Banner 1

sábado, 30 de janeiro de 2016

A carreira de João D’Abreu começou como prefeito de Arraias (GO) e foi governador de Goiás

Colégio em Dianópolis (TO)
Por Walter Menezes, 

A carreira política de João D’Abreu começou como intendente Municipal (hoje prefeito) de Arraias (1911), seu primeiro cargo eletivo, foi todo ele um crescente de conquistas à medida que o eleitorado que soube conquistar, conduzir e conservar, não o decepcionava, sufragando-lhe o nome em três pleitos Federais consecutivos, além de mandatos estaduais e municipais, até a conquista do cargo de vice-governador, por votação direta. 

Na época, ele foi indicado por todos os partidos políticos militares no Estado e considerou a sua candidatura e eleição como uma maneira de continuar o seu trabalho em prol da sua gente e da sua região.

Em discurso de posse do cargo, disse: “Seremos de agora em diante, o vice-governador e a bancada nortense um só bloco, um organismo, uma força viva e coesa em torno das reivindicações de nossa gente… Nossa bandeira é o Norte – nossa luta só tem um sentido: torna-lo melhor, transformá-lo de região subdesenvolvida e carente de tudo num centro produtor em um núcleo irradiador de progresso e de civilização.”

Já na Assembleia Legislativa de Goiás em 1936, como Constituinte teve atuação meramente não só como parlamentar dinâmico e operoso, mas como vice-presidente da Casa. A agitada sessão de destituição do Presidente do Poder Legislativo, na cidade de Goiás, em 1936 e, posteriormente, a mudança do Órgão para a nova capital, Goiânia, marcaram positivamente, o seu mandato de deputado.

Aquele episódio foi descrito, com muita propriedade, pelo acadêmico Jaime Câmara em sua consagrada obra – Os Tempos de Mudanças convertendo-se aquela memorável sessão de 29-09-36, em marco consolidador de Goiânia e confirmando a sua autêntica liderança no meio parlamentar. Dirigindo o Poder Legislativo soube conduzi-lo com segurança, realizando um trabalho fecundo e profícuo. 

Coube a ele, na qualidade de presidente, transferi-lo para a nova Capital, conseguindo instalá-lo em prédio próprio construindo em prazo recorde de 60 dias, à Avenida Tocantins, esquina da Rua 12, centro, onde hoje funciona a Loteria do Estado de Goiás. 

A primeira reunião, da 3ª sessão ordinária da 1ª Legislatura da Assembleia Legislativa, realizou-se na nova Capital, no dia 15 de Abril de 1937, presidida pelo deputado João D’Abreu.

Investido das funções de presidente do Poder Legislativo, como tal, substituiu o governador Pedro Ludovico Teixeira que se deslocaram para o Rio de Janeiro, onde permanecida por algum tempo, tratando de assuntos do Estado, em agosto de 1938. Os atos oficiais praticados pelo governador em exercício, deputado João D’Abreu, se restringiram ao expediente de rotina.

Com o fim do Estado Novo regime de exceção comandado por Vargas, retornou o país a pleno regime democrático, constituindo-se os três poderes da República. 

Eleições à vista, novamente o eleitorado nortense foi conclamado a comparecer às urnas em defesa do nome de João D’Abreu. 

E certamente, os eleitores do norte não o decepcionaram, elegeu-se deputado à Constituinte Federal de 1946, com expressiva votação e, por mais duas vezes, em pleitos consecutivos dentre as ações desenvolvidas por ele, no Congresso Nacional, destacam-se:

1 – A permanência na nova Constituição, de um mandamento autorizativo da transferência da Capital Federal para o Planalto Goiano e, em cuja Comissão de mudança da Capital, como membro nato, bateu-se ardorosamente pela causa, oferecendo emenda para fixação dos prazos e que aprovada, fixação, passou a figurar no art. 4º da 3ª Constituição brasileira.

2 – Membro da Comunicação de Valorização da Amazônia batalhou pela criação do Banco da Amazônia e a implantação de suas agências em Goiás.

3 – Defensor ardoroso da inclusão, na Constituição, de um órgão permanente, encarregado de trazer os benefícios do Plano de valorização da Amazônia até o paralelo 13, conseguiu ver realizado seus esforços com a criação da SPVEA.

O então deputado Siqueira Campos, hoje governador do Estado do Tocantins pela segunda vez, discursando em homenagem póstuma a João D’Abreu, na sessão do Congresso, nos 13 de setembro de 1977, em Brasília, ressaltava a liberdade dele, assim: “Sua atuação parlamentar ficou marcada indelevelmente pela obstinada luta em prol da interiorização da Capital do Brasil…” 

Naquela sessão discursou, também, deputado Iturival Nascimento do MDB goiano, recebendo apartes de colegas de outros estados que eles se associaram nesta justa homenagem. Juntamente com Jalles Machado de Siqueira, Alfredo Nasser, Wagner Estelita Campos e Benedito Vaz, um dos baluartes da transferência da Capital para Brasília. E igualmente um dos pioneiros do Tocantins.

Fonte: Diário da Manhã 
(Walter Menezes, ex-presidente, conselheiro permanente da Associação Goiana de Imprensa e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

Nenhum comentário: