domingo, 31 de janeiro de 2016

Selvageria: após discussão por ciúmes, pai mata a própria filha de 10 meses a facadas, em Araguaína (TO)




Um homem foi preso suspeito de matar a própria filha, a pequena Larissa Monoela Carlos de Sousa, de apenas 10 meses, com golpes de faca. Ele foi preso na manhã deste domingo (31/01). 

O crime bárbaro aconteceu na Vila Pai Eterno, na zona rural de Araguaína (TO), na região norte do Estado. O caso chocou a população.

Segundo a Polícia Militar, Leonardo Oliveira de Sousa, de 23 anos, estava em um bar com sua companheira, a mãe da criança, juntamente com a filha que dormia em um carrinho de bebê. 

Por volta das 2h30 da madrugada, a mãe, de 20 anos, teria se afastado do carrinho e começou a dançar com as amigas.

Nesse momento, Leonardo ficou enciumado e começou uma discussão. Em seguida começou a desferir golpes de faca no carrinho onde a própria filha dormia. Um golpe atravessou o tecido do carrinho e atingiu o pescoço e a cabeça da criança.

A criança chegou a ser socorrida e levada ao hospital, mas morreu no caminho. Depois do crime, o pai da criança fugiu do local. 

Militares fizeram buscas e o encontraram na própria casa dormindo. Ele foi preso e autuado por homicídio qualificado, quando há intenção de matar.

Segundo o IML de Araguaína, o corpo da bebê foi liberado para a família por volta das 7h30 da manhã deste domingo e levado para o local onde morava.  A perícia constatou que a faca cravou o crânio da criança, causando assim a morte. 

(As informações são do site Araguaína Notícias)

Peixes mortos voltam a ser encontrados no Rio Bezerra, entre Campos Belos (GO) e Arraias (TO)






A mineradora Itafós/MBac fechou as portas a quase seis meses. 

Mas o impacto ambiental negativo de se construir uma barragem no leito do rio bezerra, entre Campos Belos, nordeste de Goiás, e Arraias, sudeste do Tocantins, continua a produzir seus estragos, como já publicamos diversas vezes aqui no Blog. 

A suspeita é de moradores ribeirinhas, que nesta semana, logo após as altas cheias, voltaram a encontrar peixes mortos nas margens do rio Bezerra e uma fedentina insuportável.  

Se até os peixes estão morrendo, imagine o dano para a saúde das pessoas e dos animais que consomem e dependem dessa água para sobreviver? 

É hora da agência ambiental do Tocantins voltar à região e medir os impactos e a possível contaminação do rio por metais pesados. 

Até hoje não consigo compreender como o governo do Tocantins e as agências ambientais conseguiram expedir licenças para que a empresa Itafós/MBac construísse uma barragem de lavagem de minério dentro do leito de um rio, considerado um dos mais importantes da região.

Mas depois da operação Lava Jato, não podemos duvidar de mais nada. 

Veja o vídeo que moradores da região fizeram e que traz para os nossos leitores e para os inertes órgãos de fiscalização ambiental de Goiás e do Tocantins e até para o Ibama, o drama do rio bezerra, bem debaixo das nossas barbas. 


Povoado Porteiras, em Divinópolis de Goiás, pede socorro. Agora querem acabar com o Colégio Arthur Araujo Guimarães



"Boa noite Dinomar Miranda,

Venho através desta lhe informar o absurdo que o prefeito de Divinópolis de Goiás está fazendo com os estudantes e com seus pais do povoado porteiras.

A prefeitura está querendo fechar o Colégio Arthur Araujo Guimarães e com isso, se os alunos quiserem estudar,  terão que ir para Divinópolis, a 23 km de distância. 

 E quem não tem condição financeira para o transporte, o que farão?

o prefeito parece que está mesmo querendo para acabar mesmo com o povoado, pois quando assumiu a prefeitura tinha um ônibus que levava os alunos do ensino médio todos os dias para Divinópolis.

A primeira coisa que ele fez foi retirar o ônibus e co, isso vários alunos pararam de estudar. Os pais não tinham lugar e nem condição de ficar em Divinópolis.

Realmente um absurdo. O povoado tem poucos habitantes e uns dez são funcionários e terão que ir  todos para a cidade e se forem perderão o emprego. 

Onde estão os vereadores do município? vão deixar o prefeito fazer isso mesmo?  Cadê o senhor vereador Dinei Serrano, que dizia ser o representante do povoado? 

Será que é representante só para obter voto? Acorda morador do povoado Porteiras e de Divinópolis de Goiás!

Vamos acabar com essa ditadura, chega dessas mesmices, Divinópolis está regredindo.

Não estamos pedindo para criar nada, apenas para manter o que já existe e não acabar com tudo que estava funcionando e estava dando certo. 

Temos que colocar para funcionar o ginásio de esportes, a rodoviária, o tao prometido vapt vupt,e outros vários serviços públicos que agora já existe mais. 

PS.: Gostaria de não ser identificado 

Lixão de São Domingos (GO) coloca em perigo a saúde da comunidade



É muito grave a situação do lixão na cidade de São Domingos, nordeste de Goiás. O local já foi interditado diversas vezes, a pedido do Ministério Público, e continua funcionado.

Funcionando não é a melhor expressão. Continua servindo de depósito, sem qualquer controle e cuidado para todo e qualquer tipo de lixo produzido pela comunidade.

O Poder Público municipal, que passa por uma crise política infindável, não consegue tomar qualquer iniciativa, a não ser, com muita reclamação, a recolha dos resíduos produzidos pelas famílias e pelo comércio e depositados na ruas.

O fato é que o lixão de São Domingos, totalmente fora dos padrões legais, é um criador de larvas do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue e do zika virus; um produtor descontrolado de chorume (salmoura do lixo) que contamina o lençol freático, córregos e nascentes.

Um verdadeiro crime ambiental e um acinte contra a saúde pública. No fundo, e todos sabem, os principais prejudicados são os próprios moradores de São Domingos.


Grupo explode cofres e destrói parte de duas agências bancárias em São Desidério (BA)





Um grupo de homens fortemente armados destruiu parte de duas agências bancárias no município de São Desidério, na região oeste da Bahia, durante a madrugada deste domingo (31).

Segundo informações da delegacia da cidade, os criminosos explodiram os cofres das agências e fugiram com o dinheiro roubado.

Ainda de acordo com a polícia, a ação envolveu mais de 15 homens, que se dividiram em três grupos, um para cada agência, e outro que ficou espalhado pelas ruas da cidade, disparando tiros para acuar a polícia e a população.

Ninguém ficou ferido durante o ataque a cidade.

Depois das explosões, o grupo fugiu a bordo de duas caminhonetes. A Polícia Militar (PM) realizava rondas em busca dos bandidos, mas até por volta das 8h16 deste domingo, ninguém havia sido preso. 

A polícia não soube informar a quantia roubada.

Fonte: G1

sábado, 30 de janeiro de 2016

Nove Policiais Civis de Goiás envolvidos com Carlinhos Cachoeira são demitidos

Hylo Marques Pereira é um dos delegados demitidos (Foto: Divulgação)
Investigados pela Polícia Federal por suspeita de envolvimento com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, oito delegados e um agente da Polícia Civil de Goiás foram demitidos nesta sexta-feira (29/01). 

Em dezembro de 2013, um delegado da Polícia Federal também foi exonerado após ser acusado de repassar informações sigilosas ao contraventor.

Desencadeada em fevereiro de 2012, a Operação Monte Carlo apurou que vários agentes da segurança pública estariam facilitando as ações de Carlos Cachoeira, acusado de comandar um grande esquema de exploração de máquinas de jogos de azar em Goiás e no Distrito Federal. 

A operação teve resquícios até mesmo no Congresso Nacional, onde o então Senador Goiano Demóstenes Torres, flagrado em ligações em que prometia benefícios para Cachoeira, teve seu mandato cassado em 11 de julho do mesmo ano.

Em dezembro de 2013, o então Ministro da Justiça Eduardo Cardoso demitiu o Delegado da Polícia Federal Deuselino Valadares dos Santos, que era chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros da Superintendência da PF em Goiânia. 

Além de manter uma empresa de segurança junto com Carlos Cachoeira, Deuselino foi acusado de informar com antecedência ao contraventor sobre as operações policiais que combateriam os jogos de azar em Goiás e também no Distrito Federal.

As acusações do repasse de informações privilegiadas e de permissões para que o contraventor pudesse atuar tranquilamente em algumas cidades também fez com que oito delegados e um agente da Polícia Civil de Goiás fossem indiciados e investigados tanto pela PF quanto pela Corregedoria da Corporação. 

Com a conclusão das investigações feitas pela Corregedoria da PC, os delegados Marcelo Zegaib Mauad, Niteu Chaves Júnior, José Luiz Martins de Araújo, Juracy José Pereira, Hylo Marques Pereira, Rosivaldo Linhares Rosa, Leandro Fonseca Pinheiro Fonseca Pereira e André Soares Veloso, e o agente Tony Batista Santos de Oliveira acabaram demitidos em uma portaria assinada na última terça-feira (26/01) pelo Secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária Joaquim Mesquita, e publicada no Diário Oficial desta sexta-feira.

Em nota enviada à imprensa, a Assessoria de Comunicação Social da Polícia Civil de Goiás afirma a demissão foi sugerida ao secretário pela própria Corregedoria, que comprovou envolvimento dos nove policiais com Carlinhos Cachoeira. 

A nota diz ainda que o agente e seis dos delegados demitidos já estavam afastados dos cargos, e somente dois ainda atuavam como plantonistas, um em Aparecida de Goiânia, e o outro na Capital.

Fonte e texto: Mais Goiás

Lindão: polícia prende, em Planaltina (GO), um dos maiores traficantes do Rio de Janeiro



Uma operação conjunta da Polícia Civil do DF, da Polícia Civil de Goiás e da Polícia Civil do Rio de Janeiro, prendeu, nesta sexta-feira (29), em Planaltina de Goias, um dos maiores traficantes do Estado do Rio de Janeiro.

Conhecido como "Lindão", o traficante comandava parte do tráfico na favela do Jacarezinho, na capital carioca.

Procurado pela polícia daquele estado, há mais de um ano ele se escondia em Planaltina, onde pretendia estabelecer no seu "comercio".

Falta ônibus escolar em São Domingos (GO). Estudantes começam 2016 no prejuízo



"Dinomar,  finalizamos a segunda semana de aula do ano 2016 e o transporte escolar que atende a zona rural ainda não rodou.

Os alunos que dependem do transporte oriundo de São Vicente que cursam o ensino médio em São Domingos e da  fazenda Boa Vista, que estudam em São Vicente ainda não tiveram o prazer de vir a escola no corrente ano."

O que tem a dizer a prefeitura de São Domingos (GO)?

De Taguatinga e Arraias (TO): jornalista, advogado e escritor João D'Abreu entrou para a história de Goiás



Por Walter Menezes,

Ainda sobre a publicação do livro Uma Luz na História, da escritora Nina Tubino, voltamos à sequência do mencionar nomes de goianos olvidados na obra, se bem que isso não tira os méritos do hercúleo trabalho da escritora gaúcha, brasiliense de coração.

Já citamos vários nomes nesse espaço, mas outros nomes advirão. Hoje apresentamos a síntese biográfica do deputado João D’Abreu, autor do épico discurso Nova Capital para o Brasil, proferido na Assembleia Constituinte de 1946.

Destaque-se o fato que o deputado João D’Abreu, nascido em Taguatinga e forjado prócer político em Arraias, foi membro Sindicato dos Jornalistas do Rio de janeiro e também da Associação Goiana de Imprensa.

Sua amizade com Jaime Câmara foi muito acentuada. Registra-se que havia fundado um periódico em Arraias, “A Bigorna”, antes de atuar como deputado em Villa Boa.

Alguns leitores, em contato com a editoria do DM, manifestaram desejo de saber mais sobre o deputado joão D’Abreu. Daí porque publicamos a sua biografia do livro da escritora Maria Cavalcante Mertinelli, de saudosa memória.


Fonte: Diário da Manhã 
(Walter Menezes, ex-presidente, conselheiro permanente da Associação Goiana de Imprensa e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

João de Abreu, a saga de um líder goiano e tocantinense. Fundou o jornal A Bigorna, de Arraias (GO)

Goiânia (GO) - Praça do Botafogo, 1936 Reprodução/Facebook 

Por Walter Menezes, 

Fragmentos do artigo escrito no Jornal do Tocantins – 30 de junho a 1º de julho de 1995 pela biografa de João d’Abreu: Maria Cavalcante Martinelli.

Ex-governador de Goiás de 9 de agosto a 9 de setembro de 1937, nascido em 4 de julho de 1888, João d’Abreu, líder político tocantinense que é citado pela Enciclopédia Delta Larousse, completaria, agora, 97 anos se não tivesse falecido, em Goiânia, em 27 de outubro de 1976. 

Natural de Taguatinga, João d’Abreu fez o curso primário em Arraias e concluiu os estudos secundários na cidade Goiás. Foi prefeito de Arraias de 1912 a 1913, após haver se diplomado em odontologia pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1911. 

Mais tarde, ele bacharelou em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Goiás, em 1937, pela qual foi professor de ciências das finanças e economia política, sendo seu diretor substituto em 1941.

Eleito para a Assembleia Constituinte de 1946, João d’Abreu seria deputado federal de 1946 a 1958, sendo eleito vice-governador goiano em 1958, cargo que ocupou até 1960. 

Atuou como presidente da Comissão Parlamentar da Amazônia, foi membro do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro e da Associação Goiana de Imprensa, além de ter fundado o periódico “A Bigorna”, em Arraias, na primeira vez em que foi chefe do Executivo municipal. 

Presidente do Conselho de Administração do Banco do Estado de Goiás de 1963 a 1966, João d’Abreu encerrou a sua longa militância política como prefeito de Arraias de 1968 a 1972. 

A partir daí permaneceu como um interlocutor arguto, um conversador brilhante, uma testemunha viva e um sábio conselheiro para aqueles que o procuravam em sua casa da Alameda Botafogo, em Goiânia, até a sua morte em 1976.

Em vida João d’Abreu recebeu muitas homenagens, mas uma ele guardou com carinho especial até o fim dos seus dias. Foi à homenagem que recebeu quando completou 83 anos e que foi realizado e promovido pelo empresário e jornalista Jaime Câmara. 

A homenagem foi prestigiada por grandes números de familiares, amigos, políticos, jornalistas e intelectuais de Goiás. O falecido desembargador Maximiano da Mata Teixeira fez um discurso que marcou pela emoção com que foi proferido.

João d’Abreu foi vizinho do jornalista Jaime Câmara, na cidade de Goiás, onde cimentaram e solidificaram uma amizade que perdurou por longos anos. 

Ele admirava a capacidade empreendedora de Jaime Câmara, reconhecida a relevância de seu trabalho jornalístico e sua dedicação em prol do desenvolvimento de Goiás. João d’Abreu dizia que a amizade com Jaime Câmara era “guardadea como joia do nosso escrínio de ouro”.

Uma prova da profunda amizade que unia o veterano político e o jornalista é que Jaime Câmara, em uma época de difícil acesso ao antigo Nordeste Goiano, se deslocou de Goiânia para Arraias, no final da década de 60, para ser paraninfo de formatura dos ginasianos do Instituto Nossa Senhora de Lourdes.

 João D’Abreu, na época, era o prefeito de Arraias e se sentiu gratificado pelo gesto do amigo em prestigiar a sua cidade e incentivar a juventude de sua região.

João d’Abreu foi uma das lideranças que batalharam pela construção de Goiânia, de Brasília e a criação do Estado do Tocantins.

João d’Abreu, líder carismático, catedrático, parlamentar e executivo, tocantinense da melhor gema, citado na Enciclopédia Delta Larrousse, completaria 97 anos, na próxima terça-feira, dia 4, caso estivesse vivo. 

Tijoca, como era conhecido entre os íntimos, nasceu em Taguatinga, começou encerrou sua carreira política como prefeito de Arraias, depois de ser governador, vice-governador, parlamentar, professor universitário e articulista dentre suas inúmeras atividades. 

Batalhador pela construção de Goiânia e de Brasília e um dos pioneiros da causa tocantinense, João d’Abreu permanece vivo na memória como um batalhador de melhores dias para o povo tocantinense.

João d’Abreu, político ético, humanista convicto, professor emérito, batalhador pela construção de Goiânia e pelo erguimento de Brasília e lutador incansável para carrear recursos, abrir as coisas e melhorar as condições de vida da região que hoje é o Tocantins, caso estivesse vivo, teria completado 97 anos, na próxima terça-feira, dia 4 de julho. 

Ele não viveu até o momento de se consolidar a luta libertária do povo tocantinense como a criação do seu Estado. Mas, como cidadão do antigo norte goiano, João D’Abreu, foi um digno escudeiro de Teotônio Segurado pela luta de toda uma vida em prol do desenvolvimento do que é hoje o Estado do Tocantins.

O tempo é o senhor implacável das mudanças e também do esquecimento. Os mais moços poderão indagar quem é João D’Abreu? 

É um homem cuja vida é uma saga em prol de uma causa que abraçou e da qual nunca se afastou um palmo até o fim de sua vida: é de ser um apóstolo do serviço, do bem e da justiça de seus conterrâneos. É um cidadão que nada quis para si, mas com para o seu povo, os nortenses, atuais tocantinense, com os trabalhos de sua longa e fecunda existência.

É um homem que se sensibilizou com os problemas do seu povo pelo qual lutou até a exaustão de suas forças físicas e intelectuais. Desapareceu a sua forma física, mas permanece como um monumento o registro das obras do líder carismático, do grande “sertanejo nortense”, que pontificou no seu tempo, incapaz de acumular riquezas, distribuindo com os que lhe vinham bater às portas os seus proventos de servidor público, parlamentar e professor.

O pioneirismo de João D’Abreu, em defesa da criança do Estado do Tocantins é sobejamente conhecido. Inicialmente, na Assembleia Legislativa de Goiás, onde jamais deixou de advogar os interesses daquela zona. Já em discurso pronunciado na sessão parlamentar do dia 11 de julho de 1935, salientava a vastidão daquele território ocupado por 21 municípios por onde afluem dois grandes caudais: Araguaia e Tocantins de que são tributários outros rios que se prestam à navegação e cujo o povo é desprovido dos menos benefícios da civilização.

Ao reivindicar emendas do Estatuto Público do Estado de Goiás, em prol do Norte, colocou esta alternativa: “Não há outro caminho a seguir… ou ampará-lo; trazê-lo à comunidade do sul… ou perdê-lo. Os estados limítrofes já fazem as suas investidas para absorvê-los.”

Cita ainda, o vaticínio do Visconde de Taunay, que antevia o Estado de Goiás deparado em duas zonas distintas, com possibilidade de progresso para ambas: a do sul, usufruindo da prosperidade de São Paulo e a do norte por meio da navegação dos grandes rios, Tocantins e Araguaia.

Fonte: Diário da Manhã 

(Walter Menezes, ex-presidente, conselheiro permanente da Associação Goiana de Imprensa e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

A carreira de João D’Abreu começou como prefeito de Arraias (GO) e foi governador de Goiás

Colégio em Dianópolis (TO)
Por Walter Menezes, 

A carreira política de João D’Abreu começou como intendente Municipal (hoje prefeito) de Arraias (1911), seu primeiro cargo eletivo, foi todo ele um crescente de conquistas à medida que o eleitorado que soube conquistar, conduzir e conservar, não o decepcionava, sufragando-lhe o nome em três pleitos Federais consecutivos, além de mandatos estaduais e municipais, até a conquista do cargo de vice-governador, por votação direta. 

Na época, ele foi indicado por todos os partidos políticos militares no Estado e considerou a sua candidatura e eleição como uma maneira de continuar o seu trabalho em prol da sua gente e da sua região.

Em discurso de posse do cargo, disse: “Seremos de agora em diante, o vice-governador e a bancada nortense um só bloco, um organismo, uma força viva e coesa em torno das reivindicações de nossa gente… Nossa bandeira é o Norte – nossa luta só tem um sentido: torna-lo melhor, transformá-lo de região subdesenvolvida e carente de tudo num centro produtor em um núcleo irradiador de progresso e de civilização.”

Já na Assembleia Legislativa de Goiás em 1936, como Constituinte teve atuação meramente não só como parlamentar dinâmico e operoso, mas como vice-presidente da Casa. A agitada sessão de destituição do Presidente do Poder Legislativo, na cidade de Goiás, em 1936 e, posteriormente, a mudança do Órgão para a nova capital, Goiânia, marcaram positivamente, o seu mandato de deputado.

Aquele episódio foi descrito, com muita propriedade, pelo acadêmico Jaime Câmara em sua consagrada obra – Os Tempos de Mudanças convertendo-se aquela memorável sessão de 29-09-36, em marco consolidador de Goiânia e confirmando a sua autêntica liderança no meio parlamentar. Dirigindo o Poder Legislativo soube conduzi-lo com segurança, realizando um trabalho fecundo e profícuo. 

Coube a ele, na qualidade de presidente, transferi-lo para a nova Capital, conseguindo instalá-lo em prédio próprio construindo em prazo recorde de 60 dias, à Avenida Tocantins, esquina da Rua 12, centro, onde hoje funciona a Loteria do Estado de Goiás. 

A primeira reunião, da 3ª sessão ordinária da 1ª Legislatura da Assembleia Legislativa, realizou-se na nova Capital, no dia 15 de Abril de 1937, presidida pelo deputado João D’Abreu.

Investido das funções de presidente do Poder Legislativo, como tal, substituiu o governador Pedro Ludovico Teixeira que se deslocaram para o Rio de Janeiro, onde permanecida por algum tempo, tratando de assuntos do Estado, em agosto de 1938. Os atos oficiais praticados pelo governador em exercício, deputado João D’Abreu, se restringiram ao expediente de rotina.

Com o fim do Estado Novo regime de exceção comandado por Vargas, retornou o país a pleno regime democrático, constituindo-se os três poderes da República. 

Eleições à vista, novamente o eleitorado nortense foi conclamado a comparecer às urnas em defesa do nome de João D’Abreu. 

E certamente, os eleitores do norte não o decepcionaram, elegeu-se deputado à Constituinte Federal de 1946, com expressiva votação e, por mais duas vezes, em pleitos consecutivos dentre as ações desenvolvidas por ele, no Congresso Nacional, destacam-se:

1 – A permanência na nova Constituição, de um mandamento autorizativo da transferência da Capital Federal para o Planalto Goiano e, em cuja Comissão de mudança da Capital, como membro nato, bateu-se ardorosamente pela causa, oferecendo emenda para fixação dos prazos e que aprovada, fixação, passou a figurar no art. 4º da 3ª Constituição brasileira.

2 – Membro da Comunicação de Valorização da Amazônia batalhou pela criação do Banco da Amazônia e a implantação de suas agências em Goiás.

3 – Defensor ardoroso da inclusão, na Constituição, de um órgão permanente, encarregado de trazer os benefícios do Plano de valorização da Amazônia até o paralelo 13, conseguiu ver realizado seus esforços com a criação da SPVEA.

O então deputado Siqueira Campos, hoje governador do Estado do Tocantins pela segunda vez, discursando em homenagem póstuma a João D’Abreu, na sessão do Congresso, nos 13 de setembro de 1977, em Brasília, ressaltava a liberdade dele, assim: “Sua atuação parlamentar ficou marcada indelevelmente pela obstinada luta em prol da interiorização da Capital do Brasil…” 

Naquela sessão discursou, também, deputado Iturival Nascimento do MDB goiano, recebendo apartes de colegas de outros estados que eles se associaram nesta justa homenagem. Juntamente com Jalles Machado de Siqueira, Alfredo Nasser, Wagner Estelita Campos e Benedito Vaz, um dos baluartes da transferência da Capital para Brasília. E igualmente um dos pioneiros do Tocantins.

Fonte: Diário da Manhã 
(Walter Menezes, ex-presidente, conselheiro permanente da Associação Goiana de Imprensa e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

Obras de João D'Abreu para o Tocantins


Por Walter Menezes, 

Discursando por ocasião da inauguração do Hospital São João Batista, em Taguatinga, para o qual consignou verbas orçamentárias no Congresso Nacional e incrementou a sua construção e instalação, na sua cidade natal, ele mesmo enumerou os benefícios trazidos à outrora região nortense, hoje Tocantins.

Atuando em todos os municípios da região, deixou em cada um deles a marca de sua passagem com a preocupação de não ter realizado o que desejava como dizia em discurso: “O que temos feito é muito pouco diante do que deve ser feito. 

É apenas uma pequena parcela da nossa grande dívida para com o Norte, de onde somos filhos…”

Teve a sua atenção voltada para o homem nortense, para o sertanejo lavrador, o garimpeiro, o comerciante, estudante e professor, religioso e leigo, a todos eu foram alvo dos seus cuidados, sempre com o fito de canalizar algum auxílio para as regiões de origem. 

Daí, então, o motivo da sua preocupação em dotar os municípios, as pequenas comunidades ou núcleos populacionais, da região nortense para onde não só carreou verbas, auxílios ou benefícios, propiciando melhoramentos às pequenas povoações, como incentivo e promovendo a aplicação das verbas, com o seu apoio material e sua obstinação.

Consignou verbas no orçamento da União destinadas a: escolas e colégios, paróquias e hospitais, entidades filantrópicas, asilos, postos de saúde, agências postais telegráficas, cooperativas, estradas pontes, campos de pouso, energia elétrica e água encanada, clubes e incentivos aos esportes, casas de religiosas, e orfanatos, postos agropecuários e clubes agrícolas e escolas rurais, além de preocupar-se com os recursos humanos qualificados que conseguia trazer para a região: médicos, professores, juízes de direito, promotores, construtores e comunidades religiosas para a direção de colégios que conseguiu fundar e instalar em cidades do então setentrião goiano: Arraias, Taguatinga e Dianópolis, todas, hoje, no Estado do Tocantins.

Luta pelo babaçu e Cooperativismo Apaixonado pelo sistema cooperativista, nele inserido como Diretor do Departamento de Assistência ao Cooperativismo – Deac – e preocupado com o baixo padrão de vida do povo nortense a quem ele prometera ainda nos verdes anos de sua juventude, dedicar toda sua vida, procurando colaborar para a sua recuperação e integração social, via nestas condições, o meio de explorar aquela oleaginosa – o babaçu – e melhorar as condições de vida de seus coestaduanos.

Por mais de trinta anos empunhou esta bandeira, empenhando-se nesta causa através de ações, palestras, conferências, entrevistas, relatórios, discursos no Parlamento, ora dirigindo o órgão estadual, ora fundando cooperativas em municípios goianos.

Fundou, em 1948, com vistas à exploração do babaçu e à valorização do homem rurícola, a Cooperativa dos Babaçueiros do Norte Goiano, com sede em Tocantinópolis que, por falta de apoio oficial, não se desenvolveu a contente. 

Em 1962 assume, ele próprio, a presidência da Cooperativa implantando novas técnicas de exploração dos babaçuais, com aproveitamento das palmeiras para obtenção de subprodutos.

Conseguiu a inclusão do norte de Goiás na Região Geoeconômica do Babaçu, determinada pelo Conselho Nacional de Economia.

Em 1949, participou da Conferência de Araxá-MG, promovida pelas Associações Rurais, convocada pelas classes produtoras do País, onde todos os estados da Federação se fizeram representar João D’Abreu foi o delegado de Goiás, pronunciando, à ocasião, substanciou a palestra, quando defendeu a tese do aproveitamento do babaçu, como sucesso para o carvão e para o petróleo. 

Mencionou estatísticas interessantes, apontado à oleaginosa, como reserva estimulada em 7,5 bilhões de unidades produtoras, cobrindo uma área de 300 mil km2, com uma produção de 375 milhões de toneladas/ano, aproximadamente.

Levou ao conhecimento dos integrantes daquele conclave, a exitosa experiência da Cooperativa dos Babaçueiros de Tocantinópolis, pugnando, ao final do encontro, pela criação de uma Comissão de Defesa do Babaçu como passo inicial de uma política de produção de combustível de base vegetal, capaz de acelerar a conquista da emancipação econômica do Brasil.

O estudo desta oleaginosa foi incrementado no governo Jânio Quadros que instituiu, em agosto, de 1961, um Grupo e Trabalho encarregado de estudar e propor as providências úteis ao incremento da produção, industrialização e exportação do babaçu. 

João D’Abreu foi escolhido pelo Ministro da Agricultura, para representar Goiás no referido Grupo de Trabalho. Idêntica distinção lhe estava reservada pelo Governador Mauro Borges que o designou, através do decreto de 6 de julho de 1961, para integrar o mesmo grupo. 

Ao final dos trabalhos a ação de João D’Abreu, como presidente da equipe, mereceu destaque.

Fonte: Diário da Manhã 
(Walter Menezes, ex-presidente, conselheiro permanente da Associação Goiana de Imprensa e diretor do Jornal da Cultura Goiana)

Monitoramento eletrônico ajuda a acabar com 27 mil focos da dengue em 12 cidades de Goiás, entre elas Campos Belos e Alvorada


Um trabalho de monitoramento em tempo real do trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti já eliminou 27 mil focos de água parada em um mês, em Goiás. 

Com esse sistema, montado pela Secretaria Estadual de Saúde, é possível acompanhar como estão as visitas feitas pelos agentes sanitários, marcar os imóveis que estão fechados e quais as principais áreas de infestação. 

Para auxiliar ainda mais o trabalho, máquinas pesadas serão usadas para ajudar na limpeza urbana, diminuindo ainda mais a incidência da doença.

Dados da Secretaria de Saúde mostram que até esta sexta-feira (29), foram visitados 928 mil imóveis. 

Destes, mais de 220 mil estava fechados e não foi possível fazer o controle dos focos do mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya. 

Nos locais em que os agentes não conseguem entrar, é deixado um bilhete com um telefone para que o proprietário agende uma visita. Ao todo, 4% das casas em todo estado têm algum foco do Aedes aegypti.

A partir dessas informações, a secretaria identificou os locais com maior índice de infestação. Essas cidades vão começar a receber ajuda de máquinas pesadas para reforçar os mutirões de limpeza.

Esse reforço começará a trabalhar a partir de 1º de fevereiro. “Já entrarão em ação 12 patrulhas em 12 municípios e o principal critério de escolher esses municípios inicialmente foi o grau de infestação. 

Nós temos municípios com 10% domicílios com criadouros do Aedes aegypti”, disse o secretário de Saúde, Leonardo Vilela.

Os primeiros municípios a receber o reforço na limpeza são Acreúna, Alvorada do Norte, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Campos Belos, Itumbiara, Itapuranga, Palmeiras, Piranhas, Minaçu, Santo Antônio do Descoberto e Silvânia. 

Serão disponibilizados 60 caminhões, 12 motoniveladoras, 12 escavadeiras hidráulicas, 12 pás carregadeiras, 12 carros e quatro caminhões prancha.

Veja Matéria de TV

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Técnicos finalizam remoção de restos mortais históricos em Combinado (TO)



Técnicos do Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan) finalizaram na última quarta-feira (27) a remoção dos restos mortais de humanos, sepultados em potes de barros, na cidade de Combinado, sudeste do Tocantins. 

As ossadas, provavelmente de índios, podem ter até mil anos, segundo informou os especialistas e foram encontradas por moradores da cidade, durante escavação em um lava-jato. 

Agora, os técnicos deverão estudar as ossadas, fazer exames laboratoriais, inclusive com o teste carbono 14, para datar exatamente a idade do material e especificar a qual grupo humanos eles pertenciam. 

O achado, descoberto em dezembro passado, foi divulgado primeiramente e com exclusividade em nosso Blog. 






Juiz designado para Campos Belos vai realizar mais de 200 audiências


O juiz Fernando Ribeiro de Oliveira, designado para atuar na comarca de Campos Belos, vai realizar 215 audiências na próxima semana, nos dias 3, 4 e 5 de fevereiro.

São oitivas de justificação, admonitórias, conciliação e instrução e julgamento. 

Do total, são 16 audiências da Escrivania Criminal, uma pela Fazenda Pública, duas da Escrivania de Família, 181 do Juizado Especial Criminal e 15 do Juizado Especial Cível.

Conta de água e esgoto ficará 17% mais cara a partir de março no TO


A conta de água e esgoto vai ficar 17,15% mais cara no Tocantins a partir de março. O reajuste foi autorizado pela Agência Tocantinense de Regulação (ATR) e publicado nesta segunda-feira (25) no Diário Oficial da União (DOM).

Conforme a publicação, 10,67% são referentes ao Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCA). Já os 6,48% serão pagos por investimentos feitos pela Odebrecht Ambiental | Saneatins e reconhecidos pela ATR.

O valor total do reajuste por investimentos da será de 19,46%. Porém, esse percentual será divido em três parcelas. As outras duas serão pagas pelo consumidor em 2017 e 2018.

Para o auxiliar administrativo Adson Viana, de 21 anos, o aumento é uma vergonha. "Primeiro acho um absurdo teremos que pagar mais uma vez a conta do Estado. Um serviço que não é de qualidade sem contar as várias vezes que ficamos sem água sem ser avisados."

"Para aumentar um serviço deveriam primeiro mostrar a qualidade para depois cobrar", reclamou.

ATR

O presidente da ATR, Jota Patrocínio, foi procurado e disse que o reajuste solicitado pela concessionária era ainda maior.

"A gente é sensível ao momento que o país está passando, mas é um pleito antigo da concessionária, vem desde agosto de 2015. Então a Saneatins nos fez um pleito de 37,88%, mas depois de vários estudos para saber o que era devido chegamos a esse valor", afirmou.

Valor da conta

Segundo informações da Odebrecht Ambiental, a faixa de consumo mínimo, de até 10 mil litros, o aumento será de R$ 5,16. Com isso, a tarifa será de R$ 36,44. Cerca de 60% dos usuários se enquadram nesta categoria.

Para cerca de 80 mil pessoas que se enquadram nos critérios da tarifa social, o valor da conta será de R$ 11,05, para a mesma faixa de consumo de 10 mil litros.

"Já pago cerca de R$ 300 por mês de água. Não sei onde vamos com tantos aumentos", afirmou o funcionário público Henrique Ávila, de 25 anos.

Fonte: G1

Padre Iraçon se despede da paróquia de Campos Belos (GO) e assume Dianópolis (TO)

 


Por Roberto Naborfazan

A população de Campos Belos sempre teve a benção de abrigar grandes líderes espirituais em sua paróquia. 

Entre outros, podemos citar o ícone, Dom Alano Marie Du Noday, Monsenhor Magalhães e Monsenhor Moreira, mas nenhum chegou tão jovem e se integrou tão rápido como Padre Iraçon José Ferreira. 

Sua integração foi tamanha que, no curto período em que esteve a frente da paróquia (cinco anos e seis meses), conseguiu unir a população em torno de grande projetos e realizações, como a reforma e ampliação da Igreja Matriz, uma obra de custo elevado com resultado de enorme beleza estética na fachada do prédio e conforto na acomodação dos fiéis.

Questionado sobre quais os sentimentos o envolvem neste momento de despedida, O padre relata “Meu sentimento é de realização e gratidão. Quando cheguei a Campos Belos, há mais de cinco anos, sofri fortes turbulências emocionais seguidas, primeiro com a morte brutal do Padre Rubens, um grande e querido amigo e conselheiro. 

Logo em seguida perdi outro grande amigo, Anjo Rodrigues Galvão, um companheiro que, quando eu vinha a região de férias visitar meus pais, vinha a Campos Belos exclusivamente para visita-lo; além de algumas outras situações particulares que encontramos por aqui. 

Com o passar do tempo e convivência com a comunidade, as pessoas nos conhecendo melhor, eu fui conhecendo as pessoas e criando laços de amizade e confiança”. Pontua.

“Nesse momento de despedida, levo de Campos de Belos, e falo isso com muita convicção e maturidade, duas coisas importantes que muito me marcou e que esta comunidade me ensinou. 

Primeiro, a dimensão do acolhimento. Já morei em muitos lugares, até fora do País por um curto período, e nunca tinha sentido tamanho acolhimento por parte das pessoas. 

Por outro lado a solidariedade, a comunidade Cristã de Campos Belos é muito solidária e isto ficou provado em diversas oportunidades, principalmente em campanha de auxílio a pessoas com problemas de saúde, quando precisávamos arrecadar valores altos, algumas vezes de até vinte mil reais, para irmãos que precisavam fazer cirurgias ou tratamentos, e em uma semana alcançávamos a soma. 

Então vi, aprendi e levo comigo a gratidão por, principalmente, essas duas coisas, o acolhimento e solidariedade da comunidade de Campos Belos”.

Sobre o carinho, respeito e amizade recíproco entre a comunidade e o pároco, padre Iraçon destaca,  “Eu procuro fazer uma distinção, porque ser padre é fácil, você celebra a missa, cumpre com os deveres que a igreja manda e está tudo bem, agora, ser padre e membro da comunidade.

Estar junto em todas as situações é um grande desafio, nestes mais de cinco anos tentamos não ser só o padre, mas um membro atuante junto e com a comunidade nos mutirões, nos festejos e eventos, caminhamos juntos sem distanciamento, o padre vivendo as mesmas alegrias e desventuras junto com os membros da igreja e da sociedade como um todo, isso nos uniu no ensinamento e aprendizado da palavra de Cristo.”

Padre Iraçon celebra sua última missa como pároco de Campos Belos no dia 31 de janeiro e parte para Dianópolis no dia 02, dia de Nossa Senhora das Candeias, data que, segundo suas palavras, é significativa, pois é o dia da luz. Ele assume a Paróquia de São José, em Dianópolis (TO) no dia 07 fevereiro.

“Deixo Campos Belos com a convicção de que tudo dará muito certo em Dianópolis, onde assumiremos a Paróquia de São José. Carrego comigo a excelente convivência com a comunidade. 

Alguns me dizem que é muito cedo para eu deixar Campos Belos, mas sempre digo que a Igreja é muito sábia, pois saio de Campos Belos muito bem, a comunidade está bem e isso deixará saudades. 

Dom Geraldo Gusmão, que foi líder desta diocese, dizia que é melhor sair e deixar saudades, que sair e deixar raiva, então nos temos que saber o tempo de sair, e este é o momento de sair e deixar tudo muito bem. Quanto a Dianópolis, a alegria que carrego daqui já é uma esperança de que serei feliz e construirei uma convivência muito boa com a comunidade também por lá. 

A paróquia  de São José é muito grande, abrange as comunidades de Dianópolis, Rio da Conceição e Taipas, sabemos dos desafios, tenho lido e pesquisado sobre a importância da cidade de Dianópolis, tão antiga, que desde 1750 já teve várias tribos indígenas, jesuítas, romarias da missão, tem o Colégio da Irmãs, uma das mais antigas instituições da região.

Então o sentimento é de esperança, muita esperança de chegar, conviver bem e fazer acontecer ali o tema da Campanha da Fraternidade deste ano “Casa comum, nossa responsabilidade” e o lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5, 24), onde todos nós possamos realizar bem enquanto igreja”.

Visivelmente emocionado, padre Iraçon finaliza “Deixo aqui minha mensagem de gratidão e meu carinho, com agradecimento sincero a todas as comunidades, aos empresários, comerciantes, pecuaristas, agricultores, enfim, atodas as pessoas de diversos setores da sociedade, o sentimento maior que fica é o de gratidão, deixo aqui meu muito obrigado a todos”.

O padre Luiz Alberto, que vem de Jaú do Tocantins, assume a paróquia de Nossa Senhora da Conceição no dia 02 de fevereiro, e com certeza, terá muitas alegrias nas terras campobelenses.

Fonte: O Vetor

Duas motos colidem em Combinado (TO) e mata um homem de 50 anos


Por volta das 20h desta quinta feira (28), um grave acidente, ocorrido na Avenida JK, no centro de Combinado, sudeste do Tocantins, tirou a vida de Ezequias Fonseca de Lima, 50 anos.

Ele conduzia uma moto CG 125, Fan de cor preta, quando veio a colidir com uma outra moto, NXR/150 Bros, também de cor preta que estava sendo conduzida por Taison Harley Gonçalves Queiroz, 24 anos, que não sofreu ferimentos com gravidade.

Ezequias foi socorrido por populares até ao hospital local, onde recebeu primeiros socorros.

Depois foi transferido para hospital no Município de Arraias, mas não resistiu aos graves ferimentos na cabeça e morreu.

O local do acidente recebeu visita da Polícia Técnico Científica e os veículos foram recolhidos para sede da Polícia Militar.

Fonte: AMT Noticias 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Malfeitos no Colégio Polivalente cobra intervenção do Ministério Público. Obras inacabadas são um escárnio contra o cidadão






Ao assisti estas imagens, fiquei estupefato e extremamente sentido.

É como se alguém tivesse feito-me uma grandíssima sacanagem e atingido-me em cheio numa das coisas que mais prezo, que é a família.

Tudo porque o Colégio Polivalente, por quase uma década, foi a minha segunda casa.

Entrei na antiga 5ª série e de lá saí ao terminar o ensino médio.

Conheço cada cantinho desse lugar. Da biblioteca, onde li pela primeira vez "Os Sertões", de Euclides da Cunha, e o grandioso "Grande Sertão Veredas", de João Guimarães Rosa, à sala do grêmio estudantil por onde labutei algumas jornadas.

Foi do colégio polivalente, ainda aos 14 anos, que fiz um arremedo de planejamento de vida, com o pé fincado na educação.

Foi de lá que decidi pelo jornalismo. Aquilo foi a minha fábrica de sonhos. Foi essa Casa quem me deu o direito de sonhar. E se sonhei alto foi porque ela assim me intuiu.

Agora está aí jogada, abandonada, suplantada nesse lamaçal. Não de água e lama, como o Rio Doce mineiro, mas da nefasta corrupção que sangra cada município desse nosso país, de cada cantinho onde a máquina pública estende seus tentáculos.

Como Sócrates que fazia seus discípulos pensar com perguntas, eu também incito o nosso leitor a responder a alguns quesitos, já sabendo das respostas.

Por que se demora quase cinco anos para se concluir uma obra de reforma escolar como esta? por que se fazer uma obra mal feita e que nunca se acaba?  A quem interessa se fazer a coisa pela metade? quem está ganhando e quem está pagando? É pura corrupção ou um misto desta com incompetência e falta de gestão?

Fico com a corrupção.

Os caras estão pouco se lixando para com o futuro das nossas crianças e adolescentes.  Os caras estão pouco se lixando para a qualidade na educação. Os caras só querem é ganhar, não importa os meios. E quanto mais tempo durar as obras do nosso querido Polivalente, mais chances eles terão de tirar, de desviar e roubar o dinheiro público.

E quem são os caras? sinceramente eu não sei.

Pode está no primeiro escalão do governo estadual, nos cargos intermediários, nas empreiteiras... Os ratos estão em todo lugar e sugam a coisa pública até a última gota.

Essa obra do Polivalente é um tapa na cara de todos nós, um escárnio hercúleo.

Estão nos fazendo de palhaços, de idiotas. A culpa também é nossa. Minha e sua, cidadão. Nós deixamos tudo por conta do governo. Pagamos nossos impostos e queremos que os ratos nos tragam benefícios.

Passou da hora de a sociedade reagir. Primeiro cobrando a imediata intervenção do promotor Douglas Chegury, para, através de uma força tarefa, à "Lava Jato", descubra quem são os ratos e os façam ressarcirem a verba pública (desviada ou mal usada, mal gestionada) e colocar um montão de gente na cadeia.

Depois, sugiro, pois já passou da hora, que a comunidade de Campos Belos crie um conselho comunitário, sem ligações partidárias, apenas com foco no bem comum, no interesse social, formado por gente de todas as matizes sociais.

A ideia é que esse Conselho cobre, não apenas a apuração urgente desse escárnio com o pobre Colégio Polivalente, como também exija o cumprimento de outras demandas da comunidade, que hoje são muitas, a exemplo da falta de Corpo de Bombeiros, da falta de UTI pública, da falta de equipamentos médicos para exames mais complexos, da permanência de um juiz e de um promotor na comarca, entre outras.

A construção do IML é um exemplo do quanto a comunidade é forte e sábia. E o IML foi feito por uma espécie de Conselho Comunitário.

Rombo no MEC. Tudo a ver com o caso Polivalente

O Ministério da Educação (MEC) apresentou nesta quarta-feira (27) o Plano de Ações Articulares dos municípios para combater os desvios  de recursos públicos na área.

De acordo com estimativas do MEC e da Controladoria-Geral da União, entre 2003 e 2015 foram desviados cerca de R$ 2 bilhões de reais de recursos públicos destinados a escolas estaduais e municipais do país.

Somente nas cinco mais relevantes operações da Polícia Federal realizadas em 2015, foram identificados desvios de R$ 452 milhões de verbas que deveriam pagar merendas e transporte escolar.

PS.: explicando

Escárnio
substantivo masculino

1. o que é feito ou dito com intenção de provocar riso ou hilariedade acerca de alguém ou algo; caçoada, troça, zombaria.

2. atitude ou manifestação ostensiva de desdém, de menosprezo, por vezes indignada.

3. aquilo que é objeto de desdém, ironia ou sarcasmo.


IF Goiano - Câmpus Campos Belos divulga resultado final do Processo Seletivo 2016


O Instituto Federal Goiano - Câmpus Campos Belos divulgou na segunda-feira (25/01) o resultado final do Processo Seletivo 2016 para os Cursos Técnicos Integrados, Concomitantes e Subsequentes ao Ensino Médio.

As matrículas dos candidatos convocados em 1ª chamada deverão ser realizadas entre 25 a 29 de janeiro das 17 às 19 horas na Secretaria de Registros Escolares do IF Goiano-Campos Belos.

O IF Goiano está ofertando 160 vagas gratuitas para o 1º semestre do ano letivo de 2016. 

A seleção foi realizada por meio de análise de Histórico Escolar do Ensino Fundamental para candidatos dos cursos Técnicos Integrados e Histórico Escolar do Ensino Médio para concorrentes dos cursos Concomitantes e Subsequentes.

Veja o Resultado final 

Convocados na primeira chamada

De Alvorada do Norte: Dona Joaquina, uma goiana de 110 anos


O governador Marconi Perillo, acompanhado do presidente da Agehab, Luís Stival, esteve em Guapó neste sábado, dia 23, para prestigiar a comemoração de 110 anos de vida da dona Joaquina Rosa da Costa. 

A moradora, que recebeu uma casa doada pela Agehab em 2006, no seu 100º aniversário, recebeu neste aniversário um Cheque Moradia de R$ 3 mil, que ela utilizará para pintar sua casa.

“Fiz questão de trazer o meu abraço para dona Joaquina, um exemplo de cidadã para todos os goianos. 

O Cheque Reforma é um presente do Governo de Goiás para que ela viva com mais conforto”, afirmou Marconi. 

Natural de Alvorada do Norte, dona Joaquina nasceu no dia 23 de janeiro de 1906 e mora em Guapó com a família há 40 anos. Ela teve nove filhos e 15 netos e bisnetos.


Chuva forte assusta moradores de Monte Alegre (GO)



A  intensa chuva que cai no nordeste goiano neste mês de janeiro está sendo muito bem-vinda. 

Vez por outra, as precipitações mais fortes causam transtornos e assustam moradores. 

Foi o que ocorreu na última terça-feira (26), em Monte Alegre de Goiás. 

Já era noite quando o céu desabou. O resultado foi muito enxurrada e transbordamento de rios e riachos. 

Essas fotos foram feitas por um colaborador do nosso Blog e mostram que o córrego lava-pés encheu muito, invadiu ruas e praças e entrou dentro de muitas casas.  

Fotografias: Matheus Vilas Boas






Governo lança Frente de Apoio ao Desenvolvimento Municipal. Campos Belos será beneficiado


O governo estadual lançará nesta quinta-feira (28/1), às 15 horas, a Frente de Apoio ao Desenvolvimento Municipal – Patrulha do Desenvolvimento. 

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), serão disponibilizadas máquinas às prefeituras para realização de obras urbanas e rurais.

O evento será realizado no estacionamento do estádio Serra Dourada, no Jardim Goiás. Confirmaram presença o governador Marconi Perillo (PSDB) e o vice-governador José Eliton (PSDB), que também é o titular da SED.

O Estado informou que os serviços são considerados emergenciais, considerados importantes para fazer “a diferença na vida dos moradores”, sem custo aos municípios.

Dividida em 12 grupos, a Patrulha do Desenvolvimento vai atender todos os 246 municípios goianos, informou a SED. De acordo com o governo, serão entregues 60 caminhões, 12 motoniveladoras, 12 escavadeiras hidráulicas, 12 pás carregadeiras, 12 carros e quatro caminhões prancha.

As cidades foram agrupadas pelo Estado em quatro lotes regionais – em cada um dos lotes terá, simultaneamente, três grupos de trabalho. São eles: Centro, Noroeste e Norte; Oeste e Sudoeste; Sul, Sudeste e Metropolitana; e Entorno do Distrito Federal e Nordeste.

A SED coordenará o programa por meio de sua Superintendência Executiva de Desenvolvimento Regional. 

Os primeiros 12 municípios receberão as máquinas a partir do dia 1º de fevereiro são Minaçu, Itapuranga, Anápolis, Acreúna, Palmeiras, Piranhas, Aparecida de Goiânia, Silvânia, Itumbiara, Alvorada do Norte, Campos Belos e Santo Antônio do Descoberto, informou o governo.

Combate ao mosquito

Por determinação de Marconi, o programa vai incorporar inicialmente o movimento Goiás contra o Aedes, lançado em dezembro. A Patrulha do Desenvolvimento terá atuação ostensivamente no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya.

O Estado explicou que os grupos vão executar trabalhos de limpeza em áreas urbanas, remoção de entulhos e possíveis criadouros do mosquito nas 48 maiores cidades do Estado, que foram indicadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Com o fim do período chuvoso, a Patrulha do Desenvolvimento passará a fazer limpeza de ruas, roçagem de áreas públicas, encascalhamento de estradas vicinais, encabeçamento de pontes, abertura de ruas, recolhimento de lixo e entulhos, tapa-buracos de estradas vicinais e vias urbanas. De acordo com a SED, outras ações de melhoria da infraestrutura das cidades também serão realizadas. 

Fonte: Fonte  SED