Banner 1

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Cresce participação de municípios do interior no PIB goiano


O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) dos 246 municípios goianos, referente ao ano de 2013, mostra que o interior do Estado continua ganhando espaço no crescimento econômico e na distribuição de renda, puxado principalmente, pelo desempenho do setor agropecuário.

Do total do PIB estadual, de R$ 151,01 bilhões, a participação da capital caiu de 27,3%, registrado em 2012, para 26,8%, enquanto a dos demais municípios do interior passou de 72,7% para 73,2%. 

Os dados são do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), realizados em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo a superintendente do IMB, Lillian Prado, a agropecuária foi o setor que puxou e garantiu o crescimento do PIB em 41,9% dos municípios goianos, seguido de serviços (34,6%), administração pública (13,4%) e a indústria (10,2%). 

Cristalina e Chapadão do Céu são exemplos de municípios que se destacam em 2013 graças ao setor primário.

Por outro lado, a administração pública foi a que mais perdeu representatividade no PIB influenciada pelo ganho de participação do setor agropecuário, enquanto as atividades da indústria e serviços não tiveram grandes oscilações. 

Como exemplo, os municípios de Corumbá de Goiás e Flores de Goiás, que tinham a administração pública como atividade principal em 2012, teve a agropecuária como destaque na economia em 2013.

Desconcentração

Em Goiás, conforme o estudo, houve uma pequena desconcentração de renda gerada nos dez maiores municípios. 

Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Rio Verde, Catalão, Itumbiara, Jataí, Luziânia, Senador Canedo e Cristalina foram responsáveis por 59,6% da renda em 2013, enquanto que, em 2012, este índice havia sido de 60,4%. 

Segundo o IMB/Segplan, isso ocorreu devido à perda de participação na geração de riquezas dos municípios de Goiânia, Anápolis e de Catalão, que foi o único que diminuiu o valor do seu PIB, de R$ 6,46 bilhões para R$ 6,19 bilhões.

Em 2013, os destaques no PIB municipal foram para Cristalina, que entrou na lista entre os 10 maiores do Estado, desbancando Valparaíso de Goiás, e Rio Verde (4º), que ultrapassou Catalão (5º). 

Rio Verde foi favorecido devido ao crescimento de todos os setores da economia, enquanto Catalão perdeu posição devido à perda ocorrida na indústria de transformação.

Os municípios goianos com as menores economias registradas em 2013 foram: Anhanguera, Cachoeira de Goiás, Teresinha de Goiás, Buritinópolis, Jesúpolis, Guaraíta, Damianópolis, Palmelo, Guarinos e Adelândia, que ocupou o lugar de Moiropá.

Já a capital goiana se manteve como a 17ª economia brasileira (posição que ocupa desde 2010), enquanto Anápolis ficou no 63º lugar no ranking dos 100 maiores municípios brasileiros, encabeçado por São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. 

Fonte: Do IMB/Segplan
  

Nenhum comentário: