercializa carnes, na Rua Temístocles Rocha, que cruza a Sete de Setembro.  

Os dois possíveis autores da tentativa de homicídio estão foragidos e a polícia investiga o caso. 

Assassinato do Padre causou comoção no estado de Goiás

O padre Rubens, de 35 anos à época, foi assassinado no dia 21 de maio de 2010, após uma discussão em torno do aluguel de um salão paroquial e causou uma enorme comoção, não apenas na cidade, como em todo o estado de Goiás e Tocantins.  

Ele foi atingido a queima roupa e com um tiro na cabeça. Chegou a ser socorrido no avião do então senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que estava na cidade no momento do crime. 

Já Publicamos

Mataram o Padre de Campos Belos




5 comentários:

  1. É temerosa a situação da segurança pública em Campos Belos,o ano terminou e o outro começou violentamente, assassinatos em horários cuja população está na rua, vunerável, em vias públicas. Estamos a mercê de ser vítima direta de uma ação criminosa, reféns em nossas residências e não há moção dos órgãos competentes, um alarde da polícia correndo pelas vias da cidade. Mas sem sucesso, sem informação para população.

    ResponderExcluir
  2. Os moradores de bem, não precisam se preocupar. Quem está sofrendo atentados são pessoas envolvidas com o tráfico e os assassinos. Não que sou de acordo com a violência pq de qualquer forma a cidade que fica como violenta mas quem procura acha.E outra a polícia está trabalhando sim.Agora querer que a polícia faça um milagre aí é complicado até pq ninguém sabe quem está por trás disso.Sinto pelas famílias mas elas bem sabem em que ninho de cobrasse seus filhos estão enfiados . Infelizmente as drogas é praticamente um caminho sem volta.E isso acontece em todos os lugares.A gente não cansa de ver isso na TV.Quem tem seus filhos e perceber que está nesse mundo ou vc vai embora pra bem longe ou vai ter que infelizmente conviver com o medo.Isso é tudo consequência das drogas e polícia nenhuma dá conta de conter isso . Infelizmente.

    ResponderExcluir
  3. Qual trabalhador sem envolvimento com crime foi executado ou alvo de tentativa de homicídio? Cada um escolhe o que faz de sua vida e é obrigado a aguentar as consequências. Cuidemos de nossas condutas sociais e da educação dos nossos filhos.

    ResponderExcluir
  4. Se esse elemento estivesse preso, não aconteceria isso. Está com dó dele, leva para casa....

    ResponderExcluir
  5. A segurança publica passa por um momento muito delicado, mas enquanto a sociedade não ir para ruas proclamar para que aja uma mudança no sistema prisional principalmente na cadeia publica de campos belos, com um prédio novo, uma estrutura física mais eficiente, nos vamos ficar a merce da fragilidade na qual se encontra o sistema prisional, alias isso de sociedade ir as ruas não deveria nem acontecer porque é obrigação do estado fazer os devidos investimentos no sistema prisional, logicamente com auxilio da união e município. Com baixo efetivo, condições precárias, falta de estrutura humana e material, superlotação, prédios antigos como se encontra o de campos belos é logico que não poderia acontecer outra coisa. É muito fácil jogar uma arma do lado de lá do muro pela fragilidade que se encontra o prédio, é muito fácil introduzir drogas pela falta de aparelhamento, isso é questão de logica um prédio que está para cair aos pedaços, com uma segurança frágil não por culpa do servidor, mas sim por culpa daqueles que não fazem os devidos investimentos, contratando pessoal e investindo em amamentos no minimo. Basta olhar que logo percebe-se que a uma fragilidade muito grande, até mesmo porque se não houvesse esse dois meliantes não teriam tentado introduzi esses materiais ilícitos para o lado de dentro. Sistema prisional também é segurança publica, com essa falta de investimento na estrutura física, alem de prejudicar a sociedade reflete diretamente no reeducando onde não terá a menor chance de recuperar. Então proclamo aos campos-belense que procurem as autoridades, o ministério publico, juiz da execução, conselho da comunidade, vereadores, prefeito seja quem for para que haja um dialogo e que seja tomada medidas em relação ao presidio de campos belos, porque o sistema prisional não tem voz, alias nem é considerado na constituição federal como órgão de segurança publica é subordinado a alguém, então vá as ruas cobrar porque oque está acontecendo no sistema prisional é muito serio e isso acaba refletindo no trabalho da policia e na sociedade, sugiro aos moradores das proximidades e toda comunidade que apelem as autoridades para que seja tomada as medidas cabíveis para que aja mais tranquilidade ao cidadães de bem e toda sociedade campos-belense.

    ResponderExcluir