Banner 1

Banner 1

domingo, 10 de janeiro de 2016

Escola Estadual de Arraias (TO) não tem permissão para matricular estudantes e preocupa pais e professores


Por Carlos Alencar,

De acordo com uma servidora da Escola Estadual Brigadeiro Felipe, escola destaque no Tocantins até bem pouco tempo, as matrículas para o próximo ano ainda não foram autorizadas pelo departamento responsável na Secretaria de Educação de Palmas (TO). 

De acordo com a servidora, o pior não é a falta da autorização, mas sim a falta de informações.

Segundo ela, em sua rede social, não há qualquer informação por parte da Diretoria Regional de Educação de Arraias, sudeste do Tocantins, sobre a não autorização. 

Isso está preocupando funcionários e pais que estão procurando a escola para renovar as matrículas dos seus filhos em vão.

"Ontem recebi uma notícia que me desanimou um pouco mais com relação ao Estado do Tocantins, meu empregador. As matrículas da Escola Estadual Brigadeiro Felipe não foram autorizadas pelo SGE, parte da SEDUC que cuida das matrículas e todo trâmite da vida escolar do aluno (matrícula, notas, transferências etc). 

O que nos foi informado é que Palmas não autorizou e que a DRE não sabe porquê. 

Em Palmas dizem que vão ceder o prédio para prefeitura. Certo é que nem a comunidade, nem nós funcionário não sabemos o que está acontecendo, pais chegam à escola pra renovar a matrícula de seu filho ou para se informar sobre qdo devem fazê lo e não tem uma informação precisa, pois a própria escola não sabe o que está acontecendo direito. 

E nós funcionários? Pra onde voltaremos mês que vem? O que vai acontecer? É angustiante não saber o que está acontecendo. Saímos de recesso e qdo voltamos não temos mais nossas aulas, alguns o emprego (contratados)? Como assim?".

A servidora também cobra explicações do Secretário Estadual de Educação: "Professor Adão Francisco de Oliveira, o que tá acontecendo? Precisamos de informação para nos tranquilizarmos ou não. 

Sintet Tocantins, Helcio Coelho, se informe qual é a nossa situação, por favor".

Fonte: A1 Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário