Banner 1

Banner 1

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Delator da Lava-Jato é expulso de restaurante em Angra dos Reis; veja vídeo



O lobista Júlio Camargo, um dos delatores da Operação Lava-Jato, que apura desvios de recursos da Petrobras, foi hostilizado e expulso de um restaurante em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, nesse fim de semana. 

Na rede social whatsapp, enganosamente, o vídeo circula como se o ofendido fosse um dos filhos do ex-presidente Lula. 

O ex-consultor da Toyo Setal estava no local com a família, quando a discussão começou. No vídeo, Camargo é xingado de "corrupto", "vagabundo" e "pilantra" Um dos presentes sugeriu aos gritos que o lobista colocasse tornozeleira eletrônica. 

Outro disse que Camargo "não tem capacidade de ganhar dinheiro honesto". Irritado, o lobista chegou a empurrar um dos clientes do restaurante antes de deixar o local.

Em agosto do ano passado, o delator recebeu pena de 14 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção. Mas, em razão de sua colaboração para desvendar o esquema de corrupção na Petrobras, teve a pena reduzida pelo juiz Sérgio Moro a cinco anos de prisão e substituída pela prestação de serviços comunitários semanais de 30 horas. 

Foi Júlio Camargo quem revelou, nesta mesma ação, que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cobrou US$ 5 milhões para viabilizar o contrato dos navios-sonda com a Petrobras.

Na sentença, o juiz da Lava-Jato considerou que a colaboração de Camargo foi “importantíssima” para a investigação do escândalo. 

Para Moro, ficou comprovada a movimentação de fluxo financeiro no exterior de valores da empresa Samsung, contratada pela Petrobras para fornecimento dos navios-sondas, para Júlio Camargo, que repassou parte do dinheiro para Fernando Baiano e Nestor Cerveró.

Com informações do Estado de Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário